Parto cesariano: 3 coisas que você deve saber

· 20 de fevereiro de 2017

O que é o parto por cesárea, em quais casos esta prática é utilizada e como deve ser tratada a recuperação. Descubra neste artigo 3 coisas que você deve saber sobre o parto cesariano.

Você está chegando no final de sua gravidez e uma pergunta começa a ser frequente em toda reunião familiar ou com os amigos, “Parto natural ou por cesárea?“. A verdade é que você responde de acordo ao que vem falando com o seu ginecologista, mas sabe que isso não significa necessariamente que será respeitada ao pé da letra.

Inclusive em sua cabeça diversas dúvidas continuam flutuando já que um dos debates imediatos e inevitáveis após essa pergunta são os prós e contras tanto do parto natural como do parto por cesárea, incluindo os mitos, fazendo com que você tenha vontade de mudar a modalidade do parto.

Portanto, neste artigo de Sou Mamãe iremos contar detalhadamente como é o parto por cesárea, quais são as condições para que se utilize esta modalidade e quais cuidados posteriores são necessários. Preste atenção e anote estas 3 coisas que você tem que saber sobre a cesárea.

Parto por cesárea, o que é?

O parto por cesárea é um procedimento cirúrgico que envolve a abertura no ventre da mãe para chegar ao útero, de onde o bebê é retirado. Esse procedimento, realizado com a mulher acordada, pode ser programado com antecedência ou realizado de emergência diante de uma complicação ou imprevisto.

Para realizar esta intervenção que dura até uma hora, os médicos irão anestesiar a mãe. Seja com anestesia raquidiana, que consiste em uma dose única de efeito imediato, ou peridural, realizada gradualmente através de um tubo inserido nas costas.

Após anestesiar o corpo do tórax até os pés, o cirurgião faz uma incisão através do abdômen logo acima da zona púbica para conseguir abrir o útero (matriz) e a bolsa amniótica para finalmente retirar o bebê, o qual é higienizado limpando os fluidos do nariz e da boca, assim como o corte do cordão umbilical.

A equipe de neonatologia irá verificar se a respiração do bebê é normal e que os outros sinais vitais estão estáveis, enquanto o obstetra remove a placenta e, em seguida, fechar as incisões. É claro, a mãe pode ver e até mesmo ter o seu bebê em seus braços já na sala de parto.

95075a226a7e466ba73d5b4864063fd4-2-500x318

Em que casos se realiza um parto por cesárea?

Existem várias motivos pelos quais uma mulher grávida pode ter uma cesárea ao invés de parto vaginal. O ginecologista ou obstetra decidirá o tipo de parto, atendendo não só as condições de saúde e posição do bebê, mas também os partos anteriores da mulher e seu histórico médico.

Como já mencionamos, os médicos podem indicar uma cesárea caso haja uma emergência ou podem programá-la com antecipação. Atente, pois os casos em que se recorre a este procedimento estão descritos abaixo.

Casos de parto por cesárea agendada:

  • Se você já teve uma cesárea “clássica” com corte uterino vertical (rara) ou mais de uma cesárea pois são fatores que podem aumentar o risco de ruptura uterina durante o parto vaginal.
  • Se você já teve qualquer outra cirurgia uterina, como miomectomia (remoção de miomas).
  • Quando a criança aparece de nádegas ou está de lado.
  • Você pode ir imediatamente para uma cesárea se o bebê tiver alguma doença ou anomalia fetal que o coloque em perigo diante de um parto vaginal.
  • Quando você está esperando mais de um bebê. Alguns gêmeos podem nascer por via vaginal, mas sendo trigêmeos ou mais que estão a caminho, será imperativo realizar uma cesárea.
  • Se um bebê grande é aguardado, especialmente quando você é diabética, ou se já teve um bebê de tamanho igual ou menor, e que sofreu traumatismos graves durante o parto vaginal.
  • Em casos de placenta prévia, isto é, quando está abaixo no útero, chegando a abrir o colo do útero.
  • Quando há obstrução, como um mioma, o parto vaginal se complica.

Casos de cesárea de emergência

  • Quando ocorre um desprendimento prematuro da placenta da parede uterina.
  • Quando o colo do útero interrompe sua dilatação ou o bebê não desce pelo canal do parto, enquanto que as tentativas para retomar o processo não funcionam.
  • A frequência cardíaca basal do bebê não é animadora para o médico.
  • Deriva-se de uma cesárea quando há um prolapso do cordão umbilical, isto é, que desliza através do colo do útero podendo cortar o fornecimento de oxigênio do bebê.

Recuperação e cuidados após uma cesárea

e4f2dd1f5d408c298e78f3477e5e6634

Após o parto por cesárea, a recuperação lenta da mulher requer um grande cuidado: a internação da mãe dura até 4 dias, é fundamental cuidar da cicatriz para evitar infecções e até mesmo é preciso estar em casa repousando durante quatro semanas. Portanto, é importante ter ajuda para o cuidado de seu bebê.

Inicialmente você sente dor ao espirrar, tossir ou realizar qualquer ação que possa causar alguma pressão sobre o abdômen. Tenha calma e use as mãos ou um travesseiro para apoiar a sua incisão quando for rir, tossir ou espirrar. Este desconforto terminará em breve e ao ver o seu bebê entenderá que tudo valeu a pena.

Você pode sentir também um desconforto pelo acúmulo de gases dois dias após o nascimento por cesárea. Isto é porque os intestinos estão preguiçoso após a cirurgia. Sair e dar alguma voltas pelo corredor pode lhe ajudar para que seu sistema digestivo volte ao normal.

Certamente irão indicar a você  analgésicos para aliviar a dor e algum remédio, além de te recomendar uma boa hidratação para evitar a prisão de ventre. Com o tempo você verá que essa pequena incisão se tornará imperceptível e o desconforto será apenas uma lembrança da luta que lhe trouxe a maior alegria.