Um bom pai constrói pontes para o coração do seu filho, e não muros

11 Julho, 2018
Um bom pai é aquele que guia seu filho no escuro, que lhe dá a mão para segurar sempre que precisar, enxuga suas lágrimas e até chora com ele para que sinta menos a dor.
 

O papel de um bom pai é ensinar ao filho o lado bom e o lado mau da vida, ser seu cúmplice em cada um dos sonhos que ele tiver, alimentá-lo, protegê-lo e dar todo o seu amor.

Se você e seu filho estão unidos pelo carinho, apego e apoio mútuo, parabéns! Isso significa que você é um bom pai.

Pontes de amor para o coração de uma criança

O coração de uma criança não precisa de muito para bater mais forte. É fácil de conquistar e é grande o suficiente para abrigar um país inteiro.

Construir pontes de amor para o coração de uma criança é uma das maiores obras de engenharia e também uma das mais simples de construir. Para fazer isso, basta:

Ter paciência em seus ensinamentos

As crianças precisam que seus professores tenham muita paciência na hora do ensino. Nem todas as crianças assimilam conhecimentos e aprendem com a mesma velocidade. O que para alguns é moleza para outros pode ser muito difícil.

Portanto, devemos estar prontos para ter o máximo de paciência sempre que a criança precisar, e uma vez ou outra, ensinar alguma coisa.

Amarrar os cadarços, pegar uma colher de maneira correta, memorizar as cores, aprender os números, pentear o cabelo, fazer xixi no penico… São muitas as habilidades e os conhecimentos que uma criança deve aprender. Você não pode querer que seu filho domine todos num instante.

um bom pai
 


Dê amor em todos os momentos

Toda relação que se tem com uma criança deve estar fundamentada no amor. O carinho que um ser humano recebe na infância irá ser traduzido em autonomia, autoconfiança, inteligência emocionalDar carinho não é fazer do seu filho um fraco, muito pelo contrário.

Carícias, beijos, abraços e até mesmo os puxões de orelha que você dá no seu filho serão amostras do quanto ele é importante na sua vida. É demonstrar o quanto o quer bem e como você está feliz de tê-lo ao seu lado. Ele sabe entender esta mensagem.

Colocar limites

Os limites e a disciplina são recursos imprescindíveis na educação de uma criança. Porém, os limites não devem ser meros bloqueios no seu comportamento. “Isso não se faz porque não se faz!”.

Uma criança deve entender o porquê de tudo. É o seu dever dizer o que implica cada uma de suas ações e explicar suas razões.

Um bom pai constrói pontes para o coração do seu filho, e não muros

Papai, assim como é extremamente fácil ganhar o carinho de uma criança também é simples perdê-lo. Não são poucas as paredes que podem separar os pais de seus filhos. A desconfiança, a falta de comunicação, a intolerância, a violência, o desgosto, o afastamento…

Esses enormes blocos de concreto vão desfazendo os laços que a própria natureza destinou para ambos. Como muralhas indestrutíveis, se posicionam entre eles e os separam, às vezes, por toda a vida.

um bom pai
 
Então, o nosso dever é aconselhar. Fazemos isso para que tanto você quanto o seu pequeno que espera por seu retorno todos as tardes, desfrutem a alegria de ter um ao outro.

Portanto, papai:

  • Ofereça ao seu filho apenas os recursos necessários para viver. Os outros, ensine-o a conquistar.
  • Elogie pelas conquistas e virtudes, mas também aponte as deficiências.
  • Nunca o compare com outras crianças, nem meça se suas conquistas são melhores ou piores do que as de seus colegas.
  • Não exija mais do que ele pode dar.
  • Dê confiança para que ele possa discutir qualquer assunto, especialmente aqueles que são difíceis para você. Tenha em mente que se é difícil para você, para ele deve ser mais ainda.
  • Dedique todo o tempo que você puder. Ele sabe que você ganha a vida para proporcionar o melhor presente e um futuro mais próspero. Mas entenda que além de livros, alimento, brinquedos e medicamentos, seu filho também precisa de muitas horas ao seu lado.

É importante compreender que um bom pai deve saber abrir seu coração e criar uma boa base sólida para construir as fundações de uma enorme ponte. Ao longo do tempo, essa ponte chegará ao seu objetivo que é o coração do seu filho.

Essa ponte vai significar uma via indestrutível de comunicação e intercâmbio entre os dois lados. Ela servirá para que as questões e preocupações imediatamente encontrem um canal confiável para serem resolvidas. Será um viaduto de ensino, entrega, segurança e amor infinito.

 
  • Bowlby, J. (1986). Vínculos afectivos: formación, desarrollo y pérdida. Madrid: Morata.
  • Bowlby, J. (1995). Teoría del apego. Lebovici, Weil-HalpernF.
  • Garrido-Rojas, L. (2006). Apego, emoción y regulación emocional. Implicaciones para la salud. Revista latinoamericana de psicología, 38(3), 493-507. https://www.redalyc.org/pdf/805/80538304.pdf
  • Marrone, M., Diamond, N., Juri, L., & Bleichmar, H. (2001). La teoría del apego: un enfoque actual. Madrid: Psimática.
  • Moneta, M. (2003). El Apego. Aspectos clínicos y psicobiológicos de la díada madre-hijo. Santiago: Cuatro Vientos.