Por que sinto dor nos seios durante a ovulação?

10 Junho, 2020
Durante a ovulação, o corpo da mulher manifesta certas alterações, incluindo a dor nos seios. Você sabe por que esse fenômeno acontece?
 

Uma das perguntas que todas as mulheres já se fizeram em algum momento de suas vidas é: por que sinto dor nos seios durante a ovulação? Embora elas entendam que parte de sua natureza feminina funciona a partir de mudanças hormonais cíclicas, é possível que não conheçam os seus efeitos específicos sobre o corpo.

Para responder a todas as preocupações, neste artigo, vamos apresentar informações básicas sobre a ovulação e os seus ciclos hormonais. Além disso, vamos revisar o grau em que as suas alterações se manifestam no corpo e, mais especificamente, nos seios da mulher.

Por que os seios doem durante a ovulação?

Informações gerais sobre a ovulação

Primeiramente, é apropriado explicar brevemente o que é a ovulação. Trata-se de um processo natural que se desenvolve como parte do ciclo menstrual feminino. Nela, um folículo ovariano se rompe e libera um ovócito dentro do sistema reprodutor feminino, para que ele possa ser fertilizado por um espermatozoide.

 

Dentro deste ciclo menstrual, há três fases. Na primeira, grandes quantidades de estrogênio são liberadas. Em seguida, na segunda fase, as quantidades de progesterona aumentam e, por fim, ocorre o sangramento da menstruação – se não houve fecundação – ou o processo da gravidez – no caso de ocorrer a fecundação.

Portanto, fica evidente que tanto os estrogênios quanto a progesterona são os hormônios responsáveis ​​pelo processo de ovulação. Ao sofrerem alterações, ambos afetam diversas partes do corpo, tais como os seios e os mamilos.

Além disso, eles também causam dor pélvica, secreções vaginais, alterações de humor ou aumento da libido e um aumento de 1 ou 2 graus na temperatura corporal.

dor nos seios durante a ovulação

Sem dúvida, esses sintomas não são perceptíveis da mesma maneira por todas as mulheres. Algumas têm maiores manifestações e sofrem mais do que outras. No entanto, exceto em casos particulares, os desconfortos decorrentes da alteração do ciclo menstrual não interrompem o desenvolvimento rotineiro da vida da mulher.

 

Conforme explicado, o processo de ovulação e as alterações hormonais funcionam a partir de um lapso repetitivo ou ciclo. O mesmo se aplica aos seios femininos, pois eles tentam cumprir uma função ligada à reprodução.

Por esse motivo, a dor que as mulheres sentem e o seu subsequente desaparecimento nada mais são do que a preparação para atender a uma possível gravidez.

“Tanto os estrogênios quanto a progesterona são os hormônios responsáveis ​​pelo processo de ovulação. Ao sofrerem alterações, ambos afetam diversas partes do corpo, tais como os seios e os mamilos.”

A progesterona e a multiplicação das células mamárias

Os seios de uma mulher são constituídos por células mamárias – alvéolos –, ductos, tecido conjuntivo e tecido adiposo. A sua função é produzir o leite, que depois será drenado. Para que isso aconteça, assim como no ciclo da ovulação, há a intervenção dos hormônios.

Conforme analisamos anteriormente, a ovulação começa com um aumento no estrogênio. Quando isso ocorre, os receptores de progesterona começam a se multiplicar nos seios.

 

Posteriormente, à medida que a segunda fase do ciclo menstrual progride e os níveis de progesterona aumentam ainda mais, as células e as glândulas mamárias começam a se expandir. Isso ocorre porque o corpo se prepara antecipadamente para uma possível gravidez.

É importante destacar que a dor nos seios coincide com os últimos dias da segunda fase, vinculada à liberação máxima de progesterona. Assim, dentro dos 28 dias do ciclo, a presença do desconforto se torna evidente no 21º dia ou, no caso das mulheres com ciclos longos, uma semana antes da menstruação.

dor nos seios durante a ovulação

A dor nos seios como um sinal de gravidez

Com tudo isso, fica claro que a dor nos seios durante a ovulação é o resultado do aumento da progesterona durante a fase final do ciclo. Esse hormônio, por sua vez, cumpre a função de expandir as células e as glândulas mamárias para que a mãe possa amamentar.

 

Quando a terceira fase é alcançada, se não houver fecundação, ocorre a menstruação. Portanto, a dor desaparece em alguns dias porque as glândulas recuperam o seu estado natural.

No entanto, se realmente houver a gestação de um bebê, o mais provável é que a dor nos seios permaneça pelo menos durante os três primeiros meses de gravidez. Também é possível que ela se estenda de forma mais acentuada em direção ao mamilo. O tamanho dos seios aumentará de forma notável.

Todos esses sintomas durante o ciclo reprodutivo podem ajudar a reconhecer não apenas se o corpo de uma mulher está funcionando bem, como também servem como indicadores para os casais que desejam engravidar e usam métodos contraceptivos alternativos.

 

Esteban, F. (2014). Síndrome premenstrual: síntomas, causas y tratamiento – Unidad de la mujer.