Um nome pouco comum pode prejudicar seu filho

· 29 de junho de 2018
Você já pensou sobre o nome que vai dar ao seu filho ou à sua filha que está para chegar? Veja neste artigo como um nome pouco comum pode influenciar a vida do seu pequeno.

Muitos pais lidam com a tentação de colocar um nome pouco comum nos seus filhos. Em outras épocas, a escolha do nome era mais fácil porque era costume usar o nome de um santo de acordo com o dia do nascimento ou, simplesmente, o mesmo nome de um parente próximo.

No entanto, apesar do nome dos pais ser sempre a primeira opção, nos últimos anos parece muito importante que o nome seja original, o que é aceitável e inofensivo.

Contudo, é possível que o nome exerça influencia para moldar a personalidade do seu filho desde muito pequeno. Principalmente se ele crescer em um contexto pouco apropriado e hostil que poderia prejudicá-lo.

A decisão que os pais devem tomar quanto ao nome de seus filhos é crucial. Portanto, recomenda-se que seja pensado com cuidado. Inconscientemente, podemos estimular apelidos de mão beijada, insinuando simbolizações indesejáveis, podendo até chegar a ridicularizar a criança.

Pode ser um erro colocar um nome pouco comum por diferentes motivos. Por isso, muitos psicólogos recomendam que os nomes não sejam muito complicados de pronunciar, de escrever ou que não façam uma combinação estranha com os sobrenomes.

Um nome estranho ou que tenha um significado particular na sua língua é pretexto para o deboche e principal motivo para desencadear um comportamento violento, segundo especialistas.

Como um nome incomum afeta a vida do seu filho?

um nome pouco comum

Ter um nome pouco comum não deveria ser um problema em si. Para que realmente tenha um efeito adverso é necessário que esteja no contexto inapropriado. Em outras palavras, uma sociedade com a mentalidade aberta não deveria interferir negativamente no desenvolvimento da personalidade porque seria tolerante diante da diferença.

Deixar para trás o tradicionalismo e ser original são os principais motivos pelos quais os pais preferem escolher um nome diferente. No entanto, isso é uma coisa que pode acabar afetando a criança desde a sua fase escolar e acompanhá-la até a idade adulta.

De acordo com estudos sobre o assunto, o nome pode estar relacionado com a etnia ou o status social. Isso pode ser um problema em circunstâncias particulares como conseguir um emprego.

Nesse sentido, não é que o nome possa causar uma reação desfavorável, mas, sim, sua associação com um contexto específico. Por exemplo, um nome que seja usado mais frequentemente por pessoas de uma determinada etnia.

Dessa forma, um nome pouco comum pode afetar uma criança desde cedo e pode acompanhá-la por toda a vida. O nome pode ser capaz de influenciar em sua personalidade ou até mesmo tirar-lhe oportunidades. Entre os principais fatores que podem afetar a criança são:

1. Um nome usado, normalmente, para menina ou vice-versa

Se escolhemos um nome para os nossos filhos inspirados numa celebridade, num personagem de um livro ou filme, é possível que acabemos nos confundindo porque o contexto da referência em questão é diferente.

Um dos maiores erros é escolher um nome para um menino que é normalmente usado em meninas, causando sérios problemas. Em primeiro lugar, ele vai ser alvo de gozação e vai ter que aguentar ser chamado de “senhora” onde quer que vá. Se a criança tiver um colega de classe do sexo oposto com o mesmo nome isso pioraria ainda mais o problema.

um nome pouco comum

2. Nomes de origem estrangeira

Embora não seja tão estranho, um nome estrangeiro tem implícito uma complicação linguística que desencadeia a ocorrência de erros de ortografia e pronúncia. A criança que aprende a ler e escrever na sua língua nativa, terá problemas com o seu próprio nome, linguisticamente “errado” para ela. Isso seria algo que os pais teriam que explicar muito bem para que os pequenos aprendem a se defender.

Especialistas acreditam que isso influencia a autoestima da criança de forma positiva. Por outro lado, a expõe ao fardo de dar explicações sobre os aspectos característicos do seu nome.

O mesmo se aplica aos nomes compostos ou muito longos. Nessa situação, desde pequena a criança terá que lidar com as características morfológicas do seu nome ou ter que se contentar com o diminutivo obrigatório nesses casos.

3. O nome da moda

De acordo com cada período, os nomes foram relacionados com o que era moda na época. Era comum, por exemplo, escolher nomes da realeza, artistas ou celebridades esportivas. Mas chegou um momento em que eles ficaram no passado e quase ninguém os reconhece mais. Isso é algo que também os torna estranhos.

Ter de explicar que colocaram esse nome em homenagem a esta ou aquela celebridade que ninguém conhece pode ser um incômodo e uma obrigação que o seu filho nem sempre vai fazer com prazer.

4. Uma referência controversa

Quando decidimos colocar o nome de uma personalidade cujo desempenho social pode ser polêmico, vamos colocar nossos filhos em risco de serem identificados incorretamente. Talvez tenhamos qualquer inclinação política ou religiosa que em alguma sociedade pode ser um motivo de descrédito ou ridículo. Isso será carregado pelo nosso filho sem que ele tenha responsabilidade e/ou aprovação sobre os ideais.