Por quê as crianças dão risada quando chamamos a atenção?

· 4 de novembro de 2018
Você já passou pela situação de dar uma bronca e seu filho começar a cair na gargalhada? O que fazer nessa hora? Veja a seguir!

Muitas crianças, geralmente, dão risada quando chamamos a atenção. Mas, mais além de tentar zombar dos pais, estão tentando se esquivar do conflito.

Vejamos o que realmente acontece.

Você está tentando corrigir um comportamento ou chamar a atenção para algo que a criança fez errado quando, de repente, ela te surpreende ao começar a gargalhar.

Com certeza, a sua primeira reação será repreendê-la com mais força e exigir respeito. Mas você sabia que seu filho não está tentando zombar de você?

Ao contrário do que muitas vezes acreditamos, uma criança que ri durante uma repreensão está apenas tentando fugir do problema.

Trata-se de uma risada nervosa que é produzida pela falta de conhecimento a respeito da administração das emoções e dos problemas que são gerados a partir de uma decisão que tomaram.

Se você perceber que a criança está dando risada quando você está chamando a atenção, tenha em mente que ela apenas está nervosa

Com certeza, os pais podem sentir uma profunda frustração porque sentem que não conseguiram alcançar o principal objetivo que era corrigir uma situação.

No entanto, é importante perceber que na verdade existe um desafio adicional a essas circunstâncias. Esse desafio é ensinar a canalizar o nervosismo com amor e muita paciência.

Diante desse cenário, o mais importante é que você não esqueça que seu filho não sabe como enfrentar uma discussão ou assumir a responsabilidade em uma situação errada.

Simplesmente, respire fundo e sente-se junto a ele para explicar o motivo dessa atitude ser errada e como ele deve enfrentar essas situações.

O que fazer se seu filho der risada quando você chama a atenção?

a atenção

Provavelmente, você percebe que é um tema delicado tanto porque ele pode estar rindo de você, quanto pelo fato de isso acontecer com outras pessoas estranhas (professores, familiares ou outro adulto).

A verdade é que devemos começar a corrigir nossa reação, antes de exigir das crianças não fazer isso.

Pensando assim, o primeiro passo é manter a calma diante dessa resposta. Se for necessário, saia do lugar e reflita sobre o que está acontecendo.

Depois de tudo isso, volte com a intenção de falar sobre o que acabou de fazer e dê a orientação que faltou. Talvez seja difícil, mas esse é um passo relevante.

Mantenha a calma e não deixe que a frustração leve você a ser severa com o seu filho.

Assim que você tiver dominado esse ponto, esqueça as atitudes de raiva ou chateação.

Não faz sentido pedir que as crianças controlem a angústia gerada por uma repreensão se nós mesmas, às vezes, não sabemos como lidar com as emoções.

Conselhos para a mamãe

Falar com firmeza e seriedade é essencial para que você tenha uma boa comunicação.

Não entre nesse jogo por nada desse mundo. Se a criança quiser reclamar de algo ou enfatizar determinado assunto, preste atenção, assim como você gostaria que ela prestasse se fosse ao contrário.

Se você precisar reconhecer um erro, mostre que pode ser algo simples, usando palavras honestas.

Se você não conseguir controlar a raiva, simplesmente volte e diga a ela que sente muito.

Insista em explicar o motivo pelo qual não é bom rir quando somos repreendidos e dê espaço para que a criança explique as razões que a levaram a fazer isso.

Não fale com ela enquanto ainda estiver com raiva porque não será uma conversa proveitosa.

O autocontrole é a base para fomentar uma disciplina coerente, sem medo e sem repressão. A obediência não precisa ser sinônimo de submissão.

E, acima de tudo, seja flexível, escute com paciência e cheguem a um acordo.

Se não for algo que possa ser discutido porque representa um perigo ou não contribui para o bem-estar da criança, primeiro permita que ela se explique.

Em seguida, peça com amor que isso não se repita para que ela fique protegida dos riscos.

Quando a criança vai parar de fazer isso?

a atenção

É claro que você pode se sentir agoniada por essa reação do seu filho e talvez queira apertar um botão que permita acabar com esse problema.

Mas o melhor que você pode fazer é ser paciente. Dessa forma, mantenha a calma e siga as recomendações que demos. Se você evoluir, seu filho também evoluirá.

Pois bem, se o seu bebê tem apenas um ou dois anos e tenta desviar sua atenção com um abraço ou um beijo, não se assuste, nem sinta que ele quer zombar de você.

As crianças não sabem como administrar suas próprias emoções e muito menos as dos outros.

Mas quando superarem essa fase, trabalhe para que tudo melhore com muito amor e compreensão.