Quais mudanças ocorrem no cérebro durante a gravidez?

15 Abril, 2019
Durante a gravidez o cérebro passa por mudanças importantes que são responsáveis por guiar a futura mamãe para a maternidade. Mesmo que você se sinta insegura sobre tudo o que essa fase envolve, a natureza é muito sábia. Descubra o que os hormônios fazem por você e aproveite cada fase sem se sentir culpada.

As mulheres passam por inúmeras mudanças e emoções no curso da vida que são causados pela variação hormonal. Uma das transformações mais significativas é a experimentada pelo cérebro durante a gravidez.


Essas mudanças podem explicar a alteração no foco da mulher e por que ela fica um pouco confusa durante essa fase. Descubra abaixo quais são elas e como provavelmente você vai se sentir.

O cérebro durante a gravidez: mudanças importantes

Um grande número de mulheres afirma que depois da gravidez começaram a esquecer algumas coisas e ficaram mais sensíveis a determinadas emoções. Essas alterações ocorrem porque o cérebro da mulher se concentra em apenas uma coisa: o bebê.

Portanto, ela consegue ter maior capacidade de concentração para algumas questões e negligencia outras. Entre as mudanças mais importantes no cérebro, podemos destacar:

Redução da massa cinzenta

A mudança mais importante no cérebro durante a gravidez é a que a massa cinzenta sofre. É conhecida como poda neural, pois essa parte diminui.

Assim, é um processo que tem como consequência uma maior sensibilidade ao sofrimento. Portanto, essa condição faz com que a mulher otimize as funções sensoriais para enfrentar a tarefa de cuidar de um bebê.

Alguns especialistas atribuem essa mudança à capacidade das mães de traduzir o que outras pessoas sentem. Essa empatia é especial ao lidar com as crianças, por isso é compreensível que as mães sejam as primeiras a identificar as necessidades delas.

Aumento no tamanho dos neurônios

Outra mudança experimentada pelo cérebro durante a gravidez ocorre na área pré-óptica medial do hipotálamo. Devido a essa condição, há um aumento no tamanho dos neurônios, o que os torna mais sensíveis e ativos.

Uma das consequências é o aguçamento dos sentidos, como o cheiro e o sabor. É por isso que as mulheres grávidas ou que acabaram de dar à luz conseguem sentir mais cheiros e detectar sabores com mais intensidade. Isso faz com que até sintam nojo de coisas que não sentiam antes.

mudanças no cérebro durante a gravidez

Outra consequência é a intensificação da sensação de bem-estar. Essa sensibilidade é o que faz a mãe se apaixonar pelo bebê apenas sentindo-o em seu ventre, e ainda mais depois de nascer.

Além disso, é essa mudança no cérebro que causa desconforto físico na mãe ao se separar do bebê nos primeiros meses de nascimento.

Redução da amígdala cerebelosa

Durante a gravidez, o cérebro da mulher é sujeito a alterações hormonais e exposto a substâncias específicas para as fases de gravidez e lactação. Uma das consequências é a redução da amígdala cerebelosa, responsável pelo medo e pelas tomadas de decisão em resposta a determinado estímulo.

Por essa razão, se desenvolve em muitas mães um cérebro menos propenso a sentir medo. Essa habilidade permite que a mulher aja de diferentes maneiras para proteger a vida do filho.

“A mudança mais importante no cérebro durante a gravidez é a poda neural. É um processo que permite uma maior sensibilidade ao sofrimento.”

Influência sobre a função sináptica do hipocampo

Essa é uma das causas da distração e do esquecimento em mulheres grávidas. Isso acontece porque há um aumento na memória espacial e na aprendizagem.

Embora todas essas mudanças tenham início na gravidez, elas aumentam com o parto, já que o cérebro da mulher se adapta para cuidar do novo membro da família de maneira constante. Todo esse processo ocorre porque é necessário aprender a cuidar do bebê e realizar outras tarefas rapidamente.

Há muitas mudanças no cérebro durante a gravidez

É possível existir um “cérebro de grávida”?

O cérebro durante a gravidez é vulnerável a diferentes hormônios, reagindo de formas diferentes. Os principais hormônios são a oxitocina e a prolactina. Surpreendentemente, ambos produzem transformações que se mantêm durante os primeiros meses após o parto.

Na verdade, existem algumas mudanças que permanecem ao longo de anos. Essas mudanças são positivas e permitem que a mãe durma menos no primeiro ano de vida da criança, assim como compreenda a linguagem não-verbal característica dos bebês.

Em conclusão, o cérebro durante a gravidez está sujeito a várias mudanças que guiarão a mulher para uma maternidade feliz. Essas alterações são necessárias e fazem parte da beleza de ser mãe. Portanto, se você estiver preocupada com o que vai sentir quando tiver o seu bebê, fique tranquila: o seu cérebro está preparado.