Perigos do uso prolongado da mamadeira e chupeta

Você sabe com que idade deve parar de dar mamadeira ou chupeta ao seu filho? Descubra as consequências de prolongar o uso desses elementos além do recomendado.
Perigos do uso prolongado da mamadeira e chupeta

Última atualização: 29 março, 2022

Você sabia que prolongar o uso da mamadeira e da chupeta além das idades recomendadas pode ser prejudicial ao seu bebê? Embora esses produtos não sejam prejudiciais por si só, o uso prolongado é.

Tanto a mamadeira quanto a chupeta são boas aliadas na educação de algumas crianças e tendem a se tornar inevitáveis no dia a dia. Mas é importante usá-los bem para evitar o aparecimento de certos problemas bucais. Vamos falar sobre eles abaixo.

A ação da mamadeira e da chupeta na boca

O uso de bicos artificiais por bebês, seja da mamadeira ou da chupeta, é algo bastante naturalizado e comum. Apesar disso, nem todos os pais têm consciência de seus benefícios ou dos possíveis danos à boca de seus filhos.

Ao estar na cavidade oral do bebê, o mamilo desencadeia os movimentos de sucção. Essa ação pode ser nutritiva (ao se alimentar) ou não nutritiva, que é utilizada para fins de relaxamento e até mesmo para a prevenção da morte súbita.

Esse produto foi desenvolvido para simular as características do mamilo da mãe, que se adapta perfeitamente à boca da criança. No entanto, o mecanismo de sucção da mama e dos bicos é um pouco diferente.

Com o seio materno, o bebê deve exercer alguma força e movimentos com a boca para ordenhar o leite materno. Isso favorece a nutrição, o crescimento e o correto desenvolvimento das estruturas orofaciais.

Ao contrário, quando o bebê é alimentado com mamadeira o processo é muito mais simples, pois não é necessário tanto esforço para obter o alimento. A longo prazo, isso pode levar à hipotonia dos lábios e da língua.

Em relação à chupeta, a sugestão é não oferecê-la até que o aleitamento materno esteja bem estabelecido. As crianças que não usam esse elemento encontram outras formas de se acalmar, como a sucção não nutritiva do seio, da mão ou da própria língua.

Mãe dando a mamadeira para o filho.

Mudanças na sucção

Conforme o bebê cresce, a dieta evolui e muda. Por volta dos 6 meses, o reflexo de sucção desaparece e a hora das refeições já é um ato aprendido e voluntário. Nesse momento, a incorporação de alimentos sólidos desempenha um papel fundamental na mudança da forma de deglutição.

Portanto, até 12 meses é recomendado o uso de chupeta e mamadeira. Mas depois dessa idade, é hora de retirá-los e ir passar a usar o copo.

Os perigos do uso prolongado da mamadeira e da chupeta

A não retirada da mamadeira e da chupeta a tempo está associada ao desenvolvimento de certos perigos e efeitos negativos na boca das crianças. A seguir, mencionaremos as consequências mais frequentes de seu uso prolongado.

1. Maloclusões orais

Esse é um dos perigos mais comuns. Pois bem, a presença do bico entre os dentes, a continuação da sucção e a falta de desenvolvimento da deglutição adequada limitam o correto desenvolvimento das estruturas orofaciais.

O crescimento inadequado dos maxilares resulta em arcadas dentárias mais estreitas e palatos mais profundos. Isso, por sua vez, dá origem a problemas de oclusão e mal posicionamento dental, como os detalhados a seguir:

  • Mordida aberta: é o desenvolvimento de um maxilar superior estreito, cujos dentes não tocam os inferiores. Os incisivos superiores se projetam para fora e há um espaço entre os dois arcos que não completa a oclusão.
  • Mordida cruzada: devido ao desenvolvimento inadequado, as arcadas dentárias mordem de forma oposta ao normal. Os elementos dentais inferiores ficam por fora dos superiores e causam transtornos estéticos, fonéticos, mastigatórios e digestivos à criança.
  • Alterações da articulação temporomandibular (ATM): os perigos de ter problemas nessa articulação, como luxações ou bruxismo, são aumentados com o uso prolongado da mamadeira e da chupeta.
  • Maus posicionamentos dentais: o prolongamento da sucção leva a língua a empurrar os dentes. Isso pode contribuir para que saiam tortos ou se movem do lugar.

Nesses casos, o tratamento ortopédico e ortodôntico na infância costuma ser necessário para reverter e tratar essas maloclusões.

2. Cárie de mamadeira

Dormir com a mamadeira na boca e molhar a chupeta em substâncias doces promovem o desenvolvimento de cáries na primeira infância. Essa é uma forma muito agressiva da doença, pois destrói rapidamente os dentes de leite.

O quadro é produzido pela permanência do contato do açúcar (do leite ou de outras bebidas) com as superfícies dentais. Se outros adoçantes também forem adicionados, o problema fica muito maior.

3. Problemas dos tecidos moles

Outro perigo de prolongar o uso da mamadeira e da chupeta é a alteração da musculatura orofacial.

Ao realizar movimentos inadequados para a idade da criança e ao mesmo tempo limitar os que seriam adequados, ocorre um desequilíbrio nas estruturas da face. Essas alterações se manifestam por meio de deformidades, dor ou algum dos seguintes sintomas:

  • Eversão do lábio inferior: essa estrutura cai para fora, pois não tem o tônus adequado e causa problemas na articulação dos fonemas.
  • Hipotonia da língua: uma língua fraca, sem força, com baixo tônus muscular e pouca mobilidade traz complicações para lidar com os alimentos na boca, engolir e articular palavras.

