Pedagogia crítica: no que ela consiste?

14 de janeiro de 2020
Existem diferentes ramos dentro da pedagogia como ciência. A pedagogia crítica é uma delas, e é sobre ela que vamos nos aprofundar neste artigo.

Para conhecer em que consiste a pedagogia crítica, devemos considerar que ela faz parte da pedagogia como disciplina mãe.

A pedagogia é uma disciplina encarregada de estudar, analisar e aperfeiçoar o fenômeno educativo e o ensino em toda a sua complexidade. Assim, é uma ciência aplicada de caráter psicossocial, que tem como objetivo organizar a educação e a formação das pessoas.

A pedagogia foi se diversificando em diferentes ramos de estudo centrados em aspectos específicos e, desse modo, foram se desenvolvendo diferentes tipos de pedagogia. Conheceremos nesse caso a pedagogia crítica.

Pedagogia crítica: no que ela consiste?

Trata-se de uma proposta metodológica alternativa de ensino que tem como propósito ajudar os alunos a questionar e desafiar a dominação, as crenças e práticas que a geram.

Aliás, quando dizemos “dominação”, estamos nos referindo a uma situação na qual uma pessoa ou grupo, por meio da persuasão, da pressão, da ameaça ou até mesmo da força, impõe as suas ideias, as suas regras e os seus pontos de vista, suas crenças ou verdades.

Pedagogia crítica

A pedagogia crítica se baseia na ciência social crítica, nas ideias de Antonio Gramsci, filósofo, político e pensador marxista italiano. Essas ideias foram posteriormente retomadas pelo pensamento contestador da América Latina.

Paulo Freire (1921-1997), nascido no Brasil, foi um dos principais representantes e impulsor da pedagogia crítica e um dos mais influentes teóricos do século XX. As suas ideias estão desenvolvidas em obras como, por exemplo, Educação como prática da liberdade ou Pedagogia do oprimido, obras consideradas fundamentais não apenas no âmbito educativo e pedagógico, mas também em outros âmbitos, como no social e no político.

Nesse sentido, Freire desenvolve no Brasil uma poderosa ação pedagógica e política. Essa ação se consistiu em um processo de alfabetização generalizado urgente, dado o elevado analfabetismo que existia. No entanto, foi um processo, sobretudo, de alfabetização política.

Princípios e objetivos fundamentais da pedagogia crítica

O seu objetivo principal é construir uma sociedade mais justa e mais humana. Para isso, a pedagogia crítica procura conseguir uma relação constante entre teoria e prática (práxis), para alcançar e desenvolver nos estudantes um pensamento crítico, ou seja, um pensamento que permita que eles questionem as figuras e as relações de poder que operam nas sociedades.

Em outras palavras, uma pedagogia crítica é uma pedagogia revolucionária, imersa em um método dialético de ensino. Assim, ela se inicia com a experiência (prática) dos estudantes e aproveita essa prática para ajudá-los a ter uma compreensão mais crítica, estrutural e científica da sua vida diária em relação às vidas dos demais e, além disso, para ter uma compreensão crítica das mediações institucionais, culturais e sociais que estruturam essas relações (teoria).

Paulo Freire defendia a capacidade dos estudantes de pensar criticamente sobre a sua própria situação educativa, reconhecendo nela e nas suas experiências conexões com o contexto social mais amplo. Isso era uma condição para uma educação libertadora, que pudesse tomar medidas contra a opressão e contra os poderes que operam na sociedade.

Portanto, Freire, em seu livro Pedagogia do oprimido, faz uma crítica à educação e às pedagogias tradicionais, qualificando-as como “bancárias”. Ele sustenta que essas pedagogias consideram os estudantes como recipientes nos quais será depositado o saber.

Assim, o autor não aceita a ideia de um educador como o único possuidor do saber que o transmite aos estudantes, transformando-os em sujeitos passivos.

Pelo contrário, o papel dos educadores não é oferecer aos estudantes respostas dogmáticas ou preestabelecidas para os problemas sociais, econômicos e políticos. O papel dos educadores é encorajar e estimular os estudantes a questionar e a problematizar as injustiças sociais existentes.

Pedagogia crítica

Principal legado dessa pedagogia na atualidade

Já falamos no que consiste a pedagogia crítica, mas queremos destacar também qual foi o seu legado e quais das principais ideias tomadas como base para a pedagogia crítica continuam sendo retomadas por teóricos e pensadores de diversos âmbitos culturais, acadêmicos, sociais e científicos.

O principal legado de uma pedagogia crítica para os desenvolvimentos teóricos e as práticas sociais é que ela assume como princípio fundamental o fato de que o processo educativo é uma ação cultural e, além disso, que isso é imprescindível para a mudança social e para alcançar uma sociedade formada por homens e mulheres livres.

Assim, é fundamental que os educadores ensinem os estudantes a pensar na sociedade na qual estão desenvolvendo o seu processo de aprendizagem. Dessa forma, os estudantes devem conseguir construir o conhecimento como um ato político, transformando-se em seres sociais ativos, críticos e pensantes da sociedade na qual estão inseridos.