Nossos pais não morrem, eles se tornam invisíveis e dormem em nossos corações

Quanto daríamos para vê-los novamente, não é mesmo? Ouvir sua risada, sua voz, suas lições de vida nos momentos menos esperados.
Nossos pais não morrem, eles se tornam invisíveis e dormem em nossos corações

Última atualização: 25 Novembro, 2021

Os pais não morrem, eles se instalam em nossos corações. Embora o tempo passe e nos tornemos adultos, nada se compara ao amor que sentimos por eles. Sem poder vê-los, sem poder tocá-los, guardamos aquele sentimento profundo em nossa alma e sabemos que será eterno.

Como não amá-los? Como não sentir falta deles? Eles nos acolheram no mundo e nos tornaram as pessoas que somos hoje! Apesar dos erros, pois ninguém é perfeito, não há dúvida de que os pais são essa fonte de amor insubstituível mesmo depois de terem partido.

Nossos pais não morrem, eles se tornam invisíveis

Quanto daríamos para vê-los novamente, não é mesmo? Ouvir sua risada, sua voz, suas lições de vida nos momentos menos esperados. O olhar conhecedor e o abraço que recebemos naquele momento em que dissemos que estava tudo bem quando na verdade algo estava acontecendo.

A proteção e o cuidado que nossos pais nos dão não podem ser igualados por ninguém. O amor da mamãe e do papai é mais fiel do que o descrito nos votos prometidos em casamentos. “Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza”, nossos pais estão sempre presentes.

Os pais dormem em nossos corações

Cada palavra, cada gesto, cada conselho fica guardado na nossa memória, até mesmo as imagens daquelas ocasiões especiais. Depois de anos sendo nossos guias pessoais no caminho da vida, os pais deixam uma marca indelével em nossa alma.

Todos os ensinamentos recebidos agora fazem parte das ferramentas que usamos no dia a dia. É assim que nossos pais permanecem em nossos corações. Simplesmente assim, eles nos dão proteção, mesmo que não estejam mais nesse plano.

E sim, papai, mamãe, desde que vocês foram embora, sabíamos que nada seria igual. No meio da dor intensa que sentimos ao nos despedir, só queríamos voltar no tempo, congelar os momentos mais felizes, ficar em seus braços.

Foto de lembrança da infância.

Quando os pais se vão muito cedo

Quando a mãe ou o pai se vão no início da vida, os processos emocionais podem mudar radicalmente. Não é fácil dizer “adeus” e viver o luto na infância. Por mais que os avós ou tios tentem assumir a responsabilidade e tomar seus lugares, esse espaço será intocável.

A ausência física não significa que haja um sentimento de vazio absoluto, uma vez que os ensinamentos dos nossos pais permanecem conosco e novos capítulos de aprendizagem se abrem. Além disso, ainda temos as fotos, alguns objetos, o jardim de que tanto cuidaram e, quem sabe, aquelas receitas secretas de seus deliciosos pratos.

Obrigado, mamãe! Obrigado, papai!

Obrigado por me ensinarem o sentido da vida a partir de suas perspectivas, por me acompanharem em todas as fases do meu desenvolvimento e por me incentivarem a ser melhor. Obrigado por me dizerem que eu sou capaz.

Agora tenho seus abraços espirituais, os beijos e aquele amor incondicional que vocês me deram. Hoje, mais do que nunca, posso dizer que vocês não morreram, vocês ficaram invisíveis e repousam em meu coração.

Pode interessar a você...
Como falar sobre a morte com as crianças?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Como falar sobre a morte com as crianças?

Você não sabe como falar sobre uma questão tão complexa quanto a morte com as crianças? Clareza, honestidade e validação – esses são os pontos prin...