4. Alteração das funções

Devido às malformações e aos desequilíbrios que ocorrem, várias funções da boca podem ser afetadas. Dentre elas, destacam-se:

  • Fala: a articulação de certos fonemas não é possível devido a problemas nos lábios, na língua, no palato ou nos dentes. Por sua vez, as dislalias podem causar insegurança ou baixa autoestima na criança.
  • Deglutição atípica: o prolongamento do uso da mamadeira e da chupeta favorece o desenvolvimento de um mecanismo de deglutição anormal. A criança apoia a língua entre os dentes para engolir e compensar o fechamento da boca com os músculos.
  • Respiração oral: o uso da chupeta favorece a respiração oral, que dá origem ao palato ogival.
  • Alteração da postura cérvico-craniana: alterações na deglutição e nas funções respiratórias causam um mau posicionamento da cabeça e do pescoço para compensar os danos. Isso acaba afetando a postura global.

5. Infecções

A sucção contínua aumenta a produção de saliva, e esse excesso de umidade favorece o desenvolvimento de microrganismos na boca.

A candidíase oral ou as aftas são alguns dos perigos associados ao uso prolongado de mamadeira e chupeta. Eles se manifestam como placas esbranquiçadas nos cantos dos lábios ou na língua.

Além disso, colocar a mamadeira na posição horizontal ou manter a sucção constante pode afetar o funcionamento das trompas de Eustáquio e predispor ao desenvolvimento de otite média recorrente.

Língua de uma criança com infecção de candidíase oral.

Recomendações para evitar os perigos de prolongar o uso da mamadeira e da chupeta

Para evitar todos os perigos de prolongar o uso da mamadeira e da chupeta, retirar esses elementos a tempo é a solução indicada. Mas, na prática, isso pode se tornar um tanto difícil.

Por volta dos 12 meses a criança está pronta para beber em um copo e não usar mais a mamadeira. Praticar o uso do copo desde o início da alimentação complementar auxilia o pequeno a chegar ao primeiro aniversário com essa habilidade dominada.

Durante o uso da mamadeira, é aconselhável escolher bicos com pequenos orifícios de saída e baixo fluxo para estimular a musculatura orofacial. Além disso, é aconselhável alimentar os pequenos em posição vertical e não deitados.

O uso da chupeta pode continuar por mais tempo, mas não deve ultrapassar os 2 anos de idade. Portanto, é aconselhável encontrar outras formas de acalmar a criança, como embalá-la ou cantar uma música.

Cuidar da higiene bucal adequada do seu filho também ajudará a prevenir as cáries. Da mesma forma, você deve evitar adicionar açúcar às bebidas e não adoçar os bicos. Você também não deve colocar a criança para dormir com a mamadeira na boca e sempre deve fazer uma limpeza oral após a alimentação, antes de colocá-la na cama.

Em ambos os casos, deixar esses objetos de apego, prazer e segurança significa um luto para os pequenos. Portanto, é melhor ser respeitoso e antecipar a nova situação com antecedência. Não é algo que vai acontecer da noite para o dia, e você tem que ter paciência, pois acompanhar o processo com amor e muita calma é essencial.

This might interest you...
O uso da chupeta e da mamadeira é prejudicial para as crianças?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
O uso da chupeta e da mamadeira é prejudicial para as crianças?

Dizem que "onde há fumaça, há fogo", por isso, é melhor não nos preocuparmos sobre a controvérsia que sempre existiu sobre se é recomendável ou não



  • Sánchez, L. M., González, E. D., Florensa, S. G. T., & Marti, J. G. (2000, January). Uso del chupete: beneficios y riesgos. In Anales de Pediatría (Vol. 53, No. 6, pp. 580-585). Elsevier Doyma.
  • Cahuana, A., Palma, C., González, Y., & Palacios, E. (2016). Salud bucodental materno-infantil.¿ Podemos mejorarla?. Matronas profesión. Matronas Prof17(1), 12-19.
  • Bryson, T. P. (2021). El abecé del recién nacido: Una guía esencial que responde a las principales dudas y preocupaciones de la crianza de bebés y niños pequeños. ALBA Editorial.
  • Revelo Navarrete, C. E. (2019). Prevalencia y severidad de caries de la primera infancia y sus factores de riesgo en niños de edad preescolar (Bachelor’s thesis, Quito: UCE).
  • Claros Navarrete, S. D. (2021). Prevalencia de caries de biberón (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil. Facultad Piloto de Odontología).
  • Campoverde, L. A. G., Soto, A. R., & Cantero, L. S. (2020). Factores de riesgo de la malocusión. Medicentro Electrónica24(4), 753-766.
  • Illescas, M. V. L., Soto, A. R., & González, B. G. (2019). Maloclusiones dentarias y su relación con los hábitos bucales lesivos. Revista Cubana de Estomatología56(2), 1-14.
  • Suasnavas Pazmiño, P. F. (2021). Relación entre el tipo de lactancia y la succión no nutritiva con la maloclusión en la primera infancia. Revisión de literatura (Doctoral dissertation, Quito: Universidad Hemisferios 2021).
  • Moscardó, M. F. B. (2019). Relación de la maloclusión con los hábitos de succión nutritivos y no nutritivos (Doctoral dissertation, Universidad de Alcalá).