Por que crianças de todas as idades mentem?

18 Julho, 2018
Você provavelmente fica preocupada quando o seu filho começa a mentir. Para saber se o seu filho oculta a verdade, note a forma como ele fala as coisas.

Os sintomas clássicos de uma criança que mente é a tensão e o fato de se contradizer constantemente. Isso não é difícil de perceber. O mais complicado é entender as razões pelas quais os filhos mentem.

Aqui mostraremos as razões pelas quais as crianças mentem em cada idade. Você verá que algumas vezes a mentira é apenas uma parte da brincadeira. Outras vezes é um problema que deve ser tratado assim que for descoberto.

A mentira nas crianças de 3 a 5 anos

Pode ser que algumas crianças menores de 3 anos digam coisas que não são verdade. No entanto, geralmente as crianças de 2 anos não mentem. A partir dos 3 anos até os 5 anos a mentira se torna um elemento dentro de histórias fantásticas ou como parte das brincadeiras. 

Isso significa que a mentira não é gerada de forma consciente. Dessa forma, como parte da brincadeira, a mentira não deve preocupar tanto. O único motivo para se preocupar é quando seu filho usa a mentira para obter o que quer.

As mentiras do seu filho nessa idade servem para aprender que os adultos nem sempre sabem tudo. É algo bom porque ajuda as crianças a serem mais tolerantes diante da frustração.

Também pode ser uma maneira efetiva de chamar a atenção em alguns casos ou até evitar consequências negativas, como o castigo. Muitas vezes, as crianças de 3 a 5 anos mentem porque assimilam a maneira como agimos ou nos comportamos.

Se você é uma mãe muito exigente, mentir pode se transformar na sua via de escape do excesso de ansiedade.

mentem

Por que crianças de 5 anos mentem

Quando completa 5 anos, seu filho já começa a mentir de maneira consciente. O motivo é que nessa idade ele já tem a capacidade para diferenciar o que é verdade e o que não é.

O que ainda talvez não consiga distinguir claramente é o quanto esse ato é incorreto. Pode ser que nessa idade a criança comece a mentir por falta de autoestima. dessa forma, ela utiliza a mentira para se ocultar.

Também pode ser que minta para testar a sua reação e ver até onde você pode chegar. Se você não é uma mãe muito carinhosa, seu filho pode mentir para conseguir mais carinho.

Também pode acontecer que minta para conseguir o seu afeto, o que pode se transformar em problemas emocionais se não for solucionado a tempo. Se você não soluciona esse último caso, ele pode se converter em um adolescente problemático.

O melhor nessa etapa é impor limites e explicar para o seu filho os problemas que as mentiras podem causar. Você não deve repreendê-lo ou castigá-lo de nenhuma forma. Ao contrário, o melhor é explicar com palavras amáveis.

Mentiras das crianças de 6 e 8 anos

Dependendo da maturidade de cada criança, entre os 6 e os 8 anos elas já possuem a capacidade de diferenciar corretamente a realidade da fantasia. Ou seja, já têm consciência de que mentir é errado.

mentem

Ocultar a verdade nessa idade representa um ato voluntário. Como mãe, é importante que você saiba diferenciar entre uma mentira usada para entender a verdade e uma que pode afetar o seu filho.

No caso do seu filho mentir constantemente você deve observar o que ele obtém da mentira. Você permite que o seu filho tenha o que deseja por meio de mentiras?

Você deve lembrar que isso é negativo porque ele vai aprender que essas atitudes são válidas. O problema é que o passar dos anos a situação não vai melhorar. Ao contrário, você pode ter que lidar com mentiras cada vez piores.

É importante que você saiba o que a criança obtém através das suas mentiras. Em seguida, é necessário criar uma estratégia para evitar que ela obtenha o que deseja. 

Entenda o motivo das crianças mentirem e tire proveito disso

Como mãe, você tem uma grande responsabilidade no momento de educar seus filhos. Por isso, você deve conhecer os motivos pelos quais as crianças mentem. Cada situação é diferente e é importante que você saiba como administrá-las.

Ainda que as crianças pequenas possam usar a mentira como parte das suas brincadeiras, à medida que o tempo passa você terá que explicar que as mentiras têm limites. 

  • Bach, K. & Harnish, R. M. (1979). Linguistic: Communication and speech acts. Cambridge, MA: MIT Press.
  • Casas Rivera, R., & Zamarro Arranz, M. L. (1990). La mitomanía en la clínica actual. A propósito de un caso clínico. Revista de La Asociación Española de Neuropsiquiatría.
  • Dithrich, C. W. (1993). Pseudologia fantastica, dissociation, and potential space in child treatment. Master Clinicians on Treating the Regressed Patient, Vol. 2.
  • King, B. H., & Ford, C. V. (1988). Pseudologia fantastica. Acta Psychiatrica Scandinavica. https://doi.org/10.1111/j.1600-0447.1988.tb05068.x
  • Leekam, S. R. (1992). Believing and deceiving: Steps to becoming a good lier. En S. J. Ceci, M. Desimone & M. Putnik (Eds.), Social and cognitive factors in early deception (pp. 4762). Hillsdale, NJ: L.E.A.
  • Sotillo, M., & Rivière, Á. (2001). Cuando los niños usan las palabras para engañar: la mentira como instrumento al servicio del desarrollo de las habilidades de inferencia mentalista. Infancia y aprendizaje, 24(3), 291-305. https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1174/021037001316949239