Otite em bebês: manifestações e tratamentos

16 Outubro, 2017
 

As infecções de ouvidos em adultos e crianças são fáceis de superar com a ajuda de um bom antibiótico. Um bom exemplo disso é a otite em crianças pequenas. Mas… O que acontece quando a otite invade os ouvidos de um bebê pequeno? Nesses casos o problema apresenta um maior grau de dificuldade.

Tanto o diagnóstico como o tratamento da otite são bastante diferentes em crianças de 0 a 36 meses. Quanto menor a criança, maior a dificuldade em trabalhar com essa inflamação.

Neste artigo apresentaremos o procedimento correto para identificar e tratar a otite em bebês.

Como identificar a otite em bebês

Quando uma criança sofre de otite, simplesmente indica o ouvido que dói e conta aos pais o que acontece com ela. No entanto, um bebê não tem habilidades verbais e, portanto, simplesmente chorará diante de qualquer dor.

Os pais devem tentar identificar o que poderia estar incomodando o seu filho. Não é uma tarefa fácil, por isso é bom ter consciência de que a manifestação de otite é bastante frequente em crianças pequenas, especialmente na temporada de verão.

Se houver suspeita de que a dor vem do ouvido, uma alternativa é apertar suavemente a orelha do bebê. Se você perceber que o choro aumenta quando faz essa pressão é possível que o seu filho apresente otite.

O que não se deve fazer

Se o bebê for muito pequeno e você suspeita de otite, leve a criança ao pediatra. Somente este especialista poderá fornecer um diagnóstico correto para saber se um tratamento específico será necessário ou não.

 
mãe segurando o filho enquanto a médica o examina para saber se tem otite

 

É aconselhável visitar o pediatra antes de tomar qualquer decisão sobre doenças que afetam as crianças

Além disso, lembre-se que a automedicação é extremamente perigosa em bebês de 0 a 3 anos. Jamais dê um antibiótico por conta própria sem a prescrição e a autorização do médico, pois você poderá colocar a vida da criança em risco.

Embora a otite em bebês seja bastante recorrente, tenha em mente que uma atuação negligente poderá desencadear problemas futuros.

Tratamento da otite em bebês

Geralmente a otite em bebês menores de 2 anos é tratada com antibióticos e anti-inflamatórios mais fracos. Tudo dependerá do histórico do bebê, e é por isso que o exame do médico será de extrema importância.

Os antibióticos e anti-inflamatórios indicados para os bebês costumam ser em gotas. Para a dor os médicos normalmente indicam analgésicos comerciais como o paracetamol ou o ibuprofeno, sempre em doses adequadas para crianças.

Lembre-se que o ibuprofeno não é recomendado para crianças menores de 6 meses de idade. Além desses analgésicos há outros cuidados que podemos oferecer aos pequenos para ajudar a melhorar a sua situação.

 

Criando as condições para tratar a otite

Durante a inflamação grande parte dos médicos recomenda suspender os alimentos alergênicos, e os que têm base em produtos lácteos.

É essencial secar cuidadosamente os ouvidos dos bebês após o banho para evitar a otite. Uma vez que o bebê já apresente a inflamação, dê ainda mais atenção ao secar os ouvidos para não agravar o quadro. Fora a água, ambientes extremamente secos podem causar mais dor e irritação na área afetada.

Alguns especialistas recomendam a aplicação de bolsas de água quente na orelha inflamada para aliviar a dor.

O cuidado com o ouvido é essencial em crianças pequenas

 

Como sabemos se a infecção piorou?

Se a criança apresentar secreções, tonturas, vômitos ou febre acima de 38 graus é importante que os pais a levem ao pediatra, ou ao pronto socorro. Lembre-se de que é fundamental controlar a febre em crianças pequenas.

Se o seu filho não conseguir andar corretamente, apresenta perda de equilíbrio, ou um pescoço rígido, leve-o ao médico imediatamente. O check-up médico é indispensável nestes casos.

Se uma criança em tratamento não apresentar melhora após as primeiras 48 horas é aconselhável voltar ao médico para verificar.

 

Alguns fatos sobre a otite em bebês

De acordo com a Sociedade Espanhola de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço, pelo menos metade das crianças espanholas sofrem de otite antes de atingir o primeiro ano de vida.

Os recém-nascidos prematuros e aqueles com predisposição genética são os mais propensos à essa infecção.

Resumindo, a otite é uma infecção controlável e recorrente, que raramente causa grandes inconvenientes. No entanto pode acarretar outras complicações se os pais não agirem prudentemente.