Voltar a trabalhar depois da licença-maternidade

· 8 de março de 2019
Voltar a trabalhar depois da licença-maternidade é, sem dúvida, uma mudança enorme. Por isso, muitas mulheres querem que esse dia nunca chegue, enquanto outras esperam ansiosamente por ele. Passar por esta fase requer preparação, organização e otimismo.

Sem dúvida, voltar a trabalhar depois da licença-maternidade é um dos momentos mais angustiantes para algumas mães. Muitas não querem que esse momento chegue nunca e, quando ele chega, sofrem muito. Por isso, neste artigo, vamos te contar como superar essa situação da melhor maneira possível.

Voltar ou não voltar a trabalhar?

Para algumas mulheres, voltar a trabalhar depois de ser mãe é sinônimo de recuperar um pouco de liberdade e independência. Para outras, no entanto, é uma situação angustiante, estressante e cheia de medos.

Acontece que a chegada dos filhos nos marca, mas de maneiras muito diferentes. Por mais que amemos o que fazemos e adoremos o trabalho que temos, a verdade é que, ao se tornar mãe, a mente e o coração de uma mulher mudam.

Por isso, muitas se questionam quanto a voltar ao trabalho ou não, ou então em que momento voltar a trabalhar. Em algumas empresas, uma vez decorrida a licença-maternidade, a mulher pode solicitar uma prorrogação dessa licença sem pagamento.

Ou seja, ela não trabalha mas também não recebe pagamento, ou então trabalha menos horas, como, por exemplo, durante meio período.

Além disso, durante o primeiro ano de vida do bebê, a mãe tem o direito, por lei, de amamentar durante a jornada de trabalho ou então de sair mais cedo. Com tudo isso em mente, algumas mães se questionam se querem voltar a trabalhar depois da licença-maternidade ou não.

A situação financeira é um fator condicionante

Certamente, tudo está relacionado à situação particular de cada uma. Talvez algumas mulheres possam ficar em casa cuidando dos filhos enquanto seus maridos trabalham, mas também há aquelas que precisam, de qualquer maneira, colocar dinheiro em casa para sustentar a família.

Seja qual for a decisão, é importante tomá-la de forma consciente e pensando no futuro, não no momento imediato. Talvez parar de trabalhar não seja um problema do ponto de vista financeiro, mas sim em relação aos sentimentos.

Uma mulher que fica em casa pode sentir depressão, angústia, irritabilidade, tédio, etc. Todos esses sentimentos são “pagos” pelas crianças, que recebem os gritos ou a raiva de sua mãe.

A situação financeira é um fator condicionante

Por outro lado, também é possível se sentir culpada por deixar um bebê tão pequeno aos cuidados de outra pessoa. Muitas mulheres até mesmo se veem como “mães ruins” por causa disso.

No entanto, quando é necessário trabalhar e não há outra alternativa, devemos pensar que esta é uma maneira de demonstrar o nosso amor incondicional pelos nossos filhos. Afinal, este é o meio de fornecer comida, casa e tudo o que eles precisam.

Dicas para trabalhar depois da licença-maternidade

Se, por diferentes razões, você tiver que trabalhar depois da licença-maternidade, ainda que queira voltar ao trabalho, você precisa saber que não é uma tarefa fácil. Por isso, vamos te dar algumas dicas:

1. Mentalize

Poucos dias antes da data marcada em vermelho no calendário, você deve se preparar. Não apenas em relação a quem vai ficar com o bebê, mas também em relação aos problemas de ordem emocional. Você deve estar preparada para deixar o seu filho com outra pessoa de forma que isso não faça com que você se sinta mal.

Mentalizar previamente não significa andar por aí como uma alma penada, e sim estar ciente de que novas mudanças estão chegando em breve.

2. Mude sua rotina de sono

Talvez, desde que seu filho nasceu, você não saiba o que é dormir oito horas seguidas. Mas agora que você tem que trabalhar depois da licença-maternidade, e é muito importante que descanse o suficiente.

Ir para a cama mais cedo, estabelecer um cronograma de tarefas, procurar momentos para descansar – por exemplo, quando o bebê estiver dormindo – e se levantar mais cedo do que o habitual são hábitos que devemos acrescentar à nossa rotina.

Mude sua rotina de sono

3. Transforme o retorno em uma festa

Se você está deprimida ou angustiada porque precisa voltar a trabalhar, a melhor coisa que você pode fazer é transformar esse momento em algo digno de ser comemorado: que tal comprar um vestido, sapatos ou uma bolsa nova para estrear nesse dia?

Você também pode “se recompensar” com algo que goste muito, como, por exemplo, um sorvete, um pedaço de bolo de chocolate ou um par de brincos. A ideia é fazer com que voltar ao trabalho não seja uma coisa ruim, e sim uma oportunidade de “se presentear”.

Por fim, se no meio da jornada de trabalho a angústia tomar conta e você quiser sair correndo para ver como o seu bebê está, recomendamos que faça algo que te distraia, como, por exemplo, assistir a um vídeo na internet, ouvir uma música alegre ou conversar um pouco com uma colega.

Porém, é claro, quando você voltar para casa… aproveite cada segundo com o seu filho!