Riscos de comer salada durante a gravidez

8 de julho de 2019
Alimentar-se exclusivamente de saladas ou, até mesmo, não ter higiene na preparação dos alimentos pode prejudicar gravemente a saúde de ambos, mãe e bebê.

Não é aconselhável alimentar-se somente de um único grupo de alimentos, tanto estando grávida ou não. Todo ser humano precisa de uma dieta variada e equilibrada para poder estar saudável. Por isso, comer salada durante a gravidez, de forma exclusiva, pode trazer consequências graves para a saúde.

Uma salada pode ser um bom complemento para uma refeição ou uma refeição leve ao longo do dia. No entanto, uma mulher não deve ter uma única fonte de alimento, muito menos se estiver grávida.

Se isso acontecer, ela não estará proporcionando ao seu corpo, e consequentemente nem ao bebê, todos os nutrientes de que precisa para se desenvolver de forma saudável.

Riscos de comer salada durante a gravidez

Durante a gravidez costuma-se prestar mais atenção à alimentação. Apesar disso, existem mães que deixam de consumir determinados alimentos ou se concentram em um único grupo, sem nenhuma razão médica.

Na verdade, algumas estão mais preocupadas com o fato de perder peso ou manter a aparência – tanto quanto possível – para não parecer muito diferentes de quando não estavam grávidas.

Isso pode ser bom, até certo ponto. É importante cuidar de si para se sentir atraente. Entretanto, não é certo se preocupar apenas com isso na hora de viver uma vida saudável e dentro de um índice de massa corporal adequado. Muito menos uma gravidez, já que não há somente um organismo que precisa de nutrientes, mas dois.

O déficit nutricional é uma das principais causas de malformações e de outros problemas no feto. Por isso, é fundamental manter uma dieta equilibrada durante a gravidez, de acordo com as indicações do médico.

Além do déficit nutricional, comer salada durante a gravidez sem lavar corretamente os vegetais (ou frutas, se for o caso) constitui um fator de risco na hora de contrair doenças por bactérias, entre outros agentes. Além disso, a falta de preparo de alguns alimentos, especialmente em certos pratos, pode causar problemas para a saúde.

A seguir, trataremos de algumas das principais doenças causadas pela falta de higiene dos alimentos.

Salmonela

É uma intoxicação que muitos acreditavam poder ser contraída unicamente através do consumo de ovos, laticínios ou carne. No entanto, descobriu-se que as pessoas também podem pegá-la através das frutas e legumes. Por isso, é recomendável lavá-los antes de serem consumidos. Essa doença apresenta sintomas como febre e gastroenterite.

Escherichia coli

Essa bactéria pode ser muito prejudicial durante a gravidez. Começa alojando-se na mucosa do intestino para, em seguida, causar desde diarreia até cistite, entre outras infecções. Uma pessoa pode contraí-la se não lavar corretamente as verduras.

grávida preparando salada verde

Toxoplasmose

Essa doença pode ser transmitida tanto por ovos crus como por carne crua ou pouco cozida. Também existe o risco de contrair a toxoplasmose se durante a gravidez a mulher consumir vegetais que não tenham sido lavados adequadamente. Os seus principais sintomas são dor de cabeça, febre e dores musculares.

Anisakis

Essa afecção parasitária pode ser transmitida através do consumo de alimentos pouco cozidos ou mal lavados.

Os primeiros sintomas que aparecem ao contrair essa doença são náuseas, vômitos e dor abdominal. Mas isso pode variar dependendo da localização do parasita. A doença pode ser tratada, mas você sempre deve consultar o seu médico antes.

“É melhor evitar fazer saladas com peixe defumado, já que a preparação desse tipo de alimento pode conter o parasita Anisakis”.

Medidas de prevenção

Como mencionamos anteriormente, uma das principais formas de evitar qualquer doença ao consumir saladas é lavar corretamente os vegetais que serão usados. Não importa se as embalagens indicam que foram lavados previamente, o melhor é fazê-lo da mesma forma.

Estas são algumas outras medidas que devem ser tomadas se você quiser comer salada durante a gravidez:

  • No momento de colocar qualquer tipo de molho na salada é importante usar os industrializados. Após isso, você deve imediatamente colocar na geladeira para que não contamine.
  • Um ponto importante que devemos destacar é evitar comer saladas, durante a gravidez, que não sejam preparadas de forma caseira. Isso porque não tem como garantirmos que um restaurante lave as frutas e legumes adequadamente.
  • É vital utilizar alimentos que não prejudiquem a sua gravidez. Estes são os que se destacam: os embutidos, a carne crua, os peixes crus e os defumados.
  • Novamente, é importante lembrar que os alimentos que serão usados para compor a salada devem estar perfeitamente lavados, tanto para a saúde da mãe como para a do bebê. Nos supermercados, é possível encontrar produtos especiais para limpeza de alimentos.
grávida com um prato de espinafre

Frutas que devem ser evitadas durante a gravidez

Além das saladas de verduras, durante a gravidez, também costuma-se preparar saladas de frutas para manter uma dieta saudável. Geralmente isso é algo bom, mas não totalmente. Algumas frutas podem ser prejudiciais durante o processo de gestação. Estas são algumas delas:

  • Frutas não orgânicas: embora não se tenha muitas informações a respeito dos danos que as frutas não orgânicas causam, sabe-se que as frutas com maior quantidade de pesticidas são: pêssegos, morangos, maçãs, mirtilos, nectarinas, cerejas, passas e peras.
  • Sucos sem pasteurização: as bebidas de frutas que não são pasteurizadas podem trazer doenças como a salmonela, cryptosporidium e E. coli. 
  • Frutas ácidas: embora esse tipo de fruta não represente um perigo grave para as grávidas, elas podem aumentar os sintomas de azia ou refluxo. Por isso, recomendamos evitá-las se você sofre desses males.

As saladas durante a gravidez são alimentos que podem ser muito benéficos para o corpo, desde que consumidas dentro de uma dieta equilibrada.

O importante é levar em conta a salubridade e evitar consumir alimentos que não estiverem em ótimo estado, ou não tenham sido lavados corretamente. Lembre-se de que isso não afeta apenas a saúde da mãe, mas também a do bebê.

  • Rodríguez Domínguez Pedro Lorenzo, Martín Ojeda Venelio. Implicaciones obstétricas de la desnutrición materna. Rev. Med. Electrón.  [Internet]. 2011  Ago [citado  2019  Abr  05] ;  33( 4 ): 448-455. Disponible en: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1684-18242011000400007&lng=es.
  • Darnton-Hill, I. Asesoramiento sobre nutrición durante el embarazo. Fundamento biológico, conductual y contextual. 2013. Organización Mundial de la Salud. [En línea] Disponible en: https://www.who.int/elena/bbc/nutrition_counselling_pregnancy/es/