A poda sináptica na infância e na adolescência

23 Abril, 2020
A poda sináptica é o processo por meio do qual o cérebro da criança e do adolescente alcança um melhor funcionamento e adaptação ao ambiente.

À primeira vista, a infância e a adolescência parecem ser duas fases da vida que são muito diferentes entre si. No entanto, elas compartilham algumas semelhanças. Não é à toa que os dois anos de idade sejam chamados de ‘primeira adolescência’. É nesse momento que ocorre um processo cerebral muito semelhante ao que ocorre por volta dos 12-14 anos: a poda sináptica.

O cérebro humano é um órgão complexo e fascinante que está em constante mudança, especialmente durante as duas primeiras décadas de vida. Compreender o seu funcionamento pode nos ajudar a nos colocar no lugar das crianças e dos adolescentes e a acompanhá-los com amor durante essas transições. Por isso, neste artigo, vamos conhecer o que é a poda sináptica e como ela afeta as crianças e os adolescentes.

O que é a poda sináptica?

A poda sináptica é um processo cerebral que envolve a eliminação de conexões entre neurônios. Elas são formadas a partir dos aprendizados, mas quando estão presentes em excesso, o cérebro se torna ineficiente. Por isso, a poda procura se livrar de conexões pouco utilizadas, para que a capacidade cerebral fique disponível para as que são mais úteis e mais utilizadas.

A poda sináptica na infância e na adolescência

Em suma, é um processo de remodelação do cérebro. A partir dele, o número de conexões existentes é reduzido e as que permanecem são fortalecidas. Essa regulação faz com que o cérebro alcance o funcionamento ideal e, acima de tudo, fique mais adaptado ao ambiente.

A poda sináptica na infância

Desde o estágio embrionário até os dois anos de idade, são geradas numerosíssimas conexões neurais, que são o resultado das descobertas que a criança está fazendo e do conhecimento que ela está adquirindo. E, após esse crescimento exponencial, há um primeiro momento de poda e reestruturação.  

Trata-se de um processo programado, necessário para a criança se desenvolver adequadamente. No entanto, o ambiente tem uma influência importante, e é aqui que a educação pode fazer a diferença:

  • É necessário que o bebê receba estímulos adequados para que a poda ocorra. Caso contrário, será mantido um número excessivo de conexões que deixará o cérebro menos eficiente. Em suma, a criança perderá habilidades.
  • Trata-se de um processo que tem como objetivo obter uma melhor adaptação ao ambiente. Portanto, as influências externas terão um impacto sobre quais serão as conexões que vão permanecer e quais serão eliminadas.
    • Aquelas que a criança usa com maior frequência serão fortalecidas, enquanto as menos utilizadas vão desaparecer. Portanto, é a educação que orienta essa remodelação do cérebro. As áreas e habilidades mais trabalhadas com a criança serão aquelas que vão permanecer e se fortalecer.

O que acontece na adolescência?

Anteriormente, acreditava-se que, ao atingir a adolescência, o cérebro já estivesse totalmente formado. No entanto, foi descoberto que cada região do cérebro segue o seu próprio curso e que certas áreas continuam criando sinapses durante a puberdade.

Esse é o caso do córtex pré-frontal, que passa por um grande aumento nas conexões durante os 11 e 12 anos de idade, dando assim espaço para um novo processo de poda.

A poda sináptica na infância e na adolescência

Temos que considerar que essa região do cérebro é a responsável pelo planejamento, pela organização, pelos objetivos… E que ela não alcançará o desempenho ideal até que o processo seja concluído (aproximadamente aos 20 anos). Diante dessa perspectiva, é mais fácil entender as dificuldades que os adolescentes têm com as funções executivas.

Eles estão selecionando e descartando informações, estão moldando a sua capacidade de autorregulação, mas ela ainda não está adequadamente desenvolvida. Por isso, os adultos devem ser compreensivos com os adolescentes e servir como guia e regulação até que eles possam fazer isso sozinhos.

Da mesma forma, ao final da segunda década de vida, o córtex pré-frontal terá sido integrado a outras estruturas cerebrais, como a amígdala (responsável pelos impulsos e pelas emoções). Assim, as reações automáticas passarão a estar reguladas e a impulsividade típica da adolescência diminuirá.

Orientar o processo

Em suma, a poda sináptica é um processo cerebral natural e necessário. Ela ajuda o cérebro a amadurecer e otimizar o seu funcionamento. No entanto, estar ciente de quando essa remodelação cerebral ocorre nos ajudará a entendê-la. E, acima de tudo, a guiá-la por meio de experiências, aprendizados e estímulos que fornecemos para crianças e adolescentes.

  • Cáceres, C. B. (2017). La neurociencia en la primera infancia. Apuntes de Ciencia & Sociedad7(1).
  • Triskier, F. J. (2006). Algunas especulaciones respecto a las modificaciones neurobiológicas durante la adolescencia. EL RESCATE Y LA MEMORIA17(70), 424.