Pielectasia renal em bebês

5 de junho de 2018
É uma descoberta frequente nas ultrassonografias pré-natais. Segundo as estatísticas, a pielectasia renal em bebês é uma das doenças mais frequentes adquiridas no nascimento. O que você deve saber sobre o assunto? É grave?

A pielectasia renal é basicamente uma leve contração da pelve renal com ou sem dilatação dos cálices. Ela se desenvolve em uma pequena estrutura no organismo em forma de funil que drena ou coleta a urina do rim para o ureter, que são os tubos que transportam a urina para a bexiga.

Em certas situações, isso pode causar a obstrução de fluxo. A consequência disso é o aumento de pressão no corpo, que por sua a vez, aumenta a pelve.

O número de casos de pielectasia renal em bebês varia. As meninas são menos propensas a desenvolver anormalidades renais. No entanto, na maioria dos pacientes do sexo masculino, essa condição desaparece quando completam seis meses de idade.

Portanto, independentemente do sexo do bebê, é preciso uma atitude responsável para realizar o diagnóstico e o tratamento. Apesar da frequência de pielectasia renal em bebês, é difícil encontrar uma relação com as doenças da mãe ou com a medicação que a mãe toma.

O que pode causar a pielectasia renal em bebês?

Alguns fatores que podem causar a pielectasia renal em bebês são os seguintes:

  • Refluxo, quando a urina retorna ao rim.
  • Obstrução no sistema urinário.
  • O ureter é composto por tubos muito estreitos ou há a obstrução de alguma passagem.
  • Parto prematuro
  • Infecção do trato urinário

Além disso, podem existir outros fatores. Muitas vezes, a presença de pielectasia renal em bebês é causada pela fraqueza geral e pela presença de problemas neurológicos.

Sintomas da pielectasia renal em bebês

Se você notar alguns desses sintomas, é importante levar seu filho ao pediatra pois ele pode estar sofrendo de pielectasia renal. Observe se há um aumento significativo da temperatura corporal e dor regular no abdômen. Além disso, na maioria dos casos, o fluxo de urina é interrompido.

Esses sintomas aparecem apenas nos últimos estágios ou quando ocorrem complicações. Portanto, é importante agir rapidamente.

Como a pielectasia renal pode ser detectada?

Ela é detectada por meio de ultrassonografia pré-natal e classificada de acordo com o grau de dilatação. Por exemplo, pode ser leve (-10 milímetros), moderada (entre 11 e 15 milímetros) e grave (+ 15 milímetros).

Se o bebê não receber o devido tratamento, pode ficar suscetível a um grande número de condições que afetam os rins das crianças. Por isso é necessário realizar os exames regularmente, incluindo o ultrassom.

Muitos bebês que sofrem de pielectasia renal apresentam um aumento do nível de pressão nos órgãos e sua funcionalidade reduzida. Um tipo de complicação é a pielonefrite, isto é, inflamação dos tecidos do rim.

Se você notar qualquer um desses sintomas em seu bebê, não dê medicamentos por conta própria. Pelo contrário, vá imediatamente ao médico, pois o especialista poderá fazer um exame e dar o diagnóstico correto.

Muitas vezes, a presença de pielectasia renal em bebês é causada pela fraqueza geral e pela presença de problemas neurológicos

Quando é preciso fazer cirurgia?

É necessário realizar uma cirurgia quando o ureter não apresenta um sistema de construção normal e não pode ser curado por meio dos medicamentos. A cirurgia também é necessária quando há um aumento excessivo no crescimento dinâmico da pelve renal, tanto à esquerda quanto à direita.

Em outros casos, recorre-se a cirurgia quando o bebê apresenta complicações. Essas medidas são usadas para eliminar os efeitos do refluxo infantil. Esse procedimento libera o fluxo de excreção urinária.

A pielectasia renal em bebês causa desconforto

Tratamento contra a pielectasia renal em bebês

Infelizmente, não existe uma receita mágica para resolver o problema antes que o bebê nasça. No entanto, a ultrassonografia ajuda a preparar para a possibilidade de vários desconfortos que a criança pode sofrer.

A ausência de tratamento durante a gravidez pode levar a consequências muito graves, como a morte do feto.

Mais tarde, quando a criança cresce, os órgãos ficam sujeitos a mudanças, e então, estes podem ser movidos para o lugar certo. Nesse caso, os sintomas da doença desaparecem.

Por fim, sempre leve seu bebê ao pediatra. Uma vez que as causas da formação da pielectasia renal em bebês tenham sido identificadas, o profissional vai poder recomendar o tratamento. Na maioria dos casos, o tratamento consiste em tomar medicamentos e fazer fisioterapia.

Recomendados para você