3 consequências graves de educar crianças mimadas

· 11 de setembro de 2018
Educar crianças mimadas é um verdadeiro problema e perigo para todos. É negativo principalmente para a criança, pois, como veremos a seguir, pode provocar graves danos ao seu desenvolvimento adequado.

Mas educar crianças mimadas também é prejudicial para seu ambiente, que se verá influenciado e subordinado aos caprichos de uma criança, cuja capacidade está em suas primeiras vias de evolução.

Quando falamos do ambiente da criança mimada, não nos referimos somente aos pais e irmãos, que serão as principais vítimas. Também estamos falando de familiares, escola, amigos e, inclusive, da própria sociedade, que deverá conviver com uma criança com falta de autoestima e pouca autonomia pessoal.

Por que não devemos educar crianças mimadas?

A educação não é algo que devemos ignorar. Pois, o futuro de nosso pequeno depende em grande parte da educação que proporcionarmos. Por isso, se realmente desejamos um desenvolvimento adequado da criança, temos que ser muito rigorosas a esse respeito.

Algumas teorias educativas postulam incorretamente a total complacência da criança. Além de defender que não se deve dar um “não” como resposta, pois isso poderia frustrá-la.  No entanto, esses métodos são equivocados, simplesmente, pois uma criança precisa de limites. Isso porque ela ainda não desenvolveu corretamente sua capacidade de raciocinar e discernir.

No entanto, os limites também não devem ser sinônimo de autoritarismo e negação. Você simplesmente deve usar o bom senso, conhecer a criança e criar um ambiente adequado para seu desenvolvimento adequado. Sem excessos, mas também sem defeitos.

educar crianças mimadas

Consequências de criar crianças mimadas

O frustrador frustrado

Às vezes, as mães e os pais permitem tudo aos filhos. Isso porque não querem dar um “não” como resposta e, assim, evitar sua frustração. Mas a criança não estará a vida toda dentro da bolha da casa da família, pois ela vai interagir com outras crianças e adultos que, com certeza, vão frustrá-la. Isso porque as pessoas não se submeterão a todos os seus desejos.

Na verdade, se a criança descobre que em casa todo mundo se submete aos seus desejos, mas fora não, estaremos educando uma criança frustrada. Em primeiro lugar, ela pode escolher não querer sair de casa e enfrentar o mundo. Em seguida, não terá ferramentas para enfrentar a frustração exterior, o que será ainda mais frustrante.

Crianças cada vez mais petulantes

Se criarmos crianças mimadas, elas se tornarão cada vez mais petulantes. Pense que uma criança que não desenvolveu totalmente sua capacidade para raciocinar, não terá limites em seus desejos.

Suas demandas serão cada vez maiores e mais surpreendentes. Portanto, prepare-se para os acessos de raiva e intolerância por parte da criança. Algo que será constante para o resto de suas vidas.

Futura depressão

Como dissemos anteriormente, crianças mimadas têm sérios problemas para se comunicar com o mundo exterior. Isso porque estão acostumadas a ter em casa familiares que se submetem a cada uma de suas vontades, algo que não ocorre fora de casa.

Ou seja, mais cedo ou mais tarde, o pequeno terá que se abrir para o mundo. Estudos, relacionamentos, futuro emprego… Por isso, uma criança mimada tem amplas possibilidades de ser um adolescente deprimido, um trabalhador insatisfeito e, inclusive, uma pessoa reprimida e frustrada.

educar crianças mimadas

O que fazer para evitar educar crianças mimadas

É evidente que as consequências de educar crianças mimadas são desastrosas, especialmente para elas. Agora, o que devemos fazer? Deixamos façam birra? Dizemos NÃO constantemente?

Na verdade, o segredo está na paciência e no bom senso, segundo os especialistas. Lembre-se de que é seu filho, ele carrega seus genes e sua própria educação. Assim, a empatia e a compreensão com amor serão nossas maiores aliadas.

O ideal é não gritar com o pequeno, e sim argumentar quando ele se sentir mais calmo. Nós devemos ser serenas, firmes, mas não muito expressivas, estabelecendo distâncias físicas nos momentos explicativos, procurando não se envolver emocionalmente durante os episódios mais reacionários das crianças, dando as razões adequadas ao NÃO e sempre com uma atitude tranquila e decidida.

É importante, especialmente nos episódios de birras, que são mais frequentes entre os 2 e os 4 anos, que sejamos firmes nesse aspecto. Lembre-se: por mais que você gostaria de ceder a cada capricho, não estaríamos fazendo nenhum bem à criança. É importante ser firme e entender que assim a criança terá uma vida muito mais feliz e gratificante.

Somente dessa forma conseguiremos evitar educar crianças mimadas que terão sérios problemas de autoestima, independência, autoafirmação, autonomia e responsabilidade. É nossa a responsabilidade de educar nossos pequenos como crianças felizes e com uma vida gratificante.