Por que as crianças se comportam mal com os pais?

· 18 de junho de 2018
Muitos pais reclamam que seus filhos se comportam mal com eles, e parece que a cena se repete com frequência nas famílias. Por que isso acontece?

Muitas vezes quando as crianças saem da escola ou da creche e passam um tempo com os pais deixam de ser anjinhos e começam a se comportar de forma inadequada. Nesses momentos, o mau comportamento se torna protagonista.

Você precisa entender por que os filhos se comportam pior com os pais do que com qualquer outra pessoa para, então, ser capaz de lidar com essas situações desconfortáveis. Assim, você poderá ter um ambiente mais agradável em casa.

Por que seu filho se comporta melhor com outras pessoas?

As crianças mostram seu verdadeiro “eu” com os pais, especialmente as crianças pequenas. Quando voltam para casa, elas se comportam como realmente são. Em outros ambientes estavam reprimindo seu verdadeiro comportamento porque não tinham um vínculo emocional tão forte com os adultos com quem estavam.

Mas você deve saber que isso acontece porque os pequenos sentem profundo amor, carinho, admiração e conexão com vocês, os pais. As crianças se mostram como são com os pais porque elas se sentem relaxadas, se sentem em casa. Claro, isso não é uma desculpa para que se comportem mal.

se comportam mal

Seu filho pode ser ele mesmo e ter um bom comportamento

Embora seja normal que as crianças tenham seus próprios comportamentos, seus acessos de raiva e, ocasionalmente, a conduta não seja a mais adequada, nem sempre deve ser assim.

Quando uma criança tem um acesso de raiva com a mãe ou com o pai, é porque ela não esta sendo tratada do jeito que quer e não sabe outra maneira de exteriorizar esse sentimento.

Por exemplo, se a criança quer comer batatas fritas, mas a mãe diz que é hora do jantar, é provável que haja conflito de interesses e que ocorra uma pequena discussão. Para evitar que isso aconteça você pode negociar com a criança. Por exemplo, se ela comer todo o jantar, depois poderá comer um pouco de batata frita.

Com isso queremos dizer que as crianças que se comportam mal não o fazem porque querem prejudicar o ambiente doméstico, elas são as primeiras que querem se sentir bem em casa. Mas tudo mau comportamento tem uma causa que os pais precisam descobrir, seja ela qual for.

Uma vez descoberta a causa, deve-se trabalhar em conjunto através das emoções e com calma. O objetivo é permitir que a criança reorganize seu comportamento e entenda o que se espera dela e como deve agir.

As rotinas são as melhores aliadas

As crianças sentem que seus pais devem ser seus protetores, que devem satisfazer suas necessidades básicas e também as emocionais. Quando isso não ocorre, o mau comportamento pode aparecer.

se comportam mal

Para evitar que isso aconteça será mais do que necessário trabalhar as emoções com as crianças desde pequenas e respeitar as rotinas em casa para ajudá-las a compreender a organização do dia e para que se sintam seguras em todos os momentos.

As rotinas servem para que as crianças que se comportam mal com os pais saibam o que se espera delas em cada momento do dia. Com essa estrutura mental, elas vão conseguir encontrar segurança e calma para que os acessos de raiva e mau comportamento diminuam consideravelmente.

As rotinas também servem para os pais

As rotinas não servem apenas para crianças. No caso dos adultos, elas ajudam a controlar as emoções para não explodir ao longo do dia. As rotinas são necessárias aos pais para estruturar o seu dia e organizar com antecedência as obrigações e atividades. Em seguida, poderão comunicar aos filhos e tudo vai ficar bem claro na mente de cada membro da família.

Ao reduzir o mau comportamento das crianças, os pais sentirão menos frustração e mais alegria. O tempo em família vai se tornar um tempo de qualidade. Assim, as crianças e os pais poderão conviver juntos em paz e tranquilidade.

Quando há um bom ambiente de harmonia em casa, os pais se sentem mais conectados com os filhos (e vice-versa). Assim, será muito mais fácil rir, brincar e abraçar uns aos outros.