Dê opções em vez de dizer o que seu filho deve fazer!

Ao educar as crianças, a melhor maneira de cultivar sua confiança é dar opções. A seguir, vamos te contar como fazer isso!
Dê opções em vez de dizer o que seu filho deve fazer!

Última atualização: 30 Novembro, 2020

Dar opções às crianças pequenas pode parecer uma má ideia, mas, na verdade, não é. Talvez durante a sua infância você tenha ouvido coisas como “porque eu mandei, e não responda”. Esses ultimatos são desnecessários para uma boa educação das crianças, pois você pode dar aos seus filhos a oportunidade de tomar as próprias decisões sem que eles percebam que foram guiados por você nessa direção.

A autoridade em casa sempre deve ser dos pais, mas isso não significa que as opções não sejam um bom recurso educacional. Os pais fornecem as opções e os filhos se sentem livres para decidir por conta própria.

Essa estratégia também fará com que os pequenos se sintam independentes e no controle de suas escolhas. Entretanto, deve ser feita corretamente para que as crianças não se tornem pequenos tiranos.

Como oferecer boas opções para os filhos?

Para que os seus filhos cresçam com autoconfiança, você precisará dar opções a eles, sem dúvida, mas isso deve ser feito da maneira certa. Portanto, não perca as dicas que vamos dar a seguir.

Ofereça no máximo duas opções

“O que você quer para o lanche?”. Se você não quer que o seu filho diga chocolate ou sorvete todos os dias, terá que dar duas opções para que ele possa escolher. Isso vai ajudar a manter a saúde e a garantir uma boa alimentação. Seu filho vai pensar que ele está no controle dessa escolha, o que é verdade, mas só até certo ponto.

Escolha as suas batalhas e prepare-se para o sucesso

Existem algumas áreas em que você precisa dar asas à sua imaginação em termos de opções e, possivelmente, a maioria terá a ver com a hora de dormir.

O pijama que a criança quer usar e os livros que ela quer ler antes de dormir são escolhas que ela pode fazer sozinha. Isso levará a uma rotina mais tranquila na hora de dormir.

Cada dia pode ser diferente, embora você não precise enlouquecer com isso. É importante não tornar tudo um conflito e realmente escolher as batalhas que importam. Isso não significa ser permissivo, de forma alguma, e sim simplesmente saber o que é prioritário e o que não é.

Permita que as crianças negociem (até certo ponto)

Talvez na maioria das noites você se veja negociando o tempo que elas podem passar diante das telas ou acordadas antes de dormir. De fato, para que isso não se torne uma guerra, é melhor dar opções para que seja uma experiência mais pacífica.

Por exemplo, as crianças podem escolher entre 10 minutos de televisão assistindo ao seu programa favorito ou 10 minutos de celular, mas não ambas as coisas. Elas terão que escolher o que faz com que se sintam melhor ou do que gostam mais.

Pergunte do que precisam e dê opções

Às vezes, as crianças têm comportamentos que não esperamos porque precisam de algo que não estamos fornecendo. Esse algo geralmente costuma se traduzir em tempo, beijos, abraços, brincadeiras… Contudo, para saber, é preciso perguntar. Somente perguntando você poderá entender a importância de manter essa conversa com os seus pequenos.

Talvez você só tenha que pedir que escolham a quantidade de beijos ou abraços que querem, ou que escolham o jogo com o qual querem brincar. Permitir que elas tomem as suas próprias decisões vai fazer com que sejam crianças muito mais felizes (e você, mamãe, também ficará mais feliz).

Cultive a confiança e a independência por meio das opções

Quando o dia termina, é muito importante que você tenha cultivado a confiança e a independência das crianças. Ninguém gosta que digam o que se deve fazer, especialmente uma criança pequena.

Permitir que tomem decisões por conta própria promove a confiança na própria habilidade para tomar decisões. Essa confiança dará independência aos seus filhos, e eles provavelmente ficarão felizes por se sentirem capazes.

Nem tudo é válido

Haverá momentos em que você não poderá permitir que eles escolham porque essa não é uma boa opção e você precisa ter uma atitude mais autoritária a respeito. Isso não precisa ser necessariamente ruim. Seus filhos devem aprender que, mesmo que dê opções de vez em quando, você sempre terá a última palavra.

Por exemplo, se os seus filhos quiserem ficar mais tempo no parque, mas já estiver hora de ir embora, não haverá outras opções. Ou se vocês tiverem que sair de manhã cedo para ir ao médico ou à escola, mas eles quiserem dormir um pouco mais, também não haverá opção.

Diante de tudo isso, é importante que, como mãe ou pai, você saiba quando é o melhor momento para dar opções e quando não é. Dessa forma, os seus filhos terão autoconfiança para tomar decisões e aprenderão a pensar por conta própria, mas, ao mesmo tempo, saberão que devem seguir o seu comando sempre que for oportuno. Isso vai fornecer segurança, essencial também para o seu bom desenvolvimento.

Pode interessar a você...
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Como ganhar a confiança do filho adolescente?

As crianças crescem e em todos os pais surge uma pergunta: "Como posso ganhar a confiança do meu filho adolescente?". Muitos acreditam erroneamente que o afastamento é parte de uma simples fase de rebeldia; no entanto, nem todos os casos são iguais.



  • García, T. (2019) Educar sin perder los nervios: Guía emocional para transformar tu vida familiar. Editorial: PlataformaActual