Por quê crianças mimadas se transformam em adultos frágeis?

· 9 de novembro de 2017

Atualmente, existe um debate sobre se é correto mimar exageradamente as crianças. Alguns especialistas afirmam que as crianças mimadas se transformam em adultos frágeis. Enquanto que outros afirmam que se trata apenas de uma padrão normal da sociedade atual.

Um adulto que não sabe tomar decisões e que fracassa diante da pressão, possivelmente foi uma criança muito mimada na sua infância.

A capacidade para assumir responsabilidades está associada ao caráter. Muitos pais tentam evitar “maus momentos para os seus filhos”. Por isso, buscam resolver inconvenientes ou solucionar problemas próprios da criança.

As crianças precisam aprender a resistir e trabalhar em equipe. Aprender também a ter humildade e a como se recuperar diante do fracasso. Esses são as características que definem o caráter.

Mimar muito pode ser um produto das frustrações paternas. As pessoas com infâncias difíceis ou carências tendem a superproteger seus filhos. Elas buscam a todo custo dar o que não tiveram ou não conseguiram.

 

A idade e os padrões sociais

Pai ensinando valores para os filhos

Outra condição dos pais que também está relacionado a um caráter excessivo, tem a ver com a idade. Os casais hoje em dia se tornam pais depois dos 30 anos. Em alguns casos, a dificuldade para ter filhos ou as responsabilidades profissionais os tornam mais permissivos.

Esse “casal moderno” é que forma a teoria do padrão da sociedade atual. São pais que dividem o papel da criação com o sucesso profissional. Ambas as responsabilidades dos pais requerem muita entrega e esforço conjunto.

Características da criança mimada

As crianças mimadas geralmente não têm limites. Estão convencidas de que o mundo gira em torno delas. Elas se acostumaram a receber, sem dar nada em troca. E não valorizam os pais, pois acreditam que eles existem apenas para satisfazê-los.

Outra característica comum da criança mimada é sua incapacidade de ação. Elas não sabem reagir diante dos problemas da escola ou a pressão social. Reconhecem que existe um inconveniente, mas não estão preparadas para enfrentá-lo.

A frustração começa quando se sentem indefesas diante do que consideram injusto. São capazes de identificar o que não gostam, mas não de mudar o cenário. A frustração das crianças mimadas pode gerar adultos depressivos.

A agressividade também é uma condição que aparece nessas crianças. É uma maneira de reagir frente à frustração. Parte daí os casos de agressão física dos filhos para com os pais.

Por último, são crianças intolerantes, que não assumem a responsabilidade dos seus atos e carecem de remorsos.  Em alguns casos, elas sofrem de ansiedade, mudanças de humor e baixa autoestima.

O que se deve fazer diante de uma criança mimada

Evite criar um narcisista

É importante que as crianças comecem a se sentir independentes a partir dos 4 anos. Delegar responsabilidades simples ajudará a formar seu caráter. Além disso, elas aprenderão o que significa a recompensa por um trabalho bem feito.

A teoria da “causa e efeito” é importante no momento de estabelecer limites. É preciso ensinar às crianças que toda ação gera uma reação. Isso também ensinará a controlar a frustração. 

As crianças devem aprender que os resultados nem sempre são os esperados. A maneira como elas enfrentam o fracasso será a atitude que assumiram os desafios quando adultos. Nesses casos, é importante reconhecer e respeitar os seus sentimentos.

Uma das tarefas mais difíceis é ignorar as birras. As crianças mimadas estão acostumadas a dar escândalos para conseguir o que querem. Frente a isso, os pais devem se manter calmos e evitar qualquer tipo de maltrato. Se concederem o que a criança procura por meio da birra, a criança estabelecerá uma relação de causa e feito. Associará a pirraça e teimosia com a realização do seu desejo.

Como dizer não para uma criança mimada

Em primeiro lugar, o pai e mãe devem jogar no mesmo time. Concordar na estratégia que vão usar e não se contradizer. Além disso, ambos devem ser coerentes com as ações e manter sua palavra.

É preciso dizer NÃO a partir de uma postura positiva. É preciso começar por reforçar o lado positivo para logo apontar a lição. Iniciar a ideia com um NÃO gera um rejeição imediata por parte das crianças.

Os pais devem ficar calmos e usar um tom de voz suave mas contundente ao explicar o motivo do NÃO. Evitar o contato físico ou as expressões agressivas que apenas contribuem ao conflito. É preciso explicar as razões e a consequência da decisão.

O mais importante é que os pais se mantenham firmes diante da negativa. Apenas assim as crianças saberão qual é o limite.

Definitivamente a criação não consegue conviver com extremos. Mimar muito ou ser muito rígido, pode ter as mesmas consequências negativas nas crianças. A educação deve partir apoiada em valores fundamentais e no carinho.