É normal a quantidade de leite materno que eu tenho?

· 15 de agosto de 2017

A amamentação é normal e saudável tanto para os bebês quanto para as mamães. Sua importância é transcendental na vida do ser humano. Por isso, é natural nos preocuparmos com a quantidade de leite materno que temos para oferecer. Como saber se estamos produzindo leite em quantidade suficiente? A quantidade que fornecemos é adequada para o bebê?

A amamentação está relacionada a um menor risco de problemas de saúde aos bebês. O leite materno contém células chamadas anticorpos. Os anticorpos combatem as doenças para ajudar a proteger o bebê de germes e doenças.

Muitas mães já se perguntaram em algum momento se a quantidade de leite que oferecem é adequada ao seu bebê. Esse medo é comum, de fato acredita-se que todas as mães sem exceção já se fizeram essa pergunta.

Frequentemente as mães sentem que seus seios não estão cheios porque não pingam. Isso as faz pensar que o seu fornecimento de leite é baixo. No entanto, isso é um sinal que indica que o organismo vai se adaptando de acordo com as necessidades alimentares do seu bebê.

À medida que as diferentes etapas do desenvolvimento do bebê vão acontecendo, uma após a outra, suas necessidades nutricionais também vão mudando. Às vezes a depressão pode afetar determinantemente no aparecimento desses medos. No entanto, não é algo grave com que se preocupar, simplesmente são inseguranças que normalmente se sente. Muitas vezes esse medo vem acompanhado do desconhecimento da fisiologia da amamentação e o desenvolvimento dela no seu processo natural.

No fornecimento de leite, se há maior demanda, há maior produção

quantidade

É preciso se lembrar de que a produção de leite está diretamente relacionada à demanda: quanto maior a demanda, maior será a produção. Essas ações são normais já que a produção de leite pode aumentar se o fornecimento for menor que o necessário. Por conseguinte, não há com o que se preocupar.

Entretanto, alguns casos podem exigir atenção médica. Às vezes pode acontecer uma baixa reserva de leite, que colocaria em risco a alimentação ideal do bebê. O fenômeno no qual acontece a diminuição do fornecimento de leite ao bebê é conhecido como hipogalactia

A hipogalactia é a produção insuficiente de leite materno, fato que impede o fornecimento adequado desse alimento ao bebê.  Esse inconveniente impede, em grande parte, que as necessidades nutricionais do bebê sejam satisfeitas.

Quais são as causas do baixo fornecimento de leite materno?

Há diferentes causas devido as quais esse problema pode aparecer. Entre os mais comuns temos:

  • Por causa de dor nos mamilos. Talvez devido a rachaduras.
  • Pode ser que o bebê mame muito lentamente. Às vezes um bebê que dorme muito acaba estimulando pouco a glândula e extraindo menos leite do que necessita, distorcendo a produção.
  • O bebê ainda não encontrou uma forma para mamar tranquilamente. Seja por causa da postura inadequada ou por ter o frênulo da língua muito curto.
  • Esvaziamento inadequado dos seios, este é pouco frequente. Neste caso, é recomendável que se esvazie bem um seio antes de oferecer o outro.
  • Uso da pílula contraceptiva devido à presença de estrógeno.
  • Alguns tipos de cirurgia nos seios.

Como estimular um adequado fornecimento de leite?

Existe uma poderosa técnica que foi desenvolvida com a finalidade de ajudar as mães a ter um rápido aumento da sua produção de leite materno. Ela foi criada pela Consultora Internacional em Aleitamento Materno, Catherine Watson. Consiste em estimular excessivamente o seio com o já conhecido extrator.

quantidade

A especialista recomenda que seja utilizado um extrator duplo para realizar extrações de 5 minutos em cada seio. A cada hora ou a cada 45 minutos por dia, ou seja, ao longo das 24 horas. Durante a noite, é possível descansar por 4 horas seguidas. No início, quando se começa a extração, vai sair pouco leite. Mas é para isso que a estimulação está sendo realizada, para aumentar o fluxo.

Com essa técnica é possível obter o dobro da quantidade de um dia para outro. Isso contribui efetivamente na produção de leite materno. Por essa razão é preferível extrair o leite com frequência do que ficar preocupada com o baixo fornecimento em determinado momento.

Sabemos que essa técnica pode ser bastante complicada de realizar, principalmente quando somada a amamentar e suprir todas as necessidades do bebê. No entanto, é importante saber que a dedicação nos permitirá obter os resultados desejados.