Um recém-nascido pode sofrer de estresse?

23 Julho, 2018
Mesmo que os bebês pareçam estar numa bolha ao nascer, é possível que seu novo contexto lhes cause estresse. Lembre-se de que tudo mudou na vida desse pequeno ser de um momento para o outro.
 

Um bebê recém-nascido não está livre de sofrer estresse. Ainda que não pareça, os recém-nascidos têm muita razão para se estressar. Por exemplo, todos os fatores do ambiente que são novos para ele.

Apesar das situações estressantes que podem existir na vida de um recém-nascido, na maioria dos casos os pais fazem todo o possível para evitá-las. É por essa razão que preparamos um ambiente especial, evitamos o barulho e qualquer coisa que consideremos que incomode o bebê.

Entretanto, as causas do estresse nos recém-nascidos podem ser muito simples, porque ele se encontra vivendo um período de adaptação, no qual tudo é diferente e inexplicável. Já convencidos de que os bebês podem sofrer de estresse desde cedo, os especialistas têm se dedicado a estudar quais poderiam ser as consequências desta condição.

Nesse sentido, a maioria dos resultados dessas pesquisas têm lançado a teoria de que muitos dos problemas que as crianças experimentam nesta etapa podem permanecer nelas para sempre. Entre as principais consequências, encontra-se a dificuldade de memorizar, a qual leva a futuros problemas de aprendizagem

Sinais que nos indicam que o bebê pode estar sofrendo de estresse

sofrer de estresse
 

O nível de estresse que sofre um bebê não pode ser quantificado claramente. Contudo, pode-se colocar em evidência sua condição por meio de certos sinais. De maneira geral, o principal meio que os bebês utilizam para se comunicar é o choro. Portanto, também é a melhor maneira de saber se a criança está incomodada.

Assim como para adultos é difícil identificar que estamos estressados, para as crianças pequenas é ainda mais difícil. Por essa razão, é possível que a angústia que notemos nelas possa ser qualquer coisa, incluindo estresse.

Um bebê que chora sem que possamos identificar a causa, pode estar estressado. No entanto, necessitamos estar seguros de que realmente não há outros motivos para chorar. Por exemplo, se o bebê está com fome, se sua fralda está seca, se está ou não doente ou se sofre de cólicas.

Entretanto, apesar de que suas necessidades estejam em ordem, isso não é tudo para o bebê estar totalmente relaxado. Às vezes o que as crianças estão esperando é receber amor. Se for o caso e tivermos que nos separar de nossos filhos por um longo período de tempo, é possível que essa ausência os faça sentir estresse. Assim, eles podem ficar inseguros ou desconfiados.

Outros sintomas podem indicar estresse nos recém-nascidos pode ser o choro constante e angustiado.

Causas do estresse

As causas podem ser diversas, como, por exemplo:

  • Dor causada por cólicas prolongadas ou otites.
  • Isolamento ou falta de relação social.
  • Ambientes alterados por ruídos, discussões familiares ou horários inconstantes.
 
  • Falta de atenção; especialmente quando se trata de pais que estão presentes, porém ocupados com o celular, o computador ou a televisão.
  • Pais estressados, ambientes tensos e estados de ânimo baixos podem afetar o bebê sem que ele tenha consciência disso. Em geral, o estresse dos que nos rodeiam pode nos afetar, como se fosse o nosso próprio.
  • Mudanças bruscas de temperatura no ambiente, o calor pode ser muito estressante e o frio também para um bebê.
  • Sono, fome ou incômodo podem ser estressantes se os pequenos passarem muito tempo nessas condições.
  • O excesso de excitação às vezes é a principal causa. Ainda que devamos estimulá-los e mantê-los conectados com seu entorno, não é recomendável exagerar nos estímulos. Os bebês também precisam relaxar.
sofrer de estresse

Devemos evitar que nosso bebê sofra por causa de estresse

Sabemos que é algo difícil de medir. No entanto, a maioria dos motivos que estressam os bebês são reconhecíveis pelos adultos. Manter suas necessidades em dia, assegurar-nos de que durmam bem e vivam num ambiente tranquilo são coisas que com atenção podemos conseguir efetivamente e sem muito esforço.

Criar hábitos e evitar que nossos problemas os afetem é uma responsabilidade que não podemos esquecer. Além desses fatores, também é recomendável dedicar um tempo livre às crianças. Mesmo que não pareça, elas estão conscientes de grande parte dos fatores que as rodeiam.

 

O vínculo familiar é muito importante. Devemos começar desde os primeiros dias a estimular seu desenvolvimento psicoemocional do nosso bebê, para que ele se sinta seguro, querido e tranquilo. Ao mesmo tempo, devemos evitar que o bebê enfrente uma maior carga de estresse, pois terá que enfrentar problemas suficientes quando crescer e se tornar adulto.