Por quanto tempo uma criança deve ficar acordada depois de bater a cabeça?

· 28 de março de 2018
Uma das maiores preocupações ou medos dos pais se materializa quando a criança bate a cabeça. Não deixar que a criança durma é uma das recomendações mais comuns. Mas quão verdadeira é essa afirmação?

Recentemente, para os profissionais da saúde, não deixar a criança dormir depois de bater a cabeça se tornou um mito. Dizem que o que realmente importa são as reações ou sintomas depois da batida, os quais podem precisar da atenção de um pediatra.

O que fazer se seu filho bateu a cabeça?

Quando isso acontece, a primeira coisa que fazemos é correr para o médico, o que não é exagero. Mas os profissionais da saúde consideram que nessa hora o que as crianças devem fazer é descansar e diminuir a atividade diária.

No entanto, sempre haverá quem nos assuste e diga que se a criança dormir pode entrar em coma, o que deixa os pais aterrorizados. E ainda que não se possa descartar um dano maior, tudo dependerá da intensidade do impacto ou de como foi a batida.

Se seu filho bateu a cabeça, a primeira coisa que você deve fazer é verificar se ele está consciente. Para isso, faça perguntas simples e diretas: “Qual é o seu nome?”, “Você sabe onde você está?”, e outras perguntas do tipo.

Se a criança for muito pequena, você pode utilizar estímulos. As diferentes reações vão mostrar o quão consciente a criança está depois do impacto. Você também pode verificar se a criança acompanha com os olhos um movimento na sua frente ou o movimento de um facho de luz diante de seus olhos, por exemplo.

sintomas de pancada na cabeça

Sintomas aos quais se deve prestar atenção

Os sintomas que uma criança pode apresentar após uma batida na cabeça podem ser variados. Algumas situações podem exigir exames ou observação médica para garantir que está tudo bem.

Quando há uma contusão ou uma batida na cabeça da criança, o cérebro é sacudido. Isto pode causar alguns sintomas ou reações enquanto o cérebro reorganiza suas funções, o que pode levar algum tempo.

Entre os mais comuns estão: desorientação, perda do equilíbrio, visão borrada, dor de cabeça, formigamento nos braços ou nas pernas e vômitos. À medida que se prolonguem estes sintomas ou que a sua intensidade aumente, o especialista recomendará a hospitalização da criança e a realização de certos exames.

O que fazer se a batida na cabeça não aparenta maiores complicações?

Se depois da contusão a criança não apresentar sintomas e continuar a brincar normalmente, é provável que não tenha acontecido nada grave. Lembre-se de que os ossos do corpo e também do crânio nesta idade têm certa flexibilidade que permite absorver ou amortecer um pouco os impactos.

Esteja ciente de que você deve manter a criança em observação porque nas primeiras horas podem surgir outros sintomas indicativos de algum dano. Por isso, as próximas 8 horas serão fundamentais. O tratamento para uma batida na cabeça vai depender da gravidade da lesão.

Se a criança apresentar uma dor de cabeça leve é possível dar um analgésico. Porém sempre com a prescrição do seu pediatra de confiança. Também se pode utilizar compressas com água fria na testa e fazer com que a criança diminua sua atividade.

Se ela pegar no sono, deixe que durma; seu corpo e cérebro estão pedindo repouso e descanso. Porém, você deve acordar a criança após algum tempo, pelo menos a cada duas horas, e verificar sua reação.

Naturalmente, se a batida foi mais forte e há um ferimento que não se pode controlar em casa, procure imediatamente o médico.

Conselhos para os pais quando a criança bate a cabeça

Após uma batida na cabeça é necessário diminuir a atividade física.

O que fazer quando a criança cai e bate a cabeça?

Acima de tudo, mantenha a calma e, se a criança estiver chorando, tente acalmá-la o mais rápido possível. Geralmente, as lesões provocadas por uma batida na cabeça são mais leves do que se imagina, ainda que haja sangramento abundante. Lembre-se sempre de que a cabeça tem uma infinidade de vasos sanguíneos.

Além disso, as batidas na cabeça fazem parte das lesões mais comuns nas crianças. Seja aprendendo a andar, brincando, tentando alcançar alguma coisa no alto, correndo, andando de bicicleta ou ao cair da cama, são muitas as vezes que as  crianças batem a cabeça.

Ainda assim, esses ferimentos geralmente são leves. Contudo, há outros ferimentos que podem ser mais sérios, por exemplo atropelamentos, acidentes de carro, queda ao andar de patins ou queda de escadas.

Resumindo, a prevenção adequada ajudará a reduzir os riscos de que seu filho esteja envolvido neste tipo de lesões.