Uma criança respeitada, será no futuro um adulto respeitoso

4 de setembro de 2018
Como mães e como pais, um dos nossos principais objetivos, além de semear afeto, conhecimentos e valores, também é ser bons gestores emocionais e saber pressentir as necessidades dos nossos filhos.

Uma criança respeitada, educada por meio da inteligência emocional e com a voz sábia desse afeto que sabe prever necessidades e problemas, será um adulto respeitoso. Uma pessoa capaz de retribuir a mesma felicidade e reciprocidade que recebeu na infância.

Maria Montessori, a famosa pedagoga e educadora, nos deixou como seu legado a ideia fundamental de semear na cabeça das crianças ideias nobres para que no futuro germinem nos corações de cada uma delas.

O respeito na fase da infância é, acima de tudo, entender que nem todas as crianças são iguais. Que a mente dos filhos não são como tábulas rasas que preenchemos. Às vezes, por trás de uma criança rebelde e desafiadora, existe uma emoção que ela não sabe expressar. Convidamos você a refletir sobre isso.

Uma criança respeitada, uma criança amada

Nossos filhos precisam muito mais do que alimento, roupas para se vestir, rotinas para adquirir hábitos e se sentirem seguros ou um bom colégio no qual ganham instrução para fazer parte da sociedade.

Uma criança respeitada é aquela que é compreendida por seus progenitores. Uma criança que não têm a necessidade de quebrar coisas, bater ou chamar a atenção para que os pais saibam que ela “está ali”.

Muitos papais e mamães reclamam que seus filhos são muito exigentes. São bebês que choram mais que os outros, que dormem menos e que, mais tarde, se tornam indivíduos que sempre estão chamando atenção.

As crianças “superexigentes” demandam muito mais de nós e precisamos estar preparados. Porque é nisso que se baseia o respeito: em saber pressentir, cuidar, dar uma resposta. Por isso, é necessário levar em consideração a seguinte informação:

criança respeitada

O amor de uma mãe pode melhorar o desenvolvimento cerebral da criança

Segundo um estudo realizado pela doutora Joan Luby na “Universidade de Medicina de Washington”, nos Estados Unidos, o afeto de uma mãe é como o vento capaz de impulsionar as velas dos barcos, que permitirão às crianças navegar com segurança nos oceanos pessoais delas.

  • Esse interessante trabalho revelou que as crianças que tinham recebido afeto sincero e saudável, além do respeito materno que é capaz de pressentir necessidades para dar a resposta adequada, fez com que o cérebro delas amadurecesse de uma forma muito especial.
  • Em resposta à oferta de mais afeto, reconhecimento e inteligência emocional, o hipocampo se desenvolveu com mais força.
  • O hipocampo é essa estrutura emocional de neurônios relacionada com as emoções e a memória. Ele funciona como um computador central em todos os nossos entornos psicossociais.
  • As idades cruciais no desenvolvimento emocional de uma criança se situam entre os 2 e os 6 anos de idade. É nessa fase em que devemos ficar mais atentas e levar consideração a individualidade e a particularidade de nosso filho ou nossa filha.
  • Não faça comparações com outras crianças, nem sequer com os irmãos. Cada criança vem ao mundo com algumas necessidades e com um modo particular de se relacionar com o mundo. Cuide de seu filho, e acima de tudo, oriente-o.
criança respeitada

A criança difícil e a emoção não expressada

A criança que nos desafia, que quebra as coisas, que chora quando a deixamos sozinha e que sempre busca passar dos limites, são as que nos exigem não apenas ajustar nossos 5 sentidos. Além disso, é necessário aplicar o sexto sentido. Aquele sentido associado com a nossa intuição, com esse mundo mais íntimo e emocional.

Jeffrey Bernstein, psicoterapeuta especialista em educação infantil e juvenil, nos sugere que reagir com severidade diante desses comportamentos não faz mais do que piorar a situação. Dar um grito gera mais raiva, e a indiferença, mais frustração.

Então, o que podemos fazer nesses casos? Pode parecer incoerente diante das provocações, reações ou palavrões, mas é preciso conseguir fazer com a criança se sinta respeitada.

  • Respeitar é ajudar nossos filhos a expressar em palavras cada emoção que sentem.
  • A ira ou a tristeza que sentem pode se traduzir em um “eu me sinto sozinho”, “tenho ciúme”, “no colégio, me tratam mal”, “eu gostaria que você ficasse mais comigo”, ou “ estou irritado porque ainda não entendo o que se espera de mim a cada momento”.
criança respeitada

Na criação do dia a dia, nunca podemos cometer o erro de agir irracionalmente, como se tivéssemos apertado o botão do piloto automático no avião. Até os 6 anos de idade, as crianças vão precisar de você intensamente. Porque essa é uma fase crucial no processo de amadurecimento emocional delas.

Depois disso, a aventura de ser pais não termina nunca. Mas é preciso estarmos sempre atentas às necessidades dos pequenos. Elas podem mudar de um dia para o outro, já que com as crianças nenhum dia é igual ao outro.

Assim, lembre-se de que uma criança respeitada será no futuro um adulto respeitoso. Uma pessoa capaz de dar o melhor de si mesma aos demais. Assim como você fez com ela.