Como saber se o meu bebê come pouco?

01 Maio, 2020
É muito importante reconhecer os sinais que indicam se estamos fazendo um bom trabalho ao alimentar os nossos pequenos. O desenvolvimento saudável começa com uma boa alimentação.
 

São indescritíveis as emoções que sentimos quando seguramos nosso filho no colo pela primeira vez. Então, os medos típicos relacionados aos cuidados, como a alimentação e as doenças, começam a preocupar os pais, principalmente os pais de primeira viagem. Aqui, vamos oferecer uma ajuda: o que fazer se o meu bebê come pouco e como saber se isso está realmente acontecendo?

Motivados pelas preocupações que os pais geralmente comentam, vamos oferecer informações relevantes sobre o tema da alimentação. Para muitos, esse é o tema que mais traz dúvidas, uma vez que é prioritário garantir uma boa nutrição para o desenvolvimento do bebê.

Alimentação durante os primeiros meses

Desde o momento do nascimento, a alimentação do bebê deve ser feita por meio da amamentação exclusiva. Muitas mães se perguntam com que frequência ela deve ser fornecida, e a única resposta para isso é a demanda da própria criança.

Como o estômago do bebê é muito pequeno e se adapta gradualmente à ingestão de alimentos, ele deve comer quantas vezes for necessário para manter a barriguinha cheia.

 

No início, isso pode ser feito a cada 2 ou 3 horas. Após os dois primeiros meses, quando ele tiver aprendido a sugar bem e a extrair melhor o leite do peito da mãe, o intervalo entre as mamadas poderá ser estendido para cada 3 a 4 horas.

No entanto, há situações que levam os pais a oferecer leite de fórmula para alimentar os pequenos. Seja pela pouca produção de leite pela mãe, porque o bebê é intolerante à lactose ou por qualquer outro motivo alheio à vontade da mulher.

Nesses casos, da mesma forma, também é sugerido que a alimentação do pequeno seja feita de acordo com a sua demanda. Quando estiver com fome, a criança vai chorar para chamar atenção e ser alimentada.

Não é recomendável forçar o bebê a ingerir uma determinada quantidade de fórmula, pois assim ele poderá se alimentar em excesso, forçando seu pequeno estômago e desenvolvendo possíveis problemas de saúde.

Bebê mamando: será que meu bebê come pouco?
 

Meu bebê está bem alimentado?

Existem várias maneiras de saber se o bebê está se alimentando corretamente, principalmente durante as primeiras semanas de vida. Como saber se o meu bebê come pouco ou se as quantidades que ele ingere são adequadas?

Para responder a essa pergunta, é necessário prestar atenção ao peso. Geralmente, o bebê ganha, inicialmente, cerca de 120-150 gramas por semana.

No entanto, se não tivermos uma balança que nos ajude a saber quanto o bebê está pesando, existem outros sinais que podem ser úteis se tivermos a sensação de que ele não está se alimentando adequadamente.

Esses sinais são os seguintes:  

  • O bebê pega o peito e adormece após 10 minutos ou até mesmo antes disso.
  • Molha menos de quatro fraldas por dia.
  • A sua pele ainda continua enrugada após a primeira semana.
  • Depois de três semanas, o seu rosto ainda não ganhou volume nem se tornou ‘redondo’.
  • Depois de mamar e adormecer, ele pede para mamar outra vez logo em seguida, como se ainda estivesse com muita fome.
 
  • Sua pele fica mais amarela, em vez de menos amarela, na primeira semana de vida.

Sem dúvida, esses são sinais de alerta suficientes para levar o bebê a uma consulta com o pediatra e verificar se há algum problema ou se, pelo contrário, tudo está indo bem.

Nesse caso, é necessário pesar a criança e comparar o resultado com o peso anterior. Se for confirmado que há um problema, é preciso procurar as causas pelas quais o bebê come pouco para que elas possam ser resolvidas.

“No início, o bebê pode comer a cada 2 ou 3 horas. Após os dois primeiros meses, o intervalo entre as mamadas poderá ser estendido para cada 3 a 4 horas”.

O meu bebê come pouco? 

O organismo de cada criança se comporta de maneira diferente. Para algumas crianças, poucas porções de comida são suficientes para que fiquem satisfeitas. Para outras, no entanto, a mesma quantidade pode não ser suficiente para as suas necessidades alimentares.

É por esse motivo que muitos pais se perguntam quanto o filho precisa comer. Frases como “Será que o meu bebê come pouco para a idade dele?” ou “Como saber se ele comeu o suficiente?” são comuns nos consultórios. 

 

Se tudo correr normalmente, as necessidades energéticas vão variar de acordo com a idade e o sexo do bebê. Elas podem seguir mais ou menos essas quantidades:

  • 6 meses de idade: os meninos devem consumir entre 491 e 779 calorias, enquanto as meninas devem consumir entre 351 e 819 calorias.
  • 9 meses de idade: são necessárias entre 504 e 924 calorias para os meninos, enquanto as meninas precisam de 459 a 859 calorias. 
  • 12 meses de idade: o corpo dos meninos exige o consumo de 579 a 1159 calorias. Para as meninas, as quantidades aumentam para a faixa entre 505 e 1013 calorias.
  • 18 meses de idade: os meninos precisam consumir entre 804 e 1112 calorias. Por outro lado, as meninas precisam ingerir entre 808 e 1168 calorias.
  • 24 meses de idade: para os meninos, as necessidades variam entre 829 e 1301 calorias, enquanto as meninas exigem um consumo entre 761 e 1273 calorias.
Bebê feliz: como saber se meu bebê come pouco?
 

O que esses parâmetros significam?

Se observarmos os dados atentamente, veremos que os parâmetros normais variam entre um mínimo de calorias e o dobro delas. Por exemplo, no caso de irmãs gêmeas de 24 meses, há a possibilidade de que, ao longo de um dia, uma delas possa ingerir 661 calorias e a outra 1273 calorias, e ambas estariam dentro dos parâmetros normais.

Assim, seria inútil tentar determinar quanto uma criança deve comer, pois ela vai comer o que o seu corpo exigir de acordo com as suas necessidades. No entanto, é necessário conhecer o equilíbrio nutricional dos alimentos fornecidos ao bebê.

Quando uma criança está com o peso adequado, ela corre, brinca, é ativa e é sorridente. Assim, é possível notar que ela está saudável, mesmo que coma menos do que o adulto considera apropriado.

Portanto, certifique-se de que a qualidade nutricional dos alimentos que você fornece ao seu filho seja ideal. Além disso, consulte o pediatra para garantir que o peso e o crescimento do seu bebê sejam adequados.

 

Não se deixe levar pelo medo e entre em ação. Tome as medidas necessárias a tempo e você verá o seu filho crescer saudável e sem problemas.

 
  • Donovan SM., Comstock SS., Human milk oligosaccharides influence neonatal mucosal and systemic immunity. Ann Nutr Metab, 2016. 69: 42-51.
  • Miles EA., Calder PC., Can early omega 3 fatty acid exposure reduce risk of childhool allergic disease? Nutrients, 2017.