O que são os picos de crescimento e como enfrentar este processo?

· 13 de março de 2019
Os picos de crescimento também são chamados de crises e são um processo completamente normal do desenvolvimento infantil. Saiba o que são e qual é a melhor maneira de enfrentar esses desafios da maternidade.

Ao ter o seu bebê nos seus braços, você experimenta uma emoção indescritível que quer prolongar ao longo do tempo. No entanto, seu filho vai crescer e se tornar uma criança sadia e saudável.

Ao longo desse tempo, você terá que experimentar algumas mudanças, como os chamados picos de crescimento. Isso é completamente normal, pois seu filho está começando a se desenvolver.

O que são os picos de crescimento?

São considerados crises, surtos ou picos de crescimento os momentos nos quais os bebês experimentam um aumento de tamanho. Como consequência, isso faz com que se sintam insatisfeitos com a produção de leite materno e demandem ainda mais.

Durante esses períodos, é normal que se sintam desconfortáveis e chorem muito, como se estivessem reclamando de insatisfação.

Esse processo natural faz com que a mãe produza mais leite materno e, assim, atenda às necessidades da criança. Tenha em mente que essa produção é regulada pela demanda do bebê, então tudo vai se ajeitar naturalmente.

Por que os picos ocorrem?

Essas etapas da vida do bebê ocorrem, como o próprio nome indica, devido ao crescimento. O bebê cresce e exige uma maior quantidade de alimento para garantir a energia necessária para o desenvolvimento neurológico, motor e até mesmo psicológico. Da mesma forma, o corpo da mãe aumenta a sua produção diante de tal solicitação.

Com que frequência os picos de crescimento ocorrem?

Cada criança é muito diferente da outra e tem necessidades específicas, portanto o intervalo de tempo em que os picos de crescimento ocorrem pode variar. No entanto, geralmente são mais frequentes nos primeiros meses de vida.

Em termos gerais, eles podem ocorrer nos seguintes momentos:

Entre 15 e 20 dias de nascidos

Ao nascer, os bebês geralmente têm necessidades mais ou menos regulares, com padrões de sono previsíveis.

No entanto, ao chegar à terceira semana, esse padrão muda e o comportamento também. Durante cerca de dois ou três dias, o bebê vai solicitar alimentação a cada 30 minutos e ficar bravo se o retirarmos do peito.

Com que frequência os picos de crescimento ocorrem

Entre as semanas 6 e 7 de idade

Estima-se que, 40 dias após o nascimento do bebê, o leite mude sua composição para um sabor mais salgado. Mais uma vez, essa crise é experimentada novamente, de tal forma que o bebê vai ficar tenso e irritado devido à adaptação à mudança. Essa fase geralmente dura até 1 semana.

Terceiro mês de idade

É nesse período que um grande número de mães desistem da amamentação em decorrência da rejeição do bebê. Nessa idade, o bebê já sabe se alimentar e consegue o esvaziamento do peito rapidamente. No entanto, estímulos externos fazem com que ele se distraia e solte o peito.

Nesse ponto, o bebê consegue entender que a produção de leite ocorre quando ele pede, devido a vários processos no corpo da mãe. Essa adaptação pode durar até 3 ou 4 semanas.

Sexto mês de vida

Após os seis meses de idade, as crises de crescimento são menos frequentes porque o bebê começa a consumir alimentos sólidos. Por essa razão, as crises são mais fáceis de lidar e a mãe consegue entendê-las sem se desesperar.

Durante os picos de crescimento, o bebê cresce e exige maior quantidade de alimento para garantir a energia necessária para o desenvolvimento neurológico, motor e até mesmo psicológico.

A partir de um ano de idade em diante

Após 12 meses, ocorrem novos picos de crescimento que aumentam o número de mamadas por dia. Nesse período, a frequência é múltipla e serve para que a criança busque consolo e conforto na mãe.

O que fazer diante de uma crise de crescimento?

Especialmente nas mães de primeira viagem, essa condição pode gerar frustração e sentimentos de inutilidade. Por isso, você deve trabalhar a parte psicológica e reforçá-la com muita paciência, carinho e amor.

Algumas dicas dos especialistas são:

  • Dê o peito ao seu bebê o quanto ele quiser e sempre que precisar. Se o seu objetivo é o aleitamento materno exclusivo, evite dar a mamadeira, pois isso atrapalha a produção de leite.
  • Consuma um pouco mais de alimentos. Dessa forma, você poderá contar com as calorias e a energia necessárias para a produção de leite e para atender o bebê.
O que fazer diante de uma crise de crescimento

  • Lembre-se de que é algo passageiro. Pense que esta é uma situação que vai durar pouco tempo.
  • Se a criança não quiser se alimentar, não a obrigue. Entretanto, também não deixe que ela chore de fome, porque quando a criança entra em desespero, a alimentação se torna mais difícil.

Finalmente, tenha em mente que é um processo natural de crescimento que é acompanhado por choro e estresse. Por isso, é necessário se informar. Entender esse processo pode te ajudar a usar as ferramentas certas para agir e não fracassar.

Em resumo, os picos de crescimento nada mais são do que um sinal de que o bebê está crescendo para se tornar uma criança saudável. Assim, estar preparada pode te ajudar a reduzir a frustração gerada por esse processo natural de desenvolvimento.