Quanto tempo o bebê deve dormir antes de se alimentar?

· 25 de março de 2018
No começo da vida, os intervalos entre os momentos de se alimentar são curtos. Nesses intervalos, é essencial que o bebê tire pequenos cochilos.

Um aspecto importante a se considerar nos primeiros anos de vida de uma pessoa, e que é fundamental para obter um bom desenvolvimento, é a quantidade de tempo que o bebê deve dormir antes de se alimentar.

O bebê precisa se alimentar antes e depois de cada cochilo

A importância do controle de sua alimentação é crucial nas primeiras semanas de vida, pois é comum que nesse período o bebê perca peso.

Alguns recém-nascidos podem chegar a ficar tão fracos que não se alimentam adequadamente. A consequência é a diminuição do nível de açúcar no sangue, o que vai gerar um processo de fraqueza mais grave.

É habitual que, nos primeiros dias de vida, o recém-nascido durma por longos períodos de tempo devido ao estresse provocado pela quantidade de estímulos recebidos em tão pouco tempo. Nesses casos, é necessário que o adulto o acorde para garantir a quantidade de sucções diárias que o bebê precisa.

se alimentar

Também pode acontecer de o bebê ficar acordado apenas quando está sendo alimentado. Se o bebê dormir no momento de se alimentar, recomenda-se continuar alimentando até que ele durma completamente ou até que o adulto considere que o bebê já está satisfeito.

A falta de alimentação em um bebê pode provocar a interrupção do seu descanso e sua consequente irritação. Por esse motivo, é imprescindível respeitar os momentos de alimentação dos bebês.

Embora não exista uma quantidade mínima ou máxima recomendável de sucção diária de leite, é aconselhável alimentar o bebê sempre que ele pedir e até ficar saciado. Durante as primeiras três ou quatro semanas (cinco ou seis, se os bebês forem gêmeos), deve-se garantir a alimentação do bebê a cada três horas, depois de cada cochilo.

Primeiras semanas de vida

Embora os bebês nasçam com uma ampla variedade de reflexos para sua sobrevivência, eles precisam da atenção de um adulto para sua funcionalidade. Por esse motivo, é de extrema importância responder a qualquer sinal de choro, que pode indicar que o momento de descanso terminou e sua consequente necessidade de alimentação.

Respeitar as horas de descanso, tanto quanto de alimentação, é essencial para proporcionar um bom desenvolvimento. Portanto, é preciso estabelecer um equilíbrio entre ambas as necessidades.

Uma má administração da quantidade de tempo que um bebê deve dormir pode dificultar seu correto desenvolvimento e provocar grandes períodos de excitação.

Depois do terceiro dia desde o nascimento, é provável que o bebê fique acordado inclusive em momentos em que não está com fome. Os pediatras aconselham que as pessoas responsáveis pelo bebê também durmam quando ele dormir.

Consequentemente, aconselham não se preocupar excessivamente por manter a casa sem barulhos, pois consideram saudável que o recém-nascido consiga dormir em meio aos ruídos habituais da casa.

É preciso se lembrar de que um bebê não diferencia nem reconhece o dia e a noite. Portanto, dormir por períodos mais longos durante a noite será um hábito que o adulto deverá condicionar o bebê durante o desenvolvimento. Alguns dos pontos que se aconselha levar em consideração para realizar essa aprendizagem gradual são:

  • Manter uma luz tênue acesa.
  • Não falar muito alto.
  • Colocar o bebê deitado depois de trocado e alimentado.
  • Não brincar com ele.
se alimentar

É importante manter uma organização com os horários, tanto na hora de se alimentar quanto nos momentos de sono. Isso também vai ajudar a organizar a vida do bebê e vai evitar períodos irregulares de sono e alimentação que possam gerar grande excitação.

Dormir a noite toda não é o normal

Segundo dados e estatísticas, somente um bebê de seis meses em cada mil dorme a noite toda direto. Na prática, um recém-nascido não é capaz de começar a unir em um só os vários ciclos de sono antes dos três meses. Também há muitos casos em que os bebês não conseguem após terem completado um ano de vida.

O sono prolongado costuma coincidir com o período em que o corpo do bebê consegue manter estável o nível de glicose no sangue. De acordo com essa premissa, querer fazer com que o bebê durma a noite toda antes do momento adequado significaria uma anomalia no seu desenvolvimento. O ideal é respeitar os ciclos.