Professor: 5 dicas para não se desesperar em sala de aula

6 de junho de 2020
Como professor, nem sempre é fácil saber como lidar com as crianças em sala de aula. A seguir, vamos apresentar uma lista com algumas dicas para facilitar essa tarefa.

Ser professor é uma das profissões mais vocacionais e gratificantes que existem no mercado de trabalho. No entanto, nem sempre é fácil controlar os alunos. Neste artigo, preparamos uma lista com as melhores dicas para não se desesperar em sala de aula. Se você trabalha com o ensino, elas serão muito úteis para você!

Para não se desesperar em sala de aula, o mais importante é que os alunos estejam motivados e interessados nas suas explicações. Se você conseguir chamar a atenção deles, vai conseguir que o comportamento em sala de aula seja adequado.

Para te ajudar, a seguir, vamos mostrar algumas dicas que são úteis para que os alunos conheçam a sua melhor versão.

5 dicas para não se desesperar em sala de aula

1. Não implore

A primeira das dicas para não se desesperar em sala de aula é não implorar aos alunos para melhorarem o comportamento. De fato, fazer pedidos desesperados para que os alunos se comportem adequadamente geralmente tem o efeito contrário: encoraja comportamentos inadequados em vez de diminuí-los.

Além disso, não se esqueça de que, nesses casos, a melhor defesa é um bom ataque. Você deve ter várias estratégias de controle da sala de aula. Por exemplo, atribuir pontos aos grupos de alunos que seguirem as suas instruções pode ser algo útil para você. No final da aula, o grupo com mais pontos pode receber uma recompensa.

2. Mantenha um bom relacionamento com os alunos

Sem dúvida, estabelecer um bom relacionamento com as crianças e os adolescentes é essencial para o sucesso e para não se desesperar em sala de aula. Caso contrário, você provavelmente vai perceber que os alunos reclamam o tempo todo de tudo o que você diz ou propõe.

truques para não se desesperar em sala de aula

Mostrar um interesse genuíno por eles e pelas suas vidas realmente vai melhorar o relacionamento entre o professor e os alunos. No entanto, eles são espertos o suficiente para perceber se você está sendo verdadeiro ou se está fingindo um suposto interesse.

Por exemplo, é aconselhável usar os primeiros minutos da aula para ter uma conversa informal sobre as suas vidas. Aproveite o tempo para conhecer os interesses dos seus alunos e usá-los no planejamento das aulas.

3. Cuidado com as ameaças

Em terceiro lugar, você deve tomar cuidado com ameaças inapropriadas ou que não sejam aplicáveis para os alunos. Se isso acontecer, você perderá o controle da situação porque não poderá aplicar as consequências que estabeleceu.

Imagine que você use uma ameaça para fazer com que a criança se sente e fique quieta, fingindo que chamará os pais dela para se sentarem ao lado dela durante o restante da aula. Isso não vai acontecer.

Nesse sentido, é necessário que você formule e apresente tanto as expectativas quanto as consequências apropriadas com antecedência. Então, reforce o comportamento apropriado dos alunos e aplique as consequências estabelecidas, conforme necessário.

“Fazer pedidos desesperados para que os alunos se comportem adequadamente geralmente tem o efeito contrário: encoraja comportamentos inadequados em vez de diminuí-los.”

4. Defina as regras

Para um bom professor, é essencial manter o controle da turma. Para que isso seja possível, você deve definir regras básicas para que as aulas possam transcorrer normalmente e sem interrupções. Certifique-se de definir as regras para que elas estejam claras desde o primeiro dia.

Estabelecer regulamentos significa definir códigos de conduta que devem ser respeitadosÉ uma questão simples, que deve ser aplicada a partir do momento em que os alunos atravessam a porta da sala de aula.

5. Seja paciente e empático

A última dica para não se desesperar em sala de aula é ser paciente e empático. Trata-se de uma estratégia simples e eficaz, mas que exige que você tenha paciência em vez de procurar uma solução rápida. Na verdade, não requer nada além de se afastar da situação e deixar o aluno corrigir as próprias atitudes com paciência e compreensão.

Nesse sentido, é muito importante que você aprenda a simpatizar com os alunos e se lembre de que também foi um aluno no passado. Muitas vezes louvamos os adultos por cumprirem com as suas convicções, mas condenamos os alunos pelas suas atitudes.

Como professor, o sucesso está em encontrar o meio termo. Com paciência, empatia e compreensão, será possível modificar alguns comportamentos que podem te levar ao desespero.

Por fim, não se esqueça de que esta lista das melhores dicas para não se desesperar em sala de aula são apenas algumas recomendações que podem te ajudar a lidar com os alunos. Sem dúvida, cada professor pode encontrar seu próprio caminho. Coloque nossas dicas em prática e melhore o seu relacionamento com os seus alunos!