Separação mãe e filho: como superar?

· 29 de abril de 2019
Que efeitos pode ter a separação entre mãe e filho? Aprenda a reconhecê-los e veja como superar essa situação.

É natural que as crianças mais novas experimentem uma sensação de ansiedade no momento da separação entre mãe e filho. Afinal, as mães são vistas como o porto seguro dos pequenos, oferecem amor e carinho para que se sintam calmos.


Embora o momento de dizer tchau ao filho seja bastante emocional, é uma experiência normal no processo de desenvolvimento das crianças. Isso acontece devido ao forte vínculo afetivo que foi construído durante os meses que a criança e a mãe passaram juntas.

Usando algumas estratégias, o momento de se separar do seu filho não será um grande problema. Entretanto, quando a ansiedade se intensifica ou dura muito tempo, é necessário procurar ajuda profissional para evitar que se torne um transtorno mais sério.

Como superar a separação entre mãe e filho?

1. Pratique pequenas separações, primeiro por curtos períodos de tempo e distâncias

Programe pequenos passeios que envolvam a separação do seu filho por um curto período de tempo. Deixe a criança com uma companhia segura que ajude a entretê-la. Pouco a pouco, ela ganhará confiança pois sabe que você vai voltar. Ou seja, ela saberá que, mesmo que se vocês se separarem, voltarão a se ver em breve.

2. Escolha um momento apropriado para a separação entre mãe e filho

Antes de se despedir do seu filho, certifique-se de que ele esteja bem alimentado e tenha dormido o suficiente. As crianças são mais suscetíveis a sentir ansiedade quando estão cansadas ou com fome.

3. Invente um pequeno ritual de despedida

As rotinas ou os rituais que são construídos em família têm um significado muito importante para as crianças. Faça com que esse momento seja o mais curto possível para que a criança não tenha tempo de pensar em ficar ansiosa.

Além disso, evite ficar visível depois de ter se despedido. Diga às crianças que você está saindo, mas que voltará logo. Em seguida, simplesmente deixe o local, sem fazer drama.

4. Certifique-se de que a criança tenha um cuidador constante

Seja no jardim de infância ou com uma babá em casa, tente manter o relacionamento com essas pessoas por um longo período. Dessa forma, haverá uma rotina sem inconsistências na vida diária do seu filho e você pode se sentir mais segura.

Como lidar com a separação mãe e filho.

5. Fique por dentro do que os pequenos assistem na televisão

Grande parte do conteúdo que as crianças recebem da televisão pode reforçar e aumentar os seus medos. O medo é um fator que aumenta consideravelmente a ansiedade no momento da separação entre mãe e filho.

“O vínculo entre a mãe e a criança é criado a partir do momento da gravidez. O nível emocional aumenta durante o momento do parto, com a amamentação e depois com os cuidados nos primeiros anos de vida da criança.”

– Centro de Psicologia de Madrid –

Quais são os sintomas da ansiedade de separação?

  • Preocupação ao pensar que algo ruim vai acontecer com um ente querido. Muitas crianças pensam, por exemplo, que seus pais ficarão doentes ou se machucarão quando não estiverem com eles.
  • Preocupação ao pensar na possibilidade de eventos imprevisíveis que levarão à separação permanente. As crianças que sofrem de ansiedade costumam pensar em eventos como sequestros, perdas e até mesmo morte.
  • Elas se recusam a ir à escola. Uma criança com transtorno de ansiedade de separação não vai querer ir à escola. Ela fará qualquer coisa que conseguir pensar para não sair de casa.
  • Dificuldade para dormir. Muitas das crianças que são afetadas pela ansiedade também sofrem de condições como a insônia. Elas têm pesadelos de forma recorrente e não gostam da ideia de ficarem sozinhas à noite.
  • Desconforto físicos, como dores de estômago e de cabeça. Uma das coisas mais comuns quando esse distúrbio ocorre é que as crianças também começam a apresentar sintomas físicos.
A ansiedade da separação mãe e filho pode ser superada.

  • A criança se agarra antes de se despedir. Esse apego, seja com os pais ou com o cuidador, é normal até certo ponto. Ele deixa de ser saudável quando impede de realizar as atividades diárias e interagir com as outras pessoas.

Conclusão

Em suma, a separação entre mãe e filho não precisa ser um momento de drama e choro. Se você colocar as estratégias mencionadas acima em prática, provavelmente não terá nenhum problema. No entanto, se você perceber que a situação está fora de controle, é necessário começar a considerar que a criança sofra com o transtorno de ansiedade de separação.

Portanto, fique atenta aos sintomas e tome as providências o mais rápido possível se achar que os seus pequenos sofrem mais do que o normal. Se você achar necessário, não hesite em procurar ajuda profissional.