Prepare seu filho para amar

03 Agosto, 2018
Amar é uma das qualidades do homem que mais nos torna humanos. É um sentimento que vem do coração da nossa espécie, que é próprio dela, assim como o são as artérias, o sangue...

Todos nascemos com o dom de amar. No mesmo momento em que abrimos os olhos ao mundo, mesmo que sejamos cegos, vemos o amor nos braços maternos que nos acolhem.

Contudo, mesmo quando somos amados e temos a capacidade de sentir o amor, nem todos sabem como demonstrar de uma forma positiva esse sentimento.

Prepare seu filho para amar da mesma forma que você o educa para se comportar em sociedade, aprender a ler ou a escrever. Não menospreze o sentimento que mais traz felicidade a esse mundo.

Se seu filho demora um pouco mais que as outras crianças para levantar a cabecinha, falar ou segurar o lápis, trabalhe para que o amor nunca seja uma dessas matérias difíceis de superar. Faça com que ele ame e seja amado mais que tudo nessa vida.

O amor como o princípio de todas as coisas

Sem amor a vida não vai para frente. Não existe empreendimento, tarefa ou sonho na Terra que, para ser realizado com sucesso, não precise de amor humano.

No que diz respeito à afetividade na relação entre mãe e filho o amor está presente em diversos fatores:

  • Na atenção que dedicamos ao bebê durante as 24 horas do nosso dia. Quando suprimos as necessidades vitais do bebê, oferecemos nosso carinho e o estimulamos a balbuciar, engatinhar e ficar de pé. Tratamos das doenças, fazemos o bebê arrotar, corremos para acalmar o choro e fazemos de tudo para oferecer os melhores estímulos emocionais que desenvolvem o cérebro.
  • O tempo que passamos com nosso filho, os jogos que fazemos juntos, as tarefas que o ajudamos a vencer, os conselhos que damos. A segurança e o carinho que oferecemos, o tanto que trabalhamos para sustentar economicamente, como educamos e procuramos transmitir os melhores valores. Tudo isso é amor.
a amar

Quando falamos sobre o amor-próprio não podemos nos esquecer:

  • Do respeito que temos conosco
  • Como cuidamos da nossa saúde e estamos sempre atentas às mensagens de alerta que o corpo transmite
  • De nos livrarmos das emoções negativas: o egoísmo, a inveja, a ingratidão. E de tentar construir nossa felicidade e nossa paz interior.

Sobre o amor com as outras pessoas, devemos nos lembrar:

  • Da tolerância com as características e os comportamentos dos outros.
  • Do amor do casal.
  • Do respeito com nossos semelhantes.
  • Da aceitação da diversidade de caráter e da maneira de pensar de cada um.
  • Do altruísmo, da empatia e da sensibilidade com os problemas alheios.

Duas maneiras de ensinar uma criança a amar

Talvez, ao ler esse frase, você possa achar que é um pouco demais ensinar a amar aquelas pessoas que, por natureza, já são condicionadas a isso. No entanto, como dissemos no início desse artigo, nem todas as pessoas sabem amar.

Podem existir várias maneiras de ensinar uma criança a amar e de mostrar o que é o amor. Em Sou Mamãe, acreditamos que estas duas são as mais importantes:

a amar

1. Ensinar a amar por meio da palavra

Amar por meio da palavra é saber utilizar o idioma para construir as melhores frases de carinho. Encorajar quando alguma pessoa precisa, apoiar e aplaudir com frases bonitas e verdadeiras as conquistas e as habilidades alheias.

Quando você ensina seu filho a amar por meio da palavra, você está demonstrando o bem que as frases otimistas proporcionam às outras pessoas. Essas palavras transmitem elogios, esperanças e bons desejos.

Uma criança que aprende a ser respeitosa e a usar a sinceridade e seus melhores sentimentos para fazer as outras pessoas se sentirem bem e para dizer o quanto as ama é uma criança perfeita.

2. Insira seu filho no maravilhoso mundo do amor mudo

O amor transmitido por meio do carinho, das carícias, dos abraços, dos beijos e dos apertos de mão é mais efetivo que a palavra em si.

As pessoas que amam demonstram por meio da linguagem corporal. As demonstrações de amor dizem mais que as palavras. Não se pode disfarçar o apego, a ternura e a admiração quando alguém se sente bem e ama a outra pessoa.

Portanto, preparar seu filho para amar significa ensinar tudo isso.

  • Bowlby, J. (1986). Vínculos afectivos: formación, desarrollo y pérdida. Madrid: Morata.
  • Bowlby, J. (1995). Teoría del apego. Lebovici, Weil-HalpernF.
  • Garrido-Rojas, L. (2006). Apego, emoción y regulación emocional. Implicaciones para la salud. Revista latinoamericana de psicología, 38(3), 493-507. https://www.redalyc.org/pdf/805/80538304.pdf
  • Marrone, M., Diamond, N., Juri, L., & Bleichmar, H. (2001). La teoría del apego: un enfoque actual. Madrid: Psimática.
  • Moneta, M. (2003). El Apego. Aspectos clínicos y psicobiológicos de la díada madre-hijo. Santiago: Cuatro Vientos.