Por que a gravidez psicológica acontece?

19 de julho de 2018
A gravidez psicológica, conhecida como pseudociese, é um processo, na verdade, pouco comum, mas existe. Acredita-se que entre uma ou seis gestações em cada vinte mil, podem ser falsas.

A gravidez psicológica é um fenômeno originado na mente da paciente. E é uma das condições mais surpreendentes que o cérebro humano pode produzir.

Trata-se, como diz o nome, de uma gestação que só existe na cabeça da mulher. Seu poder é tão grande que ninguém poderia fazer distinção, a olho nu, entre ela e uma gravidez real. Inclusive, a própria mãe poderia ficar convencida disso; é algo que pode terminar até em um falso parto ou pela ação do médico.

Quanto aos sintomas e às características do processo gestacional, são evidentes; o abdômen cresce e o tamanho dos seios também aumenta. A sensação de gravidez é inegável. Outros fatores como o desaparecimento do ciclo menstrual, a secreção de leite por parte das glândulas mamárias e os resultados falso positivo em testes de gravidez caseiros dão aval a essa condição.

Qual é a diferença entre uma gravidez psicológica e uma real?

À primeira vista, uma pessoa não poderia suspeitar da possibilidade de pseudociese. Para um especialista seria um pouco mais provável. Entretanto, a sintomatologia comprova, quase em sua totalidade, a presença de uma gestação; inclusive aumentam os níveis de gonadotrofinas, que são os hormônios responsáveis pelos resultados positivos em testes de gravidez.

gravidez psicológica

Diante de todos os sinais apontando na mesma direção, é possível que surjam dúvidas devido a pequenos detalhes. Por exemplo, no caso da gravidez psicológica, o umbigo da mulher não desaparece como em uma gravidez real; contudo, qualquer um poderia pensar que essa foi uma exceção.

Não se percebe no geral o quadro sintomatológico completo da gravidez, razão pela qual se se trata de um sinal relevante pode gerar dúvidas fundamentadas. Além disso, sabe-se que em grande parte dos casos, a mulher é casada ou esteve grávida anteriormente; por tal motivo, pode-se desconfiar um pouco se conhecemos o histórico da mãe.

Do ponto de vista médico, é fácil detectar a gravidez falsa, pois o feto não parecerá nas ultrassonografias, assim como não será possível ouvir seu coração. Além disso, é comum que exista um endurecimento do abdômen, quase impossível de acontecer em um estado de gestação real.

Quais fatores originam a gravidez psicológica?

As razões pelas quais ocorre são de tipo psicológico. Estão diretamente associadas aos chamados transtornos somatoformes, que tem relação com eventos que não têm explicação e ocasionam uma falha ou reação orgânica. Nesse sentido, carecem de uma explicação médica, mas são reais e perceptíveis conforme as alterações que produzem.

gravidez psicológica

Certos fatores podem incidir diretamente no aparecimento de uma gestação psicológica. Os mais detectados se referem aos problemas emocionais, expressivos, temperamentais ou de dependência. É comum em mulheres que acreditam ser férteis quando não são ou naquelas que conviveram com alguma parente que tenha estado grávida.

Por outro lado, o organismo é afetado por uma alteração hormonal que desencadeia o transtorno. Essa é a causa principal para que se produza a suspensão da ovulação e seja estimulada a produção de prolactina. Além dos fatores psicológicos e hormonais, podemos mencionar os seguintes:

  • Elevado desejo da mulher pela maternidade ou desmedido temor por engravidar. Embora possam parecer opostas, essas emoções podem provocar a alteração hormonal que dá lugar à maioria dos sintomas.
  • No caso das adolescentes, pode ser provocada pela prática de relações sexuais sem proteção.
  • Situação de infertilidade ou esterilidade.
  • A menopausa.
  • Dependência do cônjuge e/ou necessidade de manter a relação.
  • Complexos quadros de depressão.
  • Baixa autoestima ou demasiada desconfiança na juventude e produtividade que não existe.
  • A união de fatores psicológicos com quadros hormonais de alto nível de hormônios estrogênio e prolactina.

Dessa forma, é preciso trabalhar conjuntamente fatores psicológicos e hormonais para que se produza uma gravidez fantasma. No entanto, quando esses fatores são alterados, não necessariamente dará origem a esse transtorno.

Nesse sentido, para que isso aconteça, deve haver predisposição da mulher para esse fato, como o forte desejo de se tornar mãe ou a necessidade de uma gravidez por diversas razões.