O que dar para o bebê como alimentação complementar

· 29 de janeiro de 2017

Juntamente com a amamentação é muito importante fortalecer o crescimento e desenvolvimento do bebê através da alimentação complementar, que ajuda a fortificar as necessidades e os nutrientes da criança, especialmente entre 6-24 meses de idade, fase mais delicada e que requer dos cuidados máximos para seu bem-estar.

Mas, o que dar ao bebê como alimentação complementar? É a pergunta que surge nas mães quando a partir dos seis meses a criança começa a ingerir papinhas e alimentos sólidos.

Em primeiro lugar, devemos levar em conta que não se trata de substituir o leite materno, pois este é o superalimento que as crianças precisam para o seu desenvolvimento nos primeiros meses de vida.

Em segundo lugar, os alimentos que devem ser fornecidos para a criança devem ser ricos em nutrientes, vitaminas, micronutrientes, ricos em energia, ricos em ferro, cálcio, proteínas, calorias e minerais que colaboram para o crescimento do bebê.

Alimentação complementar de acordo com a idade:

De 6 meses a 8 meses

Neste período o bebê está entrando no mundo dos alimentos. A mãe começa a acompanhar a alimentação que até então era exclusivamente de leite materno com frutas e legumes.

Tente lhe dar iogurte, papinhas ou pequenos pedaços de frutas e legumes (pera, maçã, banana, ameixa, abobrinha, brócolis, feijão verde, abóbora, cenoura, aipo, alho-poró); massas alimentares infantis, cereais (quinoa, aveia, arroz), pães macios, biscoitos e azeite de oliva.

A complementação alimentar saciará mais o bebê e prolongará suas horas entre as refeições.

De 9 meses a 12 meses

Quando a criança está dando seus primeiros passos e consumindo mais energia, complemente a amamentação com iogurte natural sem açúcar, queijos frescos e derivados lácteos frescos, gema de ovos, acelga, espinafre, agrião, pudim, gelatinas, cremes.

Tente lhe dar cremes a base de caldos de carne e de frango. Faça papinhas de carne bovina, frango e carne de porco moída. Também é um bom momento para lhe dar de provar algumas salsichas, manteiga, açúcar, mel e grãos.

De 18 meses a 24 meses

A partir de um ano e meio tente fazer seu bebê comer peixe ou caldos à base de frutos do mar. Nozes trituradas ajudarão a contribuir para a digestão. Mas cuidado para que ele não seja alérgico.

Alguns grãos como feijão branco são recomendados. Também poderá consumir queijos processados ou maturados e mariscos.

Introduzir seu filho a novos sabores fará com que ele tolere a comida e diversifique seus gostos. Cacau, chocolate e leite de vaca são outros alimentos a que você pode recorrer.

Que quantidade de alimento dar para o bebê

Durante o período exclusivo da amamentação, a criança comia a cada três ou quatro horas. Com a incorporação de sólidos estes tempos se prolongarão.

No entanto, não há nenhuma quantidade definida ou frequência das porções de alimentos que o bebê deve consumir, é aconselhável incorporar naturalmente para que ele vá descobrindo texturas, temperaturas e sabores.

As crianças menores de três anos devem comer 5 ou 6 vezes por dia, pois essa alimentação apropriada além de ajudar o seu processo nutricional beneficia o seu desenvolvimento digestivo e o de seus dentes.

Use utensílios próprios da criança, a colher com que se fornece o alimento deve ser pequena e arredondada para não danificar as gengivas do bebê, deve estar bem apoiada e com as mãos descobertas para você lhe dar os alimentos, a ingestão de água é importante uma vez que você comece a lhe fornecer os alimentos. Tente fazer com que a água seja em seu estado natural.

Papinhas, purês ou pequenos pedaços de comida o manterão mais cheio, inclusive ele poderá dormir durante toda a noite, lembre-se que do processo em sua alimentação e entorno familiar depende seu crescimento, desenvolvimento mental e físico e o crescimento do desenvolvimento psicossocial.

Sinais de que seu bebê está satisfeito

  • O bebê aperta os lábios.
  • Joga a comida, tira da boca.
  • Fica se virando, gira sua cabeça para os lados.
  • Brinca com os alimentos.