9 sintomas da menopausa precoce

· 19 de setembro de 2017

A menopausa precoce pode ocorrer em idades compreendidas entre 15 e 39 anos. Entende-se que ao menos uma entre cada mil mulheres apresenta insuficiência ovariana até os 29 anos, e uma a cada cem entre 30 e 39 anos. Ou seja, mesmo que sejam índices bastante baixos, constitui um risco ao qual todas nós estamos expostas.

A FOP, falha ovariana prematura é o que os especialistas chamam menopausa precoce. Embora seja certo que a menopausa chegará em nossas vidas em algum momento é possível que ela possa se adiantar além da conta.

Nós mulheres podemos sofrer de insuficiência ovariana a qualquer idade. Ou seja, ela pode se apresentar depois de constituir família ou quando ainda estamos planejando. Uma mulher jovem que não tem filhos pode sofrer esse transtorno, assim como uma que tenha acima de trinta anos e acredita que é muito cedo para a menopausa.

De qualquer forma, os especialistas consideram como prematuro esse processo ainda que aconteça aos 39 anos. Adiante contaremos o que explicam os especialistas sobre essa esmagadora notícia.

O que é a menopausa precoce ou FOP?

A menopausa precoce se apresenta pelo detrimento da função ovariana em idades inferiores aos 40 anos. Essa falha traz como consequência, que a mulher não apresente ovulação todo mês. Isso ocorre porque seus ovários não liberam óvulos. A perda dessa função tem origens diferentes. Por exemplo, que a quantidade de folículos seja inferior ou que os ovários sejam disfuncionais.

Consequentemente, se não há ovulação, a menstruação também começa a falhar, o principal sintoma da FOP. No entanto, algumas mulheres poderiam ter um ciclo menstrual aparentemente normal. Ou seja, o endométrio está preparado para receber um óvulo que nunca chega, mas o tecido que causa o sangramento é liberado. Portanto, qualquer mulher pode não perceber que ela tem uma falha ovariana.

Cada mulher nasce com aproximadamente dois milhões de folículos ovarianos. No entanto, quando ela atinge a idade de sua primeira menstruação, contará com cerca de 400 mil. O corpo feminino não produzirá mais folículos, que são necessários para que se produza a ovulação. Embora 400 mil pareçam suficientes, não é assim, porque nem todos são maduros para se tornarem óvulos.

Cuide do seu corpo, pois ele é o único lugar que você tem para viver.

(Jim Rohn)

Para que um desses folículos amadureça é preciso uma mensagem hormonal de estimulação. O hormônio que participa desse processo é o estrogênio. No início do ciclo menstrual os níveis de estrogênio são baixos.

O hormônio é regulado pela glândula pituitária para que estimule o folículo. Isso provoca o crescimento dos níveis de hormônio. No entanto, as mulheres com falha ovariana relataram uma informação incorreta. Isso mantém altos níveis de hormônio mesmo quando não há um óvulo maduro.

Sintomas da menopausa precoceSintomas da menopausa precoce

Um dos principais sintomas dessa condição é a ausência de menstruação. Também é comum experimentar irregularidades nos ciclos. Ou seja, como a mulher não esgotou sua reserva de folículos, ela ainda pode amadurecer alguns óvulos. Outros sintomas que determinam essa falha são os seguintes:

  • Irregularidade no fluxo. Alteração na quantidade e tempo de sangramento
  • Ondas de calor, sufocos frequentes e suores noturnos
  • Diminuição do apetite sexual
  • Dor nas relações sexuais
  • Irritabilidade
  • Mudanças de humor repentinas
  • Perda de peso
  • Perda de tonicidade e ressecamento da vagina

É possível para algumas mulheres não apresentarem a maioria desses sintomas da menopausa precoce. Talvez elas possam continuar com seu período menstrual bastante regular. Nestes casos, a forma de diagnosticar a menopausa precoce é através da análise hormonal.

Se os níveis de FSH estiverem elevados pode haver uma falha no ovário. No entanto, é necessário discutir com o médico todas as mudanças em nosso ciclo, para poder realizar uma relação correta.

Menopausa precoce e insuficiência ovariana

A menopausa é um processo natural que ocorre em uma idade aproximada de 51 anos. Neste caso, é esperada a diminuição da função ovariana de forma progressiva, o que acontecerá a todas as mulheres. No entanto, quando nos referimos à falência do ovário, isso pode ocorrer em qualquer etapa de nossas vidas.

Quando a mulher já não tem folículos é impossível que ocorra uma maturação que dê espaço a um novo óvulo. Portanto, a ausência de menstruação se manifesta. Assim como ocorre na menopausa, a mulher vê o ciclo menstrual interrompido. No entanto, quando se trata de falhas ovarianas, ainda existem folículos, mas existe uma difusão que impede sua maturação.