Quedas e pancadas na cabeça, o que fazer?

9 de junho de 2018
Os primeiros movimentos das crianças incluem o risco de quedas e pancadas na cabeça. Não é preciso se desesperar, mas é essencial que os pais estejam devidamente cientes e conheçam a maneira correta de agir no caso de acidentes domésticos.

Desde quando as crianças começam a andar, elas ficam suscetíveis a pancadas na cabeça. É uma das lesões mais frequentes e, embora não seja preciso entrar em pânico, é um dos acidentes aos quais devemos prestar mais atenção. Dependendo da força do impacto é necessário agir rapidamente.

Para prevenir e reagir de maneira adequada em caso de acidentes domésticos, é essencial que os pais estejam devidamente cientes e saibam como agir no caso de quedas e pancadas na cabeça.

Quedas e pancadas na cabeça: um problema frequente

As pancadas na cabeça costumam ser comuns desde o momento em que a criança começa a andar. Mais cedo ou mais tarde, acidentes podem acontecer em qualquer lugar que exista determinada altura em relação ao chão.

De todos os acidentes infantis as quedas e as pancadas na cabeça são os mais frequentes. De fato, especialistas explicam que aproximadamente 50% dos acidentes cranianos ocorrem em crianças menores de 15 anos de idade.

Entre os espaços da casa com maior risco para os pequenos estão os criados-mudos, as cômodas, os andadores, as mesas, os beliches e as cadeiras, entre outros. Depois, quando a criança cresce, esses acidentes geralmente acontecem por causa da prática de um esporte ou outra atividade física.

Como agir em caso de quedas ou pancadas na cabeça?

É essencial que pais e familiares das crianças estejam bem informados sobre como agir em caso de acidente envolvendo uma pancada na cabeça. Eles devem ser capazes de cuidar da criança e saber quando é necessário levá-la ao médico.

Observar

É importante saber que um dos aspectos mais importantes quando uma criança bate a cabeça é observar. Os pais devem observar a criança durante 72 horas após o acidente e, no caso de qualquer sintoma estranho, levá-la ao pronto-socorro.

pancadas na cabeça o que fazer

Ir ao pronto-socorro

Certos sintomas indicam claramente que uma criança deve ser levada ao pronto-socorro o mais rápido possível. Esses sintomas são:

  • Perda de consciência (mesmo que seja momentânea)
  • Vômito
  • Problemas de fala
  • Perda de capacidade de coordenação
  • Perda de memória
  • Outros

“Entre os espaços da casa com maior risco para as crianças encontram-se as cômodas, os andadores, as mesas, as beliches e as cadeiras”

Galos e hematomas

Na maioria dos casos, as pancadas não costumam ser mais do que maus momentos. Se a criança tiver um galo, um hematoma ou um pequeno corte, é normal sentir dor na cabeça. Nestes casos, é preciso limpar e cuidar das feridas aplicando gelo embrulhado em um pano.

É preciso estar atento mesmo quando a pancada não parecer ter sido muito forte. Se o galo aumentar, é aconselhável ir ao pronto-socorro o mais rápido possível.

Traumatismo craniano

Quando a criança apresenta algum dos sintomas que serão descritos a seguir, é possível que ela tenha sofrido um traumatismo craniano. É preciso chamar uma ambulância ou levá-la ao serviço de emergência o mais rápido possível.

Então, quais são os sintomas de um traumatismo craniano? Olhos roxos, sangramento de olhos ou nariz, perda de memória e coordenação, os ossos da cabeça cedem ao toque, dificuldade para falar, convulsões, sonolência.

pancadas na cabeça

Cuidado com os bebês

No caso de bebês pequenos os pais devem ter um cuidado especial, já que os ossos do crânio ainda não são duros o suficiente. O bebê deve ser observado atentamente durante as primeiras horas após a queda e levado ao médico se: o galo crescer e ficar mole e/ou o bebê apresentar problemas respiratórios, sonolência, irritabilidade e vômitos, entre outros sintomas.

O mais comum é que depois de uma pancada a criança sinta dor de cabeça. Na maioria dos casos esse problema é resolvido com um pouco de gelo, um ambiente calmo e um analgésico de acordo com a idade da criança.

Como vimos, no caso dos bebês, os pais ou outros adultos também devem estar atentos a vários sintomas que podem indicar se a pancada requer atenção profissional.

Embora pancadas na cabeça sejam o acidente infantil mais comum, também é verdade que é uma das áreas mais delicadas do corpo e que deve receber mais atenção. A observação é a chave para os pais determinarem se é necessário ou não levar a criança ao pronto-socorro.