A cor dos olhos do recém-nascido

25 Agosto, 2017
 

Os olhos de um recém-nascido sempre são bonitos. Geralmente nos surpreende como são vibrantes, nos perguntamos se ele pode nos ver e sobretudo nos intriga de que cor serão. A maioria dos bebês parece ter os olhos da cor cinza. Muitas vezes seus olhinhos nos causam surpresa, mas para tudo existe uma explicação.

Caso se trate de uma família com olhos escuros é incompreensível que o bebê nasça com os olhos claros. Essa situação pode causar incômodos ou um sentimento de confusão por ter um filho com esses traços. Entretanto, tudo isso será alterado rapidamente.

A cor dos olhos de um recém-nascido se manterá um pouco mais clara por um período aproximado de 9 meses. Na maioria dos casos começa a escurecer paulatinamente até atingir seu tom definitivo. Ainda mais quando a cor termine sendo azul ou verde, o tom se modificará nos primeiros meses de vida.

Quando o bebê já nasce com os olhos escuros, talvez no tom marrom, o mais provável é que eles escureçam ainda mais. Entre seis e nove meses, o bebê passa por várias fases na tonalidade dos olhos, as vezes são mudanças imperceptíveis.

Ao que se deve a mudança da cor dos olhos no recém-nascido?

Tal como acontece com a cor da pele ou do cabelo, a parte colorida do olho, conhecida como iris, depende da melanina. A melanina é uma proteína produzida pelos melanócitos, cujo propósito é dar pigmentação a certos tecidos.

A falta de amadurecimento dos melanócitos nos recém-nascidos faz com que alguns tons ainda não estejam prontos ao nascer. A cor dos olhos não só é afetada por esse motivo, como também a da pele e do cabelo. Por exemplo, um bebê pode nascer com uma pele mais clara do que terá na idade adulta.

 

Nos primeiros dias do recém-nascido, a produção de melanina é muito escassa. Por esse motivo, a mudança da cor da íris é progressiva. Seus olhinhos começam a escurecer a partir do nascimento, passando por diferentes tonalidades. Dita produção reflete também na pele e no cabelo.

Finalmente, demonstramos assim que os fatores que incidem na confirmação destes traços são precisos. A genética explica principalmente qual será a cor definitiva dos olhos. Com relação a isso, também se deve a produção da melanina, que é algo orgânico.

Uma fraca produção dessa proteína dá lugar a olhos na escala de cinza, verde ou azul. Quando a segregação é média, os olhos acabarão sendo cor do mel ou avelã. Portanto, os olhos da cor marrom ou pretos são o produto de uma elevada produção de melanina.

Outras explicações sobre a mudança da cor dos olhos 

Algumas pessoas especulam sobre a causa desta transição na cor dos olhos do recém-nascido. Por exemplo, existe a crença popular de que a amamentação materna interfere nesse processo. Contudo, os especialistas negam a possibilidade de que exista uma relação. Além de que, nenhuma pesquisa avalia que a amamentação possa incidir na cor dos olhos.

 

Segundo os especialistas, essa crença se baseia no tempo que dura a transição, que como sabemos coincide com o tempo que amamentamos. Os seis ou nove meses da amamentação, correspondem aos mesmos que transcorrem no escurecimento da íris nos recém-nascidos.

Durante o amadurecimento dos melanócitos, a maioria dos bebês estão recebendo o leite materno. Contudo, o mesmo ocorre em outros sistemas. De acordo com as afirmações dos cientistas, o processo de amadurecimento extrauterino ocorre de maneira natural, ainda quando o bebê não está sendo amamentado.

Por outro lado, está confirmado a possível relação da mudança da cor dos olhos com a exposição solar. Ao que parece, a luz do sol influi para que a produção da melanina aumente. Isso poderia estar correto, já que é só ao sair do útero que o bebê se expõe a essa luz. Acredita-se inclusive que a cor da íris de um adulto possa mudar pelo efeito solar.

A claridade na cor dos olhos do recém-nascido pode ter origem na escuridão do útero. Portanto, diante da mudança de ambiente, o organismo efetua a modificação pertinente.