Suplementos nutricionais para mulheres grávidas

16 de outubro de 2019
Neste artigo, descubra os segredos para a suplementação nutricional durante a gravidez.

Se você está pensando em ter um bebê e está preocupada com a sua dieta durante a gravidez, neste artigo você encontrará uma revisão dos suplementos nutricionais para mulheres grávidas.

Em uma fase tão importante quanto a gravidez, a alimentação tem um papel fundamental. Desde a concepção, o corpo da mulher passa por uma infinidade de mudanças fisiológicas a fim de abrigar o futuro bebê e proporcionar-lhe um ambiente com tudo o que é necessário para o seu bom desenvolvimento.

Esse é um momento no qual aumentam as necessidades energéticas e, em maior medida, as de vários micronutrientes.

É necessário enfatizar a importância de ajustar e adaptar esses nutrientes às necessidades dessa fase e às individualidades de cada mulher, uma vez que a falta ou o excesso de qualquer um deles é algo que tem sido relacionado a pré-eclâmpsia, anomalias congênitas e abortos, entre outras consequências.

Visto que que às vezes a dieta não é o suficiente para cobrir as recomendações nutricionais, é necessário recorrer à suplementação nutricional. Porém, isso sempre deve ser feito sob a supervisão de um profissional.

A seguir, vamos analisar os micronutrientes mais importantes durante a gravidez:

Ácido fólico ou vitamina B9

A carência de ácido fólico durante o desenvolvimento embrionário tem sido relacionada a defeitos do tubo neural (DTN), cardiopatias congênitas e abortos espontâneos, entre outras complicações.

Se a gravidez for planejada, a suplementação deve começar um mês antes da concepção e continuar até o final do primeiro trimestre.

Suplementos nutricionais

A dose recomendada para gestações sem risco é de 0,4 miligramas por dia, quantidade que é aumentada até 5 miligramas por dia em gestações de risco.

Devemos considerar que o ácido fólico não se acumula no corpo. Portanto, se quisermos nos beneficiar do seu efeito protetor, devemos consumi-lo todos os dias.

Além disso, independentemente da suplementação, recomenda-se que todas as mulheres grávidas consumam alimentos ricos em ácido fólico, tais como:

  • Vegetais de folhas verdes (espinafre e acelga).
  • Leguminosas.
  • Frutas.
  • Leveduras.
  • Oleaginosas.

Tendo em vista que o ácido fólico é muito sensível ao cozimento, e que grandes perdas podem ocorrer, recomenda-se o consumo de frutas e vegetais crus.

Suplementos nutricionais: iodo

Trata-se de um micronutriente indispensável na síntese dos hormônios tireoidianos, necessários para o bom desenvolvimento mental e cerebral, bem como para a maturação óssea, pulmonar e cardíaca durante toda a vida fetal e neonatal.

No mundo, a deficiência de iodo é a principal causa evitável de lesão cerebral do feto e do lactente, bem como do atraso no desenvolvimento psicomotor em crianças pequenas.

Durante a gravidez, a quantidade necessária aumenta em 20%. Por isso, recomenda-se suplementar 200 microgramas por dia durante a gravidez, além do consumo habitual de sal iodado.

Ferro

O ferro faz parte da hemoglobina e, portanto, é essencial para o transporte de oxigênio, entre outras funções.

Durante a gravidez, ocorrem alterações hematológicas que, sem a quantidade suficiente de ferro, podem levar à doença mais frequente em mulheres grávidas, a anemia ferropriva.

Essa deficiência de ferro tem sido associada à prematuridade, a um menor desenvolvimento físico e neurológico dos recém-nascidos, às doenças infecciosas e a um aumento da mortalidade perinatal.

Portanto, para evitar o esgotamento dos estoques de ferro da mãe, a suplementação deve ser considerada como uma medida de prevenção nutricional a partir do segundo trimestre. No entanto, a recomendação deve ser individualizada, uma vez que a suplementação em mulheres com depósitos de ferro adequados pode acarretar riscos.

Cálcio, outro suplemento nutricional

É o elemento mais abundante no corpo. Sua carência tem sido associada à prematuridade, à má mineralização óssea e à pré-eclâmpsia.

Embora durante a gravidez a quantidade necessária seja maior, a absorção pelo organismo materno aumenta em 40%. Por essa razão, a suplementação é recomendada apenas para as gestantes com ingestão insuficiente de cálcio.

Cálcio, outro suplemento nutricional

Multivitamínicos

Quanto ao uso de suplementos multivitamínicos, eles não são recomendados atualmente. Não há evidências sugerindo um benefício maior em comparação à suplementação individual. Além disso, alguns nutrientes interagem entre si e podem interferir na absorção.

Outros suplementos nutricionais

Vale a pena destacar que existem outros micronutrientes (vitaminas A, D, C, E…) cujas quantidades necessárias também aumentam durante a gravidez. Mas, como regra geral, a sua suplementação não é recomendada, pois podemos atender a esses requisitos facilmente por meio da alimentação.

Por fim, cabe ressaltar que, em excesso, certas vitaminas – como a A e a D – têm efeitos tóxicos tanto para a mãe quanto para o bebê, de tal forma que nunca devem ser suplementadas sem a supervisão de um especialista.

  • Zhou SJ, Gibson RA, Crowther CA, Baghurst P, Makrides M. (2006). Effect of iron supplementation during pregnancy on the intelligence quotient and behavior of children at 4 y of age: long-term follow-up of a randomized controlled trial.Am J Clin Nutr 2006 ;83(5):1112-7
  • Martínez García RM. (2016). Supplements in pregnancy: the latest recommendations. Nutr Hosp. 2016 Jul 12;33(Suppl 4):336. doi: 10.20960/nh.336. Review. Spanish. PubMed PMID: 27571855
  • López MJ, Sánchez JI, Sánchez MC, Calderay M. (2010). Suplementos en embarazadas: controversias, evidencias y recomendaciones. Inf Ter Sist Nac Salud 2010; 34: 117-128.