Ultrassonografia do terceiro trimestre: o que você precisa saber

Com a ultrassonografia do terceiro trimestre, o médico avalia a condição do bebê e as estruturas uterinas antes do parto. Aqui vamos contar tudo o que você precisa saber sobre esse estudo.
Ultrassonografia do terceiro trimestre: o que você precisa saber

Última atualização: 06 junho, 2022

Ao longo da gravidez, o médico indica pelo menos 3 ultrassons para avaliar o crescimento e o desenvolvimento do bebê, bem como o estado dos tecidos uterinos da mãe. A ultrassonografia de terceiro trimestre costuma ser a última realizada e tem como foco verificar o bem-estar fetal na reta final.

Descubra quais outros parâmetros são avaliados nesse exame, em que semana é realizado e por que é essencial realizá-lo. Não deixe de ler!

Em qual semana é feita a ultrassonografia do terceiro trimestre?

Como sempre enfatizamos, a ultrassonografia ou ecografia é um exame diagnóstico não invasivo, rápido, simples e indolor. Serve para observar o estado das estruturas internas através da emissão de ondas de radiofrequência.

Em relação ao ultrassom pré-natal, sua principal vantagem é que permitem o acompanhamento visual da gravidez, a fim de detectar em tempo hábil algumas complicações gestacionais.

Ao longo dos 9 meses, o ginecologista indica várias ultrassonografias para verificar o correto crescimento e desenvolvimento do bebê, bem como a adaptação dos tecidos maternos a esse novo estado.

Embora todas as ultrassonografias sejam importantes, aquela realizada no terceiro trimestre é essencial para antecipar comportamentos relacionados ao nascimento do bebê. Por esse motivo, esse exame geralmente é realizado entre as semanas 32 e 36 da gravidez.

Representação de um feto dentro da placenta.
Durante o terceiro trimestre, é fundamental verificar o bem-estar do seu bebê e o bom funcionamento das estruturas uterinas e placentárias. Nesse sentido, a ultrassonografia é um estudo extremamente valioso.

O que é avaliado na ultrassonografia do terceiro trimestre?

A ultrassonografia do terceiro trimestre visa observar os seguintes parâmetros de saúde materno-fetal:

  • Crescimento fetal: a última fase da gravidez é caracterizada pela “engorda” do feto. Por esse motivo, um dos principais dados a serem coletados nesse exame é se o tamanho da criança está de acordo com sua idade gestacional. Quando menor do que o esperado, é necessário completar a avaliação com outros estudos para descartar retardo de crescimento intrauterino.
  • Perfil biofísico do bebê: além do tamanho, o médico avalia a frequência cardíaca, os movimentos respiratórios, a atividade e o tônus fetal. Todas essas informações são muito relevantes para avaliar se o bebê está pronto para sair do útero e se as condições internas são adequadas.
  • Estática fetal: ou seja, a posição relativa do bebê dentro do útero. Se for cabeça (apresentação cefálica), pélvica ou transversal.
  • Anatomia fetal: embora esse ponto seja avaliado detalhadamente na ultrassonografia morfológica, é reavaliado nesse momento a fim de detectar anomalias congênitas de início tardio.
  • Status da placenta: além de corroborar a saúde do bebê, também é determinado o grau de maturidade placentária. Quando há uma placenta envelhecida ou em risco de envelhecimento prematuro, é melhor acompanhar de perto a gravidez. Além disso, a localização da estrutura é corroborada e a via de parto mais adequada é definida no caso de uma placenta prévia.
  • Quantidade de líquido amniótico: esse parâmetro informa o volume de líquido que envolve o bebê, que deve ser mantido dentro de limites rígidos para evitar complicações gestacionais.
  • Funcionalidade do cordão umbilical: essa estrutura garante a chegada de oxigênio e nutrientes ao bebê, por isso sua anatomia e posição são avaliadas em cada ultrassonografia, sendo descartadas as circulares de cordão. Para completar sua avaliação, seu médico pode solicitar um ultrassom Doppler para avaliar o fluxo sanguíneo através dessa estrutura.
  • Comprimento do colo do útero: consiste em medir o comprimento do colo do útero, a fim de descartar o risco de partos prematuros.
  • Posição dos fetos na gravidez gemelar: a posição adotada pelos dois ou mais bebês em uma gravidez múltipla permitirá definir a via de parto mais adequada.

Outros parâmetros que podem ser avaliados nesse ultrassom

É possível que nesse momento seja feita uma visualização do bebê com a técnica 4D. Dessa forma, o médico poderá detalhar com maior precisão os traços faciais, assim como a anatomia do coração e do cérebro da criança.

Já para a mãe, no caso de tumores pélvicos, como grandes miomas, sua última avaliação é realizada nesse ultrassom. A localização e o tamanho adquiridos ao longo da gravidez são definidos e a via de parto mais conveniente é avaliada.

Como é realizada a ultrassonografia do terceiro trimestre?

Não há preparação necessária para o ultrassom do terceiro trimestre, mas é aconselhável ir à clínica com roupas folgadas e confortáveis, que facilitam a exposição da barriga. Além disso, é recomendado não passar cremes hidratantes na pele da barriga para não interferir na captação das imagens de ultrassom.

Esse exame é realizado através do abdômen, por isso é necessário esvaziar a bexiga antes de iniciar para facilitar a visualização. Em geral, costuma durar entre 15 e 30 minutos.

Tenha em mente que devido ao tamanho do bebê apenas áreas específicas de seu corpo podem ser observadas. Por outro lado, se o especialista quiser avaliar cuidadosamente o comprimento do colo do útero ou as características da placenta, pode complementar o estudo com uma ultrassonografia transvaginal.

Grávida na ultrassonografia do terceiro trimestre
A ultrassonografia do terceiro trimestre utiliza a mesma técnica das anteriores. Mas se necessário, o médico pode complementar com outros estudos, como Doppler ou ultrassom transvaginal.

Não deixe de fazer os exames pré-natais

As ecografias pré-natais são um método prático para avaliar o bem-estar do seu bebê durante a gravidez e não representam qualquer perigo para a sua saúde. Em geral, é indicado um por trimestre, mas isso dependerá dos achados ou das patologias subjacentes da mãe.

Aproveite todas as vantagens do ultrassom e não perca nenhum exame pré-natal. Assim, você proporcionará o melhor atendimento ao seu filho desde o primeiro momento.

Pode interessar a você...
Ultrassom 4D: o que é e quando fazer
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Ultrassom 4D: o que é e quando fazer

Com o ultrassom 4D, é possível observar movimentos do bebê, como bocejos ou sorrisos, além de detectar possíveis anomalias congênitas.