Quedas e crianças, uma dupla muito comum

13 de junho de 2018
O risco começa quando as crianças passam a engatinhar e dar seus primeiros passos. A combinação "quedas e crianças" é um desafio que todos os pais terão que enfrentar.

Nos primeiros anos de vida, as crianças tendem a ser muito inquietas. Por esse motivo, quedas e crianças são uma dupla muito comum. É importante ajudar a criança no momento da queda, mas evitar o acidente é ainda mais importante. A supervisão dos adultos deve ser constante.

Desde o nascimento até os três anos de idade, as crianças passam por vários estágios de aprendizado. Suas capacidades e habilidades devem ser estimuladas, ao mesmo tempo em que cuidados devem ser tomados para protegê-las. Isso pode fazer a diferença entre uma criança saudável e outras com riscos permanentes de se machucar.

Nunca as deixe sozinhas

A maior parte da responsabilidade, obviamente, recai sobre os pais. É necessário planejar, estar atento aos riscos e tomar medidas para prevenir acidentes.

Como sabemos, você nunca deve deixar a criança sozinha, embora haja lugares mais arriscados que outros. É o caso de lugares altos, como a cama, as mesas ou um berço sem grades, além de carros, balanços, entre outros.

Basta um descuido! Um segundo pode ser suficiente para o acidente acontecer. Talvez as consequências não sejam medidas ou as pessoas tenham uma confiança excessiva nas próprias decisões. Tudo pode acontecer, mas tudo pode ser evitado.

Quedas e crianças, uma combinação frequente

A combinação tão comum entre quedas e crianças muitas vezes pode ser evitada. É apenas uma questão de organização e hábitos apropriados. Uma medida essencial é colocar portas ou grades no início e no final das escadas, além de corrimãos laterais.

Essas portas não devem ser flexíveis nem ter aberturas maiores do que cinco centímetros a fim de evitar que a cabeça do bebê fique presa. Também é conveniente que as escadas não sejam escorregadias. Também ajuda que a criança, pouco a pouco, aprenda a segurar o corrimão ao subir ou descer escadas, sempre sob a supervisão de um adulto.

Quedas e crianças, um binômio muito comum

Cuidado com os andadores

Os andadores podem causar lesões que vão desde beliscões até grandes quedas. Além disso, também podem ser utilizados para acessar lugares perigosos. Varandas, terraços, quintais ou áreas elevadas devem estar longe do raio de ação das crianças.

A curiosidade, especialmente quando começam a engatinhar e andar, pode levá-las a locais inesperados e perigosos. Elas gostam de explorar, dançar, escalar; todas as atividades que envolvem o risco de quedas e ferimentos. Além disso, é aconselhável sempre colocar sapatos ou meias antiderrapantes.

Espírito aventureiro, mas com cuidado

Para não restringir o espírito aventureiro da criança além do que é necessário, assim que o bebê começar a engatinhar ou andar, algumas medidas devem ser tomadas. Portanto, é preciso trancar qualquer porta que leve a áreas perigosas. Se for necessário usar cadeiras ou mesas altas, não se pode perder a criança de vista.

Nas janelas, é prudente colocar protetores e mantê-las fechadas quando a criança estiver por perto. Por sua vez, berços e camas devem ficar longe das janelas.

Também é aconselhável evitar que a criança suba em mesas ou cadeiras de onde possa cair. Esse tipo de mobília que serve para escalar deve ser armazenado em um local seguro. No quarto do bebê, a mobília deve preferencialmente estar fixa ao chão.

“É preciso planejar, ficar atentos aos riscos e tomar medidas para prevenir acidentes”

Fora do alcance das crianças!

O pequeno explorador vai querer andar pela casa. Em sua excursão, ele pode encontrar eletrodomésticos ou utensílios de cozinha, especialmente afiados e perigosos.

Também pode descobrir produtos de limpeza potencialmente perigosos pela casa. Assim como com os medicamentos, todos esses líquidos ou pós devem estar fora do alcance das crianças.

Quedas e crianças, um binômio muito comum

Ferros e panelas, longe das crianças

Além disso, o bebê deve ser mantido a uma distância segura de algumas áreas da cozinha. Esse é o lugar menos seguro da casa para a criança curiosa perambular. São áreas suscetíveis a quedas, cortes e queimaduras.

Por outro lado, quedas também podem ocorrer ao entrar ou sair do banho. Se não houver boa vigilância, é muito fácil para o bebê escorregar. Esses tipos de quedas, devido aos vários elementos do banheiro, podem ser realmente perigosas.

Aparelhos modernos que monitoram o bebê são de grande ajuda nesses casos. Seja quando acordam ou quando brincam, será sempre um alívio saber que existem maneiras de se manter atenta enquanto estiver relativamente longe.

Em resumo, a curiosidade e o espírito aventureiro das crianças não devem ser prejudicados nesses primeiros estágios da vida. A questão importante é ter precaução para prevenir quedas e ferimentos.

Recomendados para você