Por que sentimos formigamento em algumas partes do corpo?

3 de março de 2019
Sentir formigamento nas extremidades do corpo é bastante comum. No entanto, raramente paramos para pensar sobre quais são os gatilhos dessa condição. Se você quiser tirar suas dúvidas hoje, este artigo será ideal para você.

Todos nós já experimentamos a sensação de sentir como se vários insetos estivessem caminhando sobre uma das nossas extremidades ou como se tivéssemos uma perna, um pé ou um braço adormecidos. No entanto, você sabe exatamente por que sentimos formigamento em algumas partes do corpo?

Embora essa sensação não seja dolorosa e geralmente desapareça rapidamente e sem esforço, é bastante desconfortável quando ela acontece. Sem nos aprofundarmos no assunto, sempre presumimos que isso ocorre devido a um problema de circulação.

No entanto, na realidade, também ocorre devido a outros fatores que muitas vezes são desconhecidos pela maioria da população. Por isso, pensando em te manter bem informada, preparamos esses curiosos dados explicativos. Não perca!

Por que sentimos formigamento em algumas partes do corpo?

A parestesia temporária – comumente conhecida como formigamento – é uma sensação bastante desconfortável que pode ser sentida em qualquer parte do corpo. Mas geralmente ocorre nas extremidades. Isto é, em braços, mãos, pernas e pés.

Quando isso ocorre, entende-se que as estruturas do sistema nervoso central ou periférico estão envolvidas. Em poucas palavras e para que fique mais fácil de compreender, isso ocorre quando há algum tipo de pressão sobre as terminações nervosas, geralmente nas extremidades.

Agora, você vai se perguntar por que essa sensação ocorre principalmente nos braços e nas pernas. O que acontece é que é bastante comum exercermos pressão sobre essas áreas quando estamos sentados, deitados ou mantendo uma mesma posição por um longo período de tempo.

É nesse momento que os nervos que atravessam a área e que são responsáveis por transmitir informações entre o corpo e o cérebro são comprimidos.

Como se isso não bastasse, o que também ocorre é que, com a pressão da postura, comprimimos os vasos sanguíneos que fornecem oxigênio aos nervos. Portanto, eles ficam impossibilitados de enviar informações ao cérebro.

O formigamento, então, vai começar a liberar a pressão porque os nervos estarão transmitindo seus sinais, ainda que tardiamente.

Essas são as principais razões pelas quais o formigamento ou a parestesia temporária ocorre nas extremidades do corpo. No entanto, também há outras causas que são diretamente interpretadas como sintomas de patologias específicas. Assim, vamos detalhá-las a seguir.

Outras razões pelas quais a parestesia ocorre

Problemas circulatórios

Pessoas que sofrem de problemas circulatórios apresentam formigamento nas extremidades com certa regularidade. Isso faz sentido, com base no que explicamos na seção anterior sobre o suprimento de sangue para os nervos.

Ao contrário disso, em casos de problemas circulatórios, deve-se considerar que a obstrução do fluxo não se deve a uma postura, mas depende diretamente do sistema circulatório.            

Neuropatia periférica diabética

Quando uma pessoa sofre de neuropatia periférica diabética, os níveis de açúcar no sangue geralmente aumentam consideravelmente e causam danos ao sistema nervoso. Isso produz sintomas nas extremidades inferiores, tais como formigamento, sensação de queimação ou até mesmo perda de sensibilidade, por exemplo.

Lesões nervosas

Em caso de lesões nervosas, como por exemplo a compressão dos nervos espinhais, lesões por traumatismo ou a presença de hérnias que afetem os nervos, é normal que episódios de parestesia temporária ocorram frequentemente.

É bastante comum exercermos pressão sobre essas áreas quando estamos sentados, deitados ou mantendo uma mesma posição por um longo período de tempo. É nesse momento que os nervos que atravessam a área e que são responsáveis por transmitir informações entre o corpo e o cérebro são comprimidos.

Consumo de álcool ou tabaco

O consumo frequente das substâncias tóxicas presentes no tabaco e nas bebidas alcoólicas irremediavelmente leva ao aparecimento da parestesia. De fato, em ambos os casos, o corpo vai se intoxicando de tal forma que os nervos são danificados ou não conseguem responder aos comandos.

Síndrome das pernas inquietas

Essa síndrome também se relaciona com um distúrbio neurológico e geralmente se manifesta à noite, quando a pessoa está em uma posição tranquila tentando descansar, por exemplo.

Mais precisamente, é chamada de síndrome das pernas inquietas porque aqueles que sofrem com ela não conseguem descansar por causa do desconforto do formigamento.

Síndrome das pernas inquietas

Para concluir, vamos listar outros possíveis gatilhos desse desconforto:

  • Presença anormal de níveis de potássio e cálcio no organismo.
  • Deficiência de vitamina B12.
  • Ter sido picado por uma cobra ou um escorpião.
  • Ter um choque anafilático.
  • Efeitos colaterais do uso de medicamentos ou drogas.
  • No caso de atletas ou pessoas que fazem exercícios físicos exigentes, ocorrem como uma resposta à exaustão, à fadiga e ao trabalho excessivo dos músculos.

Certamente, com todas essas informações, você terá muito mais chances de identificar o que desencadeia esses desconfortos no seu corpo.

Mas lembre-se de que, se os sintomas piorarem ou o desconforto se prolongar por muito tempo, então uma consulta médica é a melhor alternativa, principalmente para descartar problemas mais graves.

  • Campos D, Kimiko R. Neuropatías periféricas dolorosas. Rev Bras Anestesiol. 2011; 61: 5: 351-360
  • Martín-Peña N, Morell Sixto ME, Rodríguez de Mingo E. Doctor, tengo hormigueos. Semer – Med Fam. 2010;36(1):51-55. doi:10.1016/j.semerg.2009.09.002