Queda de cabelo na adolescência: sintomas, causas e tratamento

Embora seja normal perder cerca de 100 fios por dia, quando esse número aumenta pode sugerir alguma patologia. Nós vamos contar tudo aqui!
Queda de cabelo na adolescência: sintomas, causas e tratamento

Última atualização: 30 abril, 2022

A queda de cabelo geralmente costuma ser experimentada na adolescência com bastante frequência. No entanto, a maioria das pessoas começa a notar isso na idade adulta, e isso tem um grande impacto na autoestima.

A seguir, contamos as prováveis causas dessa queda de cabelo e como lidar com isso. Vamos conferir?

Causas da queda de cabelo na adolescência

Existem várias causas de queda de cabelo na adolescência, incluindo desequilíbrios hormonais, fatores genéticos e certas condições médicas subjacentes.

Em algumas ocasiões, essa condição pode ser revertida com o tratamento correto, por isso vale a pena saber o que a causa.

1. Fatores genéticos

A calvície masculina ou feminina é uma forma genética de queda de cabelo que ocorre de maneira previsível e é conhecida como alopecia androgênica.

O padrão masculino geralmente começa com uma recessão da linha do cabelo em forma de U, V ou M e uma perda gradual de cabelo na coroa. Em contraste, o padrão feminino é caracterizado por um afinamento gradual em toda a cabeleira.

Em geral, esse tipo de queda de cabelo começa na idade adulta, mas também pode ser observada na adolescência. Portanto, não é incomum que os jovens experimentem esse padrão de alopecia, principalmente se houver histórico semelhante na família.

couro cabeludo nu sem pelos alopecia areata sem pelos
As manchas de alopecia areata no couro cabeludo podem ser extensas e localizadas em diferentes regiões da cabeça.

2. Alopecia areata

A alopecia areata é uma condição autoimune caracterizada por queda de cabelo irregular, causada por um ataque pontual do sistema de defesa nos próprios folículos pilosos. Além do couro cabeludo, essa condição pode se manifestar em qualquer região do corpo que tenha pelos, como as sobrancelhas, o corpo ou os cílios.

De acordo com uma publicação da Nature Reviews Disease Primers, essa patologia afeta 2% das pessoas em algum momento de suas vidas. De fato, uma alta porcentagem desses casos se manifesta antes dos 30 anos e até na infância.

3. Maus hábitos alimentares

Desequilíbrios alimentares ou dietas deficientes em nutrientes essenciais podem causar queda de cabelo. Entre os elementos mais frequentemente envolvidos estão os seguintes:

  • Vitamina A, E e C.
  • Zinco.
  • Biotina.
  • Vitamina E e D
  • Niacina.
  • Ácido fólico.
  • Selênio.

4. Patologias da tireoide

Doenças da glândula tireoide podem causar queda de cabelo na adolescência ou ser responsáveis pelo desenvolvimento de cabelos fracos e quebradiços.

No entanto, a queda de cabelo é mais frequente em doenças prolongadas ou graves da tireoide e tende a se recuperar com o tratamento correto.

5. Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)

Essa síndrome apresenta níveis aumentados de hormônios sexuais masculinos (como andrógenos) que geram certos desequilíbrios no organismo, como a interrupção dos ciclos menstruais, queda de cabelo e acne.

O tratamento correto dessa condição pode contribuir para regenerar os fios de cabelo com propriedades normais.

Como reconhecer a queda de cabelo na adolescência?

A puberdade gera flutuações nos níveis de alguns hormônios que, como vimos, são capazes de alterar o crescimento do cabelo. A queda de cabelo pode começar imediatamente após a puberdade e aumentar com o tempo.

Em geral, durante a adolescência há uma queda de cabelo em manchas, em um padrão, e um enfraquecimento e afinamento da fibra capilar. Além disso, nas ocasiões em que a queda de cabelo é causada por uma condição médica subjacente, é provável que você experimente outros sintomas associados.

Um diagnóstico precoce por um médico especializado pode melhorar a saúde do cabelo e estimular seu crescimento e regeneração.

dermatologista avalia placa de alopecia areata do couro cabeludo em cabelo de adolescente
É conveniente comparecer à avaliação com o dermatologista para chegar ao diagnóstico da causa da queda de cabelo e iniciar o tratamento o quanto antes.

Tratamento da queda de cabelo na adolescência

O médico pode diagnosticar a causa da queda de cabelo com um exame físico, um exame de sangue, o histórico pessoal do adolescente e, se necessário, com uma pequena biópsia do couro cabeludo.

O tratamento a ser instituído dependerá da causa que leva à queda de cabelo e aqui estão alguns exemplos:

  • Alopecia areata: injeções locais de corticosteroides e pomadas tópicas podem ajudar a reverter a condição. Fármacos imunomoduladores também são bastante úteis para essa finalidade.
  • Causas genéticas: geralmente é indicado o uso de minoxidil e espironolactona, bem como finasterida e plasma rico em plaquetas (PRP).
  • Má alimentação: corrigir hábitos alimentares e deficiências de vitaminas e minerais é fundamental.
  • Síndrome dos ovários policísticos: geralmente recorre-se ao uso de contraceptivos orais, espironolactona ou metformina.
  • Doença da tireoide: nesse caso, é indicada uma medicação para equilibrar os níveis hormonais.

Existem outras causas de queda de cabelo, como o consumo de certos medicamentos, lúpus, micose do couro cabeludo ou eflúvio telógeno. Por esse motivo, deve-se saber que, em algumas ocasiões, o tratamento não reverte completamente o quadro clínico.

Queda de cabelo e autoestima

O objetivo de interromper a queda de cabelo é reduzir o desconforto, a ansiedade ou a angústia gerada. E, por outro lado, é preciso levar em conta esse sinal como indicativo de alguma patologia oculta que deve ser estudada.

A queda de cabelo pode causar baixa autoestima e afetar negativamente a confiança de um adolescente. E, por sua vez, pode ser consequência de situações de estresse ou ansiedade em qualquer idade.

Pode interessar a você...
Como a música influencia a adolescência
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Como a música influencia a adolescência

A música na adolescência é um fator de grande influência graças à diversidade de estilos musicais. Confira efeitos positivos e negativos.