Como os raios-X afetam a gravidez?

02 Julho, 2020
A exposição à radiação de alta energia necessária para tirar raios-X pode realmente ser prejudicial ao bebê. Isso afeta áreas como os olhos e pode até mesmo ser uma causa de deficiência intelectual.
 

Os raios-X são uma técnica usada na medicina como um guia de diagnóstico para identificar patologias no organismo. São usados para exames que vão desde a verificação das partes ósseas até a observação precisa de órgãos. Considerando que as mulheres grávidas sempre são advertidas quanto ao seu uso, como os raios-X afetam a gravidez? 

Essa técnica de diagnóstico é feita através da emissão de radiação gama, obtendo assim as bem conhecidas imagens de contraste. Sem dúvida, em caso de emergência médica, o uso de técnicas de diagnóstico é imprescindível para proporcionar o tratamento correto. No entanto, conforme mencionamos anteriormente, pode ser arriscado para uma mulher grávida.

Sem dúvida, a exposição aos riscos da radiação durante a gravidez constitui uma proibição geral para qualquer mulher grávida. Entre as consequências mais diretas para o feto, fala-se de malformações nas células oculares ou até mesmo atraso mental. 

No entanto, vale a pena esclarecer que esse último caso ocorre apenas se a mãe for exposta a níveis de radiação iguais ou superiores a uma medida denominada 10 rads.

Portanto, não tenha medo se você teve que fazer um raio-X durante a gravidez e não sabia disso. A seguir, vamos indicar as quantidades de radiação necessárias para fazer uma radiografia e você verá que, na maioria dos casos, esse limite não é atingido.

Como os raios-X afetam a gravidez?

Quando uma radiografia é feita, a mulher grávida deve necessariamente ser exposta a radiação ionizante. Essas emanações são as únicas que permitem a obtenção de contraste para poder observar qualquer parte do corpo: ossos, vísceras, órgãos e dentes, entre outras.

 

Porém, para que esses níveis de radiação realmente possam modificar o feto de forma negativa, devem ser atendidas duas condições muito precisas. A primeira são as semanas de desenvolvimento da gravidez, e a segunda está ligada à dose de radiação.

os raios-X afetam a gravidez

Riscos de acordo com o momento do desenvolvimento da gravidez

Primeiramente, vamos tratar dos efeitos da radiação ionizante de acordo com o tempo de gestação. A primeira indicação comprovada é que, se uma mulher é exposta à radiação de raios-X antes de o embrião se implantar no útero, ela tem 50% de chance de perdê-lo.

No entanto, embora já seja bastante lamentável que a implantação não seja alcançada com sucesso por causa dos efeitos da radiação, as consequências mais graves para o feto ocorrerão entre a terceira e a oitava semana de gravidezÉ nesse momento que é possível que o feto desenvolva malformações congênitas.

Entre os danos mais importantes, podem ocorrer problemas no sistema nervoso central. Além disso, especialistas apontam que, quanto mais próximo o feto estiver de suas primeiras semanas de vida, maiores são as probabilidades de que ele seja afetado.

 

“Se uma mulher é exposta à radiação de raios-X antes de o embrião se implantar no útero, ela tem 50% de chance de perdê-lo.”

Risco por alta dose de radiação

Nem toda exposição à radiação vai afetar o feto. A princípio, antes de fazer a impressão da imagem, o técnico radiologista coloca placas especiais de chumbo sobre as áreas mais importantes do corpo para impedir que a radiação penetre no organismo.

Além disso, como protocolo de proteção, sempre se pergunta várias vezes para a paciente se ela está grávida ou se suspeita que possa estar. Da mesma forma, atualmente, as máquinas sempre são graduadas para emitir a menor quantidade de radiação possível.

os raios-X afetam a gravidez

De qualquer forma, oferecemos como conclusão os dados exatos dos níveis de radiação que podem ser prejudiciais. Em caso de emergência médica, você pode avisar o técnico radiologista ou o seu médico.

As quantidades que afetam o feto são iguais ou maiores do que os chamados 10 rads, também conhecidos como 100 miligrays (mGy). Para se ter uma ideia melhor, uma radiografia do abdômen transmite 2,5 mGy; um raio-X pélvico, que é prescrito para algumas mulheres grávidas antes do parto, emite apenas 2 mGy.

 

Isso significa que, em geral, uma mulher grávida não alcançaria os níveis de 100 mGy ou 10 rads mesmo que fizesse uma dúzia de radiografias em um dia.

Como recomendação final, aconselhamos que você sempre fale com o seu médico em caso de emergência médica. Se você tiver dúvidas sobre uma possível gravidez, sempre solicite a proteção com a placa de chumbo oferecida pelo serviço de radiologia aos pacientes.