Perigos da gravidez em uma idade precoce

5 de maio de 2019
Estima-se que, na maioria dos países latino-americanos, a cada mil adolescentes cem ficam grávidas. Considerando esse número bastante elevado, vale a pena se perguntar que tipo de riscos podem existir para a saúde da jovem e do feto ao ser mãe em uma idade precoce.

Os perigos da gravidez em uma idade precoce são múltiplos. As adolescentes podem apresentar desde partos prematuros, abortos espontâneos e infecções até lacerações vaginais e cervicais na hora do parto.

As gestações em idades muito precoces são classificadas como gestações de alto risco e requerem uma atenção especial para garantir o melhor estado de saúde da jovem e do feto.

Embora a educação sexual adequada possa prevenir a gravidez na adolescência em grande medida, quando já é tarde demais e a jovem já está grávida, a assistência médica correta para essa delicada gravidez pode fazer a diferença.

Perigos da gravidez em uma idade precoce

As gestações em uma idade precoce, ou gravidez na adolescência, são definidas como aquelas nas quais a mãe tem entre 12 e 18 anos de idade. Em alguns casos extremos, houve registros de meninas grávidas aos 10 ou 11 anos de idade.

As gestações nessa faixa etária são consideradas de alto risco, pois podem ter consequências negativas para a saúde da mãe e do feto. A lista de complicações é longa e abrange tanto problemas físicos quanto psicológicos.

Complicações físicas para a saúde da mãe

Certamente, as afecções físicas podem variar de acordo com a idade da jovem gestante. No entanto, em quase todos os casos, elas estão expostas a:

  • Hemorragias.
  • Abortos espontâneos.
  • Partos prematuros: em quase todos os casos, os partos ocorrem antes da 36ª ou 37ª semana de gestação.
  • Infecções urinárias.
  • Pré-eclâmpsia.
  • Anemia.
  • Lacerações vaginais ou cervicais no parto.
  • Muitas vezes, é necessário recorrer a cesarianas para receber a criança.
  • Problemas com o útero após o parto, que permanece distendido ou então leva muito tempo para voltar ao estado normal.
Complicações físicas para a saúde da mãe

Problemas psicológicos na mãe após o parto

As gestações em uma idade precoce não causam apenas problemas físicos para a mãe, mas também podem trazer dificuldades emocionais, mentais e sociais para as jovens. Após o nascimento do bebê, muitas mulheres relatam:

  • Rejeição ao bebê: por ainda serem muito jovens e não entenderem as obrigações ligadas à maternidade, muitas mães começam a sentir raiva e frustração, bem como sentimentos contraditórios ou de culpa.
  • Sentem-se rejeitadas socialmente e perdem a interação natural com as pessoas da sua idade porque precisam cumprir com as tarefas maternas.
  • Sentem-se continuamente julgadas pelos pais ou parentes; sentem que carregam um fardo devido às suas más ações ou por seus erros.

“A assistência médica correta para as gestações em uma idade precoce pode fazer a diferença.”

Perigos para o feto da gravidez em uma idade precoce

As crianças cujas mães eram adolescentes ou mulheres muito jovens durante a gravidez também podem sofrer de problemas de saúde ligados aos altos riscos desse tipo de gestação.

Nos casos em que as mães têm menos de quinze anos, existe o risco de que a criança apresente malformações, distúrbios do desenvolvimento e problemas de saúde generalizados e contínuos. Em 50% dos casos, os bebês podem morrer nas primeiras semanas de vida.

Devido à imaturidade do útero da mãe, a maioria dos filhos de mães adolescentes tem um peso menor do que o recomendado. Além disso, eles podem sofrer de desnutrição e anemia.

Já na idade escolar, na infância e na adolescência, as crianças cujas mães as conceberam entre as idades de 12 e 16 anos têm uma menor taxa de aprendizado escolar em relação aos seus colegas.

Perigos da gravidez em uma idade precoce para o feto

Prevenção da gravidez precoce

A educação sexual, hoje mais do que nunca, deve ser uma prioridade em todos os lares. Todas as ONGs estão engajadas em campanhas informativas em escolas e instituições para que os adolescentes conheçam as consequências de iniciar a sua vida sexual em uma idade precoce e sem a ajuda de métodos contraceptivos.

Em alguns países latino-americanos, como a Argentina, por exemplo, a legalização do aborto está sendo altamente debatida atualmente com a finalidade de prestar assistência às mulheres que não queiram levar uma gravidez adiante.

Enquanto isso, no México, anticoncepcionais reversíveis e de longa duração são fornecidos gratuitamente para as jovens que os solicitarem.

Por fim, é importante ressaltar que, caso haja uma adolescente grávida em casa, é essencial fazer um pré-natal completo. Da mesma forma, o apoio e a ajuda dos familiares também serão extremamente úteis para garantir a boa saúde da mãe e do bebê.