Agendar a cesárea? Somente quando necessário

Agendar a cesárea? Somente quando necessário

Última atualização: 16 Abril, 2021

Se você é uma gestante saudável, não deve agendar uma cesariana por motivos médicos, pois a cesariana é uma intervenção cirúrgica que requer um tempo de recuperação que pode impossibilitar você de cuidar do bebê como deseja, principalmente porque você também precisa de cuidados.

Mas também existem outros tipos de motivos que podem fazer você pensar melhor antes de tomar essa decisão, porque é um procedimento que desconecta você do parto, que tira sua chance de ser a protagonista do momento em que o bebê sai do seu útero, e isso acontece porque você está anestesiada.

Uma cesariana é uma intervenção cirúrgica que consiste em extrair o feto do útero da mãe por meio de uma incisão na parede abdominal e uterina e evitar o parto, é isso que diz o conceito de cesariana oferecido pela Wikipedia e, segundo a ciência, um parto natural só deve ser evitado se sua prática colocar em risco a vida da mãe ou do bebê que vai nascer, caso contrário, o parto não tem contraindicação.

Mas por que hoje em dia é tão normal para todas nós ficar sabendo que alguém fez uma cesárea? Por que quase ninguém acha estranho uma mulher grávida saudável planejar uma cesariana?

Talvez uma das respostas seja que, atualmente, a cesárea é concebida como uma prática fantástica que nos permite dar à luz sem muita dor e ir para casa rapidamente. Mas quem tem consciência do que é uma cesárea, sabe que, assim como toda intervenção cirúrgica, ela exige um certo tempo de recuperação que impossibilita a mãe de cuidar bem do bebê desde o momento em que ele nasce.

E embora certamente muitas mulheres se recuperem muito rapidamente da operação, não é menos verdade que não são elas que recebem os bebês nos braços logo após o nascimento, e isso não acontece simplesmente porque estão anestesiadas.

Mãe recebendo seu bebê no pós-parto.

Um parto natural permite que você receba seu bebê acordada, consciente

Ao nascer, seu bebê deve ser recebido por você. A primeira coisa que ele deve fazer quando acaba de sair da barriga é ficar nos seus braços, e essa experiência só é possível se você for a protagonista do seu nascimento, se o viver ativamente. E acredite, o fato de poder segurar o bebê nos braços depois de ter empurrado e sentido uma dor tão intensa, pode transformar você como mulher, pois você tem a possibilidade de redimir essa dor com a alegria infinita de sentir e ver seu filho ou sua filha pela primeira vez.

Mas para escolher o parto natural como primeira opção, é necessário pensar que essa prática não é apenas um fato físico que começa com as contrações uