Os desafios e dificuldades de criar os filhos com afeto

· 7 de maio de 2018
Uma criação com afeto é um termo que, apesar de não ser novo, está na moda nos últimos anos. O fato é que se decidimos conscientemente criar com afeto nossos filhos, teremos que enfrentar inúmeras críticas e questionamentos.

Isso acontece porque, nas sociedades ocidentais como a nossa, a produtividade e a independência são glorificadas. E colocar esses conceitos em prática entra em conflito com as necessidades naturais (e normais) de um bebê.

Dificuldades de criar os filhos com afeto

Dessa forma, numa sociedade baseada na eficiência onde as posses e as aparências são mais importantes que a felicidade, quando uma mãe faz o esforço para criar com afeto também precisa enfrentar inúmeras dificuldades. A seguir vamos enumerar algumas delas:

Protocolos clínicos rígidos

Pesquise os protocolos do seu hospital e o apoio que oferecem à amamentação; você pode pedir para que entreguem seu bebê a você imediatamente ao nascer, que ele durma no mesmo quarto que você e que não administrem fórmulas lácteas sem a sua permissão. Sobretudo, não deixe que decidam por você.

As curtas licenças maternidade

Muitas vezes temos que tomar a decisão de parar de trabalhar por um tempo para cuidar dos nossos filhos. Outras vezes precisamos continuar trabalhando para poder viver. No entanto, são muitas as restrições que existem e que não nos permitem conciliar nossa vida pessoal e profissional como gostaríamos.

É possível criar o filho com afeto

Deixar nosso filho aos cuidados de outra pessoa não é a mais fácil das decisões. Mas às vezes não existe outra opção; por isso, antes de tudo, saiba que o seu bebê também vai sentir a separação. Portanto você deverá dar todo o carinho possível ao chegar do trabalho para compensar sua ausência.

Perda de confiança nas próprias capacidades

Depois de escutar repetidamente que o seu leite não é suficiente, que você fica muito tempo com o seu filho no colo, que ele chora por ser mimado, que se você continuar permitindo que ele durma com você, vai se tornará um adulto dependente e outras opiniões alheias sobre como você deve cuidar do seu bebê, é de esperar que você perca a confiança em si mesma e nas suas decisões.

Mas, pense: por acaso a humanidade repentinamente não pode sobreviver sem fórmulas lácteas, mamadeiras, chupetas, cadeirinhas e qualquer outro sistema que pretenda substituir o corpo da mãe? Caso tenha dificuldades, informe-se melhor e busque ajuda se considerar necessário. Sempre siga seus instintos maternos, você é a melhor solução para os incômodos do seu filho.

Suas próprias dúvidas e inseguranças

Inclusive quando você escuta seus instintos maternos e mantém sua autoconfiança, as dúvidas vão aparecer. Afinal de contas, ser mãe não é fácil. Trata-se de uma grande responsabilidade, por isso é normal que você às vezes se pergunte se está fazendo tudo corretamente. São essas dúvidas que vão permitir avaliar a si mesma e, dessa maneira, melhorar em determinados aspectos.

“Ninguém nem nada é perfeito, ser pai e mãe é uma escola onde a aprendizagem não acaba nunca”

Constante desaprovação pela sua forma de criar

Muitas vezes e talvez com a melhor das intenções, familiares e amigos saturam a nova mãe com conselhos e recomendações, diminuindo dessa forma sua confiançaUma mãe ocupada em escutar todos que estão ao redor não pode se concentrar em conhecer seu bebê e aprender a decifrar seus sinais.

Ainda que para a maioria das pessoas você esteja criando crianças fracas, na verdade criar com afeto vai gerar no seu filho a segurança emocional necessária para ser um adulto independente e com boa autoestima.

Mãe e filho brincam ao ar livre

Suas próprias feridas de infância

Suas feridas estão relacionadas com a maneira como você foi educada, e essa é a maior de todas as dificuldades. Ser mãe oferece a oportunidade única de nos descobrir, de explorar outra vez nossa alma infantil. Cuide das suas feridas, perdoe e continue. Criar seu filho com o valor do respeito e da compreensão permite que a sua criança interior seja aceita, respeitada e compreendida.

“Você está contribuindo para uma mudança social necessária ao escolher para o seu filho o caminho da não violência e do respeito”

Não se esqueça de que ser pai e mãe é uma aprendizagem diária e que todos cometem erros. Criar com afeto é criar com amor, e nada que é feito com amor e a partir dele está errado.