Por que a comunicação em família é importante?

9 de janeiro de 2020
Sem dúvida, se esforçar para criar e consolidar uma comunicação familiar de qualidade leva a numerosos benefícios.

A comunicação em família ajuda a criar e a manter um clima afetivo no lar. Além disso, favorece que os seus membros sejam capazes de expressar as suas emoções, sentimentos e preocupações de forma saudável.

A comunicação em família quer dizer bem-estar

Provavelmente, a maioria dos conflitos e problemas que nascem entre os membros familiares surge da má comunicação ou de uma falta de comunicação direta.

Se as linhas de comunicação não se mantêm abertas adequadamente, os membros da família não terão a confiança para poderem se expressar, ao mesmo tempo que vão surgir mal-entendidos e brigas com certa frequência.

Uma família que consegue estabelecer uma comunicação de qualidade e afetiva no lar vai ser capaz de solucionar os conflitos de uma forma mais eficaz e menos prejudicial. Além disso, as relações interpessoais vão melhorar, já que os membros da família vão se sentir apoiados e compreendidos uns pelos outros.

a comunicação em família

No entanto, conseguir estabelecer um clima favorável no lar pode ser um objetivo complicado, já que cada membro da família manifesta um estilo comunicativo diferente. Dito isso, qual é a melhor forma de nos comunicar?

De que maneira nos comunicamos?

A fim de alcançar uma comunicação saudável no lar, é importante conhecer os diferentes estilos que podemos manifestar na hora de nos comunicar. Tais estilos de comunicação se categorizam em três tipos: assertivo, passivo e agressivo.

  • Estilo Assertivo. O psicólogo Carlos J. Van-der Hofstadt e o economista José María Gómez entendem que a pessoa com esse estilo de comunicação é capaz de expressar os seus sentimentos, as suas ideias e as suas opiniões, defendendo os seus direitos e respeitando os direitos dos demais.
    • Em outras palavras: a pessoa assertiva quer se expressar de forma adequada e sem agredir, procurando a negociação.

“O comportamento assertivo se sustenta sobre um sistema de crenças que mantém o respeito pelos próprios direitos pessoais e pelos direitos dos demais.”

-Yolanda Quiles-

  • Estilo Passivo. De acordo com Van-Der Hofstadt e Gómez, a principal característica desse estilo é que a pessoa se preocupa em satisfazer os demais. Em outras palavras: as pessoas passivas não defendem os seus próprios direitos se para isso elas têm que deixar de lado os direitos dos demais. O seu objetivo é evitar os possíveis conflitos.
    • Como consequência, as pessoas passivas não costumam conseguir o que elas desejam, causando para si frustração, bloqueio, insegurança e, inclusive, ira reprimida.
  • Estilo Agressivo. No lado oposto ao estilo passivo, as pessoas com um estilo de comunicação agressivo não respeitam os direitos, sentimentos e interesses dos demais.
    • Ou seja, elas apenas se preocupam em defender os seus direitos a qualquer custo e têm dificuldade de mudar de opinião e ver o ponto de vista dos demais.

Portanto, é muito benéfico saber desenvolver habilidades assertivas na hora de nos comunicar em família. Algumas formas de conduta assertiva seriam saber dizer “não”, aceitar uma crítica se acharmos que a outra pessoa tem razão ou confrontá-la se não for assim, aceitar cordialidades e elogios sem expressar falsa modéstia, etc.

Como conseguir uma boa comunicação familiar?

Conversem frequentemente

Atualmente, encontrar tempo livre para passar em família é cada vez mais desafiador. No entanto, não devemos considerar o tempo em família como “tempo livre”, mas sim encará-lo como uma responsabilidade, fazendo dele parte do nosso cotidiano.

Por exemplo, proponha-se a dedicar um momento específico do dia para falar com os seus filhos, como na hora antes de dormir, um período de tempo do dia para passar em família ou então planeje reuniões familiares.

boa comunicação em família

Foquem em seus pontos fortes como família

De acordo com Rick Peterson e Stephen Green, especialistas em desenvolvimento humano, as famílias saudáveis de sucesso realizam um inventário dos seus pontos fortes e fracos de forma periódica. Ou seja, trata-se de falar e refletir em família sobre aquilo que é feito bem ou mal, com o objetivo de tomar medidas para melhorar o ambiente familiar.

Mostrem interesse em cada um dos membros da família

Para começar, é fundamental saber escutar atentamente, sobretudo quando estamos nos comunicando com a nossa família. Isso significa fazer todo o possível para compreender o ponto de vista da outra pessoa e reconhecer e respeitar a sua perspectiva.

Entretanto, um dos pontos essenciais na hora de conseguir um ambiente familiar saudável é o interesse que mostramos pelos nossos entes queridos. Quando você presta atenção nas preocupações e nos desejos dos seus familiares, você demonstra que se importa com eles, ao mesmo tempo que eles se sentem valorizados e apreciados.

Em resumo, se esforçar para estabelecer uma boa comunicação em família leva a numerosos benefícios, como a construção de melhores relações interpessoais, uma maior confiança entre os membros familiares, um aumento da autoestima e da satisfação familiar e uma melhor resolução de problemas e conflitos.

  • Hofstadt, C.J. y Gómez, J.M. (2006). Competencias y habilidades profesionales para universitarios. Ediciones Díaz de Santos. Madrid: España.
  • Peterson, R. y Green, S. (2009). Families First-Keys to Successful Family Functioning: Communication. VCE Publications. 350-092. Recuperado de: https://www.pubs.ext.vt.edu/350/350-092/350-092.html