A reeducação gráfica, uma solução para escrever melhor

3 de novembro de 2019
Às vezes, não escrevemos tão bem quanto deveríamos, e isso afeta o desempenho escolar. Por isso, às vezes crianças e adultos precisam passar por uma reeducação gráfica. Vamos aprender aqui que escrever é tão importante quanto saber como escrever.

Embora escrever pareça uma atividade simples, desenvolver a motricidade fina corretamente requer tempo e muita prática. Quantas vezes você já disse a típica frase de que alguém tem ‘letra de médico’? Você já leu frases nas quais parece que as palavras dançam no papel? Esses hábitos são comuns (e não apenas em crianças), mas podem ser corrigidos com a reeducação gráfica.

O que é a reeducação gráfica?

Reeducação gráfica significa, como o próprio nome indica, aprender a escrever novamente. No entanto, isso não se reduz apenas à caligrafia como geralmente se pensa, mas também abrange aspectos motores ou a organização do conteúdo.

Em que consiste a reeducação gráfica?

Agora que você já sabe o que é, você se perguntará: “E então? O que fazer?” Precisamos saber com mais detalhes em quais áreas esse novo aprendizado melhora a nossa maneira de escrever.

Os doze traços

A escrita alfabética consiste em doze traços. Essas linhas podem ser retas ou curvas, na direção vertical e horizontal. Parece fácil, mas é preciso ter em mente que, para escrever uma única letra, é necessário recrutar muitos músculos, de uma forma muito precisa.

A reeducação gráfica, uma solução para escrever melhor

Usaremos os seus conhecimentos analíticos para que você entenda a importância de ter uma boa base. Pegue papel e lápis e escreva um g de mão, da mesma forma que as crianças fazem. Observe as mudanças de direção para a direita e esquerda e para cima e para baixo. São muitos movimentos para fazer apenas uma letra, certo?

Imagine multiplicar esses movimentos até obter uma frase ou um texto. Não é uma tarefa simples. É por isso que é vital internalizar os movimentos corretamente, para que nos demande menos esforço.

Melhore a apresentação

A apresentação se refere à limpeza e organização de um texto. Há momentos em que as linhas sobem e descem fazendo filigranas ou, talvez, até mesmo as margens podem ser inexistentes.

Uma boa apresentação acelera a leitura e ajuda a entender o texto. Quando as crianças precisam resumir, ler ou procurar informações em um texto que escreveram, a tarefa pode ser exaustiva. Estudar já requer uma grande concentração. Não é necessário fazer com que isso seja ainda mais complicado do que já é.

Exercícios de reeducação gráfica

A reeducação gráfica é uma corrida de longa distância, de tal forma que é necessário ter paciência e ser muito perseverante. Tanto os movimentos motores finos quanto a organização são assimilados com tempo e repetição. Portanto, o mais importante é que a escrita se torne um hábito.

Exercícios de caligrafia

Os cadernos de caligrafia são bem conhecidos e úteis. No entanto, geralmente não são suficientes para as pessoas que recorrem à reeducação gráfica. Nesses casos, precisamos de uma maior constância e repetição, além de corrigir os movimentos do braço todo e aspectos como a maneira de segurar um lápis, por exemplo.

Lembre-se de que uma correção pontual desses aspectos não é o suficiente, pois é um hábito complexo que deve ser mudado. Portanto, um especialista nesse campo será a pessoa mais indicada para corrigir esses ‘vícios’.

Por outro lado, sugerimos alguns exercícios alternativos para que as crianças pequenas assimilem os traços das letras mais facilmente.

Por exemplo, você pode usar letras em relevo para que elas sigam o formato ou pintura a dedo para que escrevam com menos esforço. Estas são maneiras divertidas para que as crianças comecem a se familiarizar com as letras.

reeducação gráfica

Truques para uma boa apresentação

O melhor método para melhorar a apresentação é fazer um modelo. As crianças geralmente escrevem em cadernos pautados ou quadriculados, mas o verdadeiro desafio está nas folhas em branco. Por isso, vamos resolver esse problema.

Pegue uma folha de caderno quadriculada e um marcador preto. Então, marque uma linha dois quadrados abaixo da borda superior da folha e duas linhas verticais ao longo das margens, até chegar ao final da folha. Por fim, desenhe linhas horizontais a cada dois quadrados até que a folha seja preenchida.

Quando tiverem que escrever em uma folha, coloque-a em cima do modelo e prenda-a com dois clipes nas bordas. Assim, as crianças poderão ver as linhas das marcações de maneira tênue na folha e isso servirá para guiar a escrita.

Se elas se acostumarem a escrever dessa maneira, os movimentos para escrever de forma reta e dentro das margens de uma superfície sem pauta serão automatizados.