Segredos para ensinar seu filho a raciocinar

· 11 de outubro de 2018
Como ensinar uma criança a raciocinar? Devemos ensiná-la a raciocinar? O que é raciocinar?

Se você já se fez qualquer uma dessas perguntas, te convidamos a acompanhar esse artigo. Esse texto vai te ajudar a responder a cada uma delas.

O que é raciocinar?

O raciocínio é a capacidade humana que nos permite esclarecer nossas dúvidas para resolver os problemas que nos são apresentados.

Graças ao raciocínio, somos capazes de assimilar o conhecimento que absorvemos para ajudar a compreender o mundo.

Raciocinar é internalizar, aprender, interpretar e tirar conclusões a partir de qualquer evento para usarmos na vida cotidiana.

É um processo mental que nos impede de nos comportar completamente por instinto.

Ou seja, nos dá a capacidade de refletir e analisar qualquer que seja a situação em que nos encontramos.

Devemos ensinar a criança a raciocinar?

a raciocinar

Sim, devemos ensinar uma criança a raciocinar. Porque, caso contrário, ela vai ser tornar um homem ou uma mulher ignorante ou até mesmo selvagem.

É muito importante que desde cedo independentemente de onde esteja, seja em casa, na creche, na escola ou no parque de diversões, a criança saiba como se comportar e o que fazer com os estímulos que recebe.

Se ensinarmos bem, esses estímulos farão com que ela seja capaz de raciocinar, usar sua experiência, analisar, formar uma opinião sobre o assunto e, então, decidir ou tirar uma conclusão em qualquer situação.

Como ensinar uma criança a raciocinar?

Para ensinar uma criança a raciocinar, não se deve oferecer uma vida cor de rosa, superproteger ou dar tudo de mão beijada.

Uma criança mimada só tem um tipo de pensamento: fazer birra quando deseja alguma coisa.

Ensine um bebê a raciocinar

Se você quiser ensinar um bebê que ainda engatinha a raciocinar, deve começar a não tirar os seus obstáculos do chão (as caixas de papelão, por exemplo).

Mas colocar outros para que ele aprenda sozinho a desviar e seguir com o seu caminho.

Nessa mesma etapa, você pode estimular o raciocínio colocando brinquedos em cima de cadeiras ou em lugares mais altos onde ele possa vê-las.

Dessa forma, ele vai observar do chão e pensar como pegá-los.

Se os brinquedos estiverem sobre o tapete, não se surpreenda quando seu filho começar a jogá-los no chão.

Ou se, mais cedo ou mais tarde, começar a apoiar nas coisas para ficar em pé na tentativa de achar o brinquedo.

Ensine uma criança de um ano a raciocinar

À medida que seu filho cresce, os estímulos para fazê-lo raciocinar devem ser maiores.

Quando ele tiver um ano, você já pode usar alguns truques fáceis para encorajá-lo a se superar e alcançar seus objetivos.

Digamos que você o presenteie com um carrinho lindo de brinquedo dentro de um pote de plástico com uma tampa também de plástico.

Entregue ao seu filho e assista a sua reação. Certamente, ele irá pedir para você abrir. Mas, mesmo que você queira fazer isso, é melhor encorajá-lo a fazer sozinho.

Deixe ele descobrir, bater o presente no chão, jogá-lo contra a parede, bater contra outro brinquedo, bater no chão de novo.

Isso pode fazer com que o pote se abra e seu filho consiga pegar o carrinho.

Se fizer isso, ótimo! Ele terá aprendido que quando alguma coisa atinge o solo pode quebrar. Neste caso, abrir o pote.

Mas se ele não fizer isso, não se preocupe. Pode ser hora de ensinar uma habilidade importante que está entre as muitas outras que ele vai precisar que, no caso, é abrir tampas.

Tire um tempo para mostrá-lo como destampar o pote para poder pegar o brinquedo tão desejado.

Ensine uma criança de 2 anos ou mais a raciocinar

a raciocinar

Uma criança aprende muito nessa fase dos 2 anos. Dessa forma, a mamãe deve incentivar esta aprendizagem.

Nesta fase, a criança começa a aprender as boas maneiras e a se comportar como sua família ensina.

Não se deve escrever nas paredes, não pode rasgar as folhas dos livros, é preciso comer com talheres, não se deve limpar suas mãos sujas na roupa, etc.

À medida que a criança for assimilando esses novos conhecimentos, ela também vai deixando de cumprir algumas regras.

Não existe nenhuma criança que cumpra integralmente todas as indicações dos adultos.

Por isso, a mãe deve ir corrigindo enquanto a faz pensar a razão pela qual o comportamento for inapropriado.

Claro que isso não vai ser fácil. Pois é preciso dedicar tempo e explicar os motivos. Dessa forma,  seu filho vai poder internalizar o que você diz e, assim, poderá raciocinar.