A síndrome do aninhamento

30 de outubro de 2019
Ser mãe significa colocar o máximo de esforço no cuidado dos filhos. Por isso, antes do nascimento, vivencia-se a síndrome do aninhamento. A seguir, explicaremos do que se trata. 

Durante a gravidez passa-se por diversas fases que implicam tanto mudanças físicas como psicológicas. De fato, durante as últimas semanas costumam surgir sentimentos de ansiedade e estresse pela chegada do bebê. É quando se manifesta a síndrome do aninhamento.

É normal que as mães se preocupem pelas necessidades dos futuros filhos, visto que desejam o melhor para eles desde o momento do nascimento.

Assim, todos os momentos vividos durante o período de gestação deixam de ser importantes, e as mães dedicam-se exclusivamente a cuidar dos pequenos da melhor forma possível. Mas, para isso, previamente é necessário preparar tudo para dar as boas-vindas ao bebê.

“As mudanças no corpo duram apenas nove meses, mas a beleza da maternidade é um abraço para a vida toda.”

– Anônimo –

As últimas semanas de gravidez

Uma gravidez dura, aproximadamente, 40 semanas. Ou seja, nove meses. Durante esse tempo, o ventre abriga a criança e, além disso, é criado um forte vínculo afetivo com o futuro bebê. Por tanto, é nas últimas semanas de gravidez que se vive com mais ansiedade e incerteza a chegada do filho.

A síndrome do aninhamento

Nesses dias, as mulheres costumam fazer diversos questionamentos sobre a maternidade, propiciando o surgimento de:

  • Medos.
  • Dúvidas.
  • Inseguranças.
  • Preocupações.

Tudo isso deve ser superado com a ajuda dos profissionais de saúde com os quais foi mantido contato ao longo do período de gestação.

Desse modo, tais conselhos podem servir para superar a reta final da gravidez de uma maneira tranquila e satisfatória, tanto para a mãe como para a criança.

“No momento em que a criança nasce, a mamãe também nasce. A mulher já existia, mas a mãe, ainda não. Uma mãe é algo totalmente novo.”

– Bhagwan Shree Rajneesh –

A síndrome do aninhamento

Durante as últimas semanas de gravidez, os progenitores procuram ter a situação sob controle. É algo completamente normal, já que estão a ponto de vivenciar um dos momentos mais felizes das suas vidas.

Dessa maneira, no fim do período de gestação, as mulheres costumam sofrer da síndrome do aninhamento, principalmente as mães de primeira viagem.

Essa síndrome, também denominada “instinto de aninhamento” ou “nidificação”, consiste em sentir a necessidade de preparar tudo para a chegada da criança. Esse instinto tem um sentido lógico, pois a partir do momento do nascimento do bebê, quase toda a atenção será dedicada a cuidar dele.

Além disso, a síndrome do aninhamento pode ser explicada por razões biológicas. Existe um hormônio maternal, denominado prolactina, responsável pela produção do leite nas glândulas mamárias, que influi no comportamento das mães para preparar o ninho e proteger o bebê.

últimas semanas de gravidez

Por esse motivo, as mães costumam encarregar-se de ter tudo em ordem para o momento de ir para o hospital.

Mas também se preocupam em ter todos os elementos necessários em casa, de modo que é comum aproveitarem os últimos dias de gravidez para comprar roupa para a criança, o carrinho de bebê, o berço, o trocador e outros utensílios necessários para quando chegar ao mundo.

Preparar o quarto do bebe

Por outro lado, a síndrome do aninhamento implica a necessidade de limpar, cuidar e arrumar a casa. E também, é claro, de preparar o novo quarto do bebê. Nesse sentido, é preciso ter em conta que é recomendável que o bebê durma com os pais durante os primeiros meses.

Depois disso, ele pode dormir sozinho no seu quarto, que não deve ser decorado com exagero. Na verdade, o ideal é que a mobília seja básica e, à medida que a criança for crescendo, ir acrescentando os brinquedos, os livros, as mesas, etc.

Em conclusão

Por fim, é necessário comentar que a síndrome do aninhamento pode ser benéfica para evitar imprevistos após o nascimento do bebê.

Porém, é muito importante que as mães, na última fase da gestação, não façam atividades bruscas, nem grandes esforços, pois elas devem estar descansadas para encarar o momento do parto da melhor forma possível.

“O momento do nascimento é o mais bonito na vida. Por um momento, unem-se a dor e a alegria.”

– Madline Tiger –

  • Asociación Española de Pediatría. (2014). Guía Práctica para padres: Desde el nacimiento hasta los 3 años. 
  • Blázquez-García, M. J. (2009). Maternidad y ecología. Zaragoza: Universidad de Zaragoza.
  • González de Chávez, A. (2001). Preparación para el parto versus preparación para la maternidad y paternidad. Género y salud, 24-31.