Truques para introduzir alimentos novos

23 de fevereiro de 2019
Se o seu bebê está na idade de ingerir alimentos novos, não perca os truques que trazemos para você a seguir. Dessa forma, a transição para a nova dieta vai ser imperceptível. Também vão ser úteis para as crianças que muitas vezes se recusam a experimentar determinados alimentos.

Quando as necessidades nutricionais das crianças exigem que a sua dieta mude, é normal que os pais sintam medo de que elas se recusem a comer. Nesse caso, eles devem recorrer a truques para introduzir alimentos novos.

Independentemente do apetite das crianças, em qualquer idade do seu estágio infantil elas podem sofrer da chamada neofobia. Isso pode ser traduzido como o medo do que é novo ou desconhecido.

Se os adultos frequentemente também se recusam a experimentar novos pratos, mais as crianças podem ter essa sensação. Por essa razão, queremos falar sobre o assunto para que, tendo as ferramentas de conhecimento necessárias, você possa gerenciar a situação da melhor maneira possível.

De onde vem o medo ou a relutância diante de alimentos novos?

O medo de experimentar alimentos novos não é uma atitude exclusiva das crianças. Nós, seres humanos, temos enraizado o que os cientistas chamam de ‘dilema do onívoro’.

De acordo com essa ideia, sentimos um medo inconsciente de experimentar alimentos novos. Principalmente devido a uma memória estabelecida que associa a ingestão de plantas desconhecidas com graves problemas estomacais ou até mesmo com a morte por envenenamento.

A partir disso, depreende-se que o que podemos considerar como uma relutância em comer por um capricho das crianças está, na verdade, associado aos seus instintos de sobrevivência mais arcaicos.

Se realmente reagimos de forma inconsciente com aversão a alimentos novos, como podemos usar os instintos mais básicos a nosso favor para fazer com que as crianças comam os alimentos novos que queremos lhes apresentar?

Truques para introduzir alimentos novos

Existem muitos truques para introduzir alimentos novos na dieta das crianças. A seguir, vamos fornecer uma lista com as ideias recomendadas. Elas são as mais eficazes!

Brincar com a comida

Estima-se que a textura e a cor dos alimentos sejam fatores determinantes no despertar da relutância para comer nas crianças. Se algo parecer pastoso, com grumos ou crocante, há 80% de chance de que as crianças sintam nojo e não queiram comer.

Brincar com a comida

No entanto, se a criança consegue entrar em contato direto com a comida de textura ‘estranha’ através de suas mãos, um sentimento de familiaridade será criado na sua mente. Esse sentimento vai induzi-la a querer experimentar e, em seguida, consumir uma boa porção sem sentir medo ou repulsa.

Não a forçar a comer

Se uma criança é obrigada a comer um alimento por meio de punições ou pela força, isso vai gerar sentimentos ainda mais arraigados de rejeição nela. Uma criança concorda em comer um alimento de boa vontade depois de tê-lo experimentado várias vezes.

Isso implica que você pode começar oferecendo ao seu filho uma colherada da nova comida. Se ele não quiser, pare e, após dois ou três dias, repita a ação. É óbvio que será necessário ter paciência. Mas com a frequência da tentativa, o prato vai se tornar algo familiar para a criança.

Ensinar a partir do exemplo

Não basta dizer à criança para comer certos alimentos enquanto ela observa que nós não estamos fazendo isso. As crianças aprendem e repetem ações por meio da imitação.

Quando elas percebem que comemos um alimento com muito interesse, alegria e que parece que gostamos do seu sabor, então imediatamente vão sentir confiança e interesse em experimentar para verificar por si mesmas do que se trata.

Ensine a partir do exemplo

Evite dar alimentos ricos em açúcar, fast food ou frituras em excesso

Se você quiser adicionar mais vegetais e verduras à dieta do seu filho, evite comer em excesso doces, frituras ou alimentos que incluam intensificadores de sabor, tais como o glutamato monossódico presente no fast food.

Isso vai impedir que as crianças se sintam confortáveis consumindo produtos cujos sabores não sejam manipulados artificialmente.

Se a criança consegue entrar em contato direto com a comida de textura ‘estranha’ através de suas mãos, um sentimento de familiaridade será criado na sua mente

Finalmente, é importante que você saiba que, se quiser introduzir alimentos novos na dieta do seu filho, na hora de comer você deve se sentar à mesa com ele. Assim, a criança vai sentir que vocês estão experimentando os sabores dos alimentos novos juntos.

Para atingir esse objetivo, a criança deve estar focada no ato de comer. Portanto, desligue a TV e também afaste os brinquedos de seu campo de visão. Estimule-a sem pressioná-la enquanto estiverem na mesa para que, assim, a experiência seja positiva.

  • Silva, A. I. ; T. (2013). Neofobias Alimentares – importância na prática clínica. Nascer e Crescer.