Problemas dentários mais comuns em crianças

Os problemas dentários em crianças podem surgir precocemente e causar diversos desconfortos. Aqui, vamos detalhar os mais frequentes e o que você pode fazer para evitá-los.
Problemas dentários mais comuns em crianças

Última atualização: 09 Fevereiro, 2021

Existem problemas dentários em crianças que são muito comuns, mas que quase sempre podem ser prevenidos. Quando aparecem, as funções normais da boca, tais como a mastigação, a fonação e a deglutição, ficam alteradas.

Nas linhas a seguir, vamos falar sobre os problemas dentários mais comuns em crianças, além das suas causas e tratamentos. Também vamos lembrar o que você pode fazer para que a boca do seu pequeno esteja sempre saudável.

Problemas dentários mais comuns em crianças

Problemas dentários mais comuns em crianças

Cárie

Dentre os problemas dentários em crianças, é o mais frequentemente observado. Trata-se da perda de tecido mineral nos elementos dentários devido à ação dos ácidos produzidos pelas bactérias presentes na boca.

Quando a doença começa, pequenas manchas brancas podem ser vistas na superfície do dente. Conforme progride, há uma mudança de cor para o preto ou o marrom e a perda de tecido, formando cavidades ou buracos nos dentes.

Como mencionamos, a perda dos minerais que compõem o elemento dental ocorre devido à ação dos ácidos produzidos pelas bactérias presentes na boca ao fermentar os açúcares da dieta. A má higiene bucal e o alto consumo de açúcar predispõem ao surgimento dessa patologia.

Existe uma forma particular de cárie dentária em crianças pequenas, chamada de “cárie dentária na primeira infância” ou “cárie de mamadeira”. Está associada ao consumo frequente de leite açucarado e à falta de higiene após a alimentação. A permanência do açúcar nas superfícies dentais favorece o aparecimento dessas cáries que progridem rapidamente, principalmente nos dentes da frente.

Consequências desse problema dentário em crianças

A presença de cáries e o seu progresso por falta de tratamento acarreta diversas complicações na vida da criança:

  • Presença de dor: quando a profundidade da lesão aumenta, a cárie se aproxima da polpa dentária, onde ficam os nervos, gerando assim dor e sensibilidade.
  • Destruição e perda do dente: a progressão da lesão vai desgastando e até mesmo quebrando o elemento dentário. Isso, por sua vez, causa a movimentação das peças vizinhas, maloclusões e problemas para morder.
  • Infecções: as cáries podem se complicar com a infecção do dente ou dos tecidos duros ou moles vizinhos ao elemento afetado.
  • Danos ao dente permanente: quando a cárie avança em um elemento temporário, isso pode afetar a correta formação do dente permanente que está embaixo.
  • Baixa autoestima e problemas sociais: dentes quebrados e manchados podem ser motivo de zombaria, deixando a criança constrangida.

Tratamentos para a cárie dentária

O tipo de tratamento para reverter a cárie dependerá do seu tamanho e tempo de evolução. Uma cárie incipiente pode ser tratada com a aplicação terapêutica de flúor. Para cáries com cavidades e perda de tecido, é necessário limpar e restaurar com obturações. Independentemente do tipo de cárie, é necessário sempre tratá-las e retardar a sua evolução para evitar complicações.

Traumatismo dentário

As pancadas nos dentes são um dos problemas dentários mais comuns em crianças. Geralmente ocorrem quando os pequenos começam a andar e, posteriormente, estão associadas a acidentes durante jogos ou práticas esportivas. Os dentes mais afetados são os incisivos superiores, pois são os mais expostos.

As pancadas podem afetar tanto os dentes de leite quanto os dentes permanentes. A coroa dentária pode ser parcialmente ou totalmente quebrada, também pode sair do lugar ou até mesmo ser lançada para fora da boca.

A conduta a ser adotada geralmente depende do tipo de dentição afetada, mas diante de um traumatismo na boca sempre é aconselhável ir ao dentista imediatamente. Caso o dente saia da boca, ele deve ser recolhido e transportado em leite ou solução fisiológica.

O profissional examinará os tecidos afetados e decidirá sobre o tratamento adequado. Pode variar desde a simples colocação de flúor e controles posteriores, restaurações ou obturações, tratamentos de canal ou até mesmo o reimplante da peça no lugar e sua imobilização. Conforme mencionamos, é necessário ir ao dentista com urgência porque, quanto mais rápido agirmos, melhor o prognóstico.

Maloclusões

Dentes desalinhados e complicações para morder normalmente são problemas dentários em crianças que aparecem regularmente. Observar a posição dos dentes conforme forem nascendo e a relação dos dentes superiores com os inferiores ao morder é importante para detectar qualquer anormalidade na oclusão dos pequenos.

O controle em casa e as visitas regulares ao dentista ajudam a descobrir esses problemas precocemente. Quanto mais cedo eles começarem a ser tratados, mais fácil e confortável costuma ser o tratamento.

Esse tipo de problema dentário em crianças pode ser causado por vários motivos:

  • Presença de hábitos disfuncionais, como, por exemplo, chupar o dedo, uso prolongado de chupeta ou mamadeira e respiração pela boca.
  • Ausência ou perda prematura de dentes de leite.
  • Fatores hereditários e genéticos.
  • Bruxismo.

Os tratamentos vão depender do tipo e grau de maloclusão e também da idade da criança, bem como do tipo de dentição presente na boca. De acordo com o caso, o problema pode ser corrigido através do uso de aparelhos ortodônticos, fixos com brackets ou invisíveis.

Problemas dentários mais comuns em crianças

Gengivite

A presença de placa bacteriana ao redor do dente pode causar a inflamação das gengivas. Elas ficam avermelhadas, sangram com facilidade, doem e há mau hálito na boca. A causa desse problema dentário em crianças é a higiene oral deficiente. O uso de escova de dente e fio dental e a consulta com o odontopediatra geralmente é suficiente para tratar essa condição.

Como evitar os problemas dentários mais comuns em crianças?

A prática de bons hábitos de higiene oral e de comportamentos saudáveis ​​vai ajudar a manter a boca saudável. Aqui estão algumas dicas para prevenir os problemas dentários em crianças:

  • Manter uma boa higiene oral: escovar os dentes das crianças duas ou três vezes ao dia com uma escova de cerdas macias e creme dental com flúor. Complementar com o fio dental diariamente e, se o dentista recomendar, com enxaguatórios bucais.
  • Evitar alimentos cariogênicos: reduzir ou evitar o consumo de alimentos com alto teor de açúcar. Recomenda-se que os pequenos recebam uma alimentação variada e rica em nutrientes.
  • Eliminar hábitos nocivos: nos casos de crianças que chupam o dedo, roem as unhas, respiram pela boca e usam chupeta ou mamadeira durante mais tempo do que o recomendado, é necessário buscar ajuda para eliminar essas práticas prejudiciais para a boca.
  • Consultar o dentista: as visitas regulares e precoces ao dentista ajudam a manter a boca saudável. Assim, o profissional poderá detectar qualquer problema precocemente e orientar sobre a higiene oral.

Os problemas dentários em crianças podem ser evitados

Os problemas dentários em crianças podem surgir desde cedo. São várias as patologias que ocorrem com frequência na boca dos pequenos. Uma boca saudável é necessária para o bom desenvolvimento da vida das crianças. Portanto, a higiene oral adequada, as práticas saudáveis ​​e as visitas ao dentista vão manter o sorriso dos pequenos saudável.

Pode interessar a você...
Ensine seu filho a escovar os dentes corretamente
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Ensine seu filho a escovar os dentes corretamente

Os primeiros dentes não podem ser deixados de lado. É responsabilidade dos pais ensinar os filhos a escovar os dentes corretamente.



  • Gómez, Roberto Carlos Ojeda, and Kevin Dávila Guarniz. “Prevalencia de caries dental en niños de la Clínica Estomatológica de la Universidad Señor de Sipán.” Salud & Vida Sipanense 4.2 (2017): 14-19.
  • Ramón Jimenez, Ruth, et al. “Factores de riesgo de caries dental en escolares de 5 a 11 años.” Medisan 20.5 (2016): 604-610.
  • Sernaque Lama, Melissa Elizabeth. “Prevalencia de caries dental en niños de 6 a 12 años de la institución educativa particular San José, del distrito de Chimbote, provincia del Santa, región Áncash, año 2018.” (2018).
  • Zaldivar, Héctor Andrés Naranjo. “Traumatismos dentarios: un acercamiento imprescindible.” 16 de Abril 56.265 (2017): 113-118.
  • Sánchez, Tamara Batista, et al. “Traumatismos dentarios en niños y adolescentes.” Correo Científico Médico de Holguín 20.4 (2016): 741-756.
  • Navarrete Angulo, Nilda Eugenia, and María Angela Pita Sobral. “Factores relacionados con maloclusiones en niños ecuatorianos de 3-9 años de edad.” Revista Cubana de Estomatología 57.2 (2020).
  • Mamani Nina, Edith Banesa. “Hábitos orales nocivos asociados a las Maloclusiones en niños de 6 a 8 años en la IE Señor de los Milagros en la ciudad de Moquegua, 2019.” (2020).
  • Castro-Rodríguez, Yuri. “Enfermedad periodontal en niños y adolescentes. A propósito de un caso clínico.” Revista clínica de periodoncia, implantología y rehabilitación oral 11.1 (2018): 36-38.
  • de la Luz Ayala, Carmen. “Los pediatras en la prevención de enfermedades bucales.” Archivos de Pediatría del Uruguay 87.3 (2016): 257-262.
  • QUIÑONEZ, MORETA, and KATHERINE YIMABEL. NECESIDADES Y POSIBILIDADES DE PREVENCIÓN DE CARIES EN NIÑOS DE 5 A 12 AÑOS DE EDAD. Diss. 2017.