Ser mãe é se tornar uma artesã da vida

09 Setembro, 2018
Ser mãe é, curiosamente, ser artesã da vida. Sem nenhum tipo de habilidade manual ou com alguma delas, as mães moldam nada menos que a vida humana.

Como se fossem ceramistas do futuro, as mães pegam um pequeno material bruto para começar a criar.

Ser mamãe é ser artesã da vida

Com a suavidade de suas delicadas mãos e com amor de sobra em seu coração, as mães se empenham em dar forma a essa mesma criação. Essas artesãs conferem a essa pequena invenção natural uma base resistente para permanecer em pé diante de cada bofetada do destino.

Ser mamãe é ser uma artesã da vida que trabalha com os melhores materiais e instrumentos, capazes de dar vida ao material mais bruto, para que possa suportar cada golpe da vida. Essas ceramistas de infâncias tentam criar uma peça única e especial. Completamente diferente do resto.

artesã da vida

Assim, com amor, paciência e delicadeza, o resultado é uma peça doce e carinhosa. Mas agora chega um novo desafio, qual o conteúdo desse produto ao qual ela deu vida? Ou seja, o que uma mãe deve colocar dentro da sua criação exclusiva?

Não seria estranho que, às vezes, esse pequeno e pitoresco vaso adote uma forma indesejada. Também não é de se estranhar que, às vezes, você perca a paciência enquanto forja sua maior e melhor obra de arte. Não fique impaciente esperando pelo resultado. Aproveite a ação que realiza no momento.

Ser mamãe é, definitivamente, dar vida para finalmente formar pessoas. Trata-se, nada mais nem nada menos, do que construir personalidades, hastear a bandeira do futuro. Mas sempre com vistas ao presente. Ou seja, investir no melhor mercado: o do amor.

Ser mamãe: formar caixinhas infantis com valores

Então, não há nada melhor do que o acabamento especial, essa faixa bônus que depositam dentro de cada um desses trabalhos tão minuciosamente construídos. Paciência e perseverança, convicções, amor, doçura, ousadia, sonhos e ilusões, valores e modos, entre tantas outras coisas que podem ser inseridas no interior das crianças.

Assim, as crianças são – desde seu primeiro dia de vida – moldadas pelos seus pais. Assim como vasos, transportam uma infinidade de conhecimentos, atitudes e valores que são produto da criação materna. Ser mãe é moldar uma vida para marcar dentro do produto final uma série de instrumentos e ferramentas de grande utilidade para a vida adulta.

Se você decidir se encarregar, e, consequentemente, descarregar sobre seu filho sentimentos e sensações negativas, com certeza esse vaso terá menor valor. Com atitude positiva e assertividade, preencha sua própria produção com meros bons exemplos.

Se a criança se sentir incomodada, contrariada, frustrada e impaciente, enquanto você a molda, os resultados desse trabalho ou hobby serão nefastos. Também não se esqueça de que nada de bom é criado pela metade ou sem amor. Ofereça amor e você verá crescer os mais doces frutos.

Tire da sua mochila o que você considerar o melhor recurso para forjar um guerreiro, para encarar o futuro. Arme – com base em fragmentos dos mais nobres materiais – uma boa fachada para seu vaso, mas com o mais forte e valioso conteúdo.

artesã da vida

Ser mamãe é ser artesã da vida e introduzir na mente de seu filho seu legado

Construa um legado para deixar ao seu filho. Ser mamãe é exatamente forjar boas pessoas, capazes de se valer das melhores armas para enfrentar a vida. Reparar com visão para o futuro, prever os possíveis destinos. Deixar o melhor de si dentro desses vasos.

Insista no bom, ressalte toda a qualidade e a bondade. Coloque brilhos e cores nesse fragmento tão visível de sua obra-prima. Continue polindo minuciosamente aquilo que você considere urgente modificar. Corrija ao máximo esse caráter ou característica indesejada.

Não ache que seja perda de tempo. Não acredite que será inútil ou em vão. Esse pensamento está longe da realidade. Quando se trata de dar forma à vida, de criar seu filho, nunca é tarde. Sua dedicação e seu esforço são percebidos no resultado final da obra. Parabéns, mamãe, você fez um bom trabalho. Desfrute de sua pequena obra de artesanato!

  • Díez, A. (2018, septiembre 2). La importancia del apego. Recuperado abril de 2020, de https://lamenteesmaravillosa.com/la-importancia-del-apego/
  • Sanfeliciano, A. (2019, agosto 26). Estilos de crianza: ¿cómo educamos a nuestros hijos? Recuperado abril de 2020, de https://lamenteesmaravillosa.com/estilos-de-crianza-como-educamos-a-nuestros-hijos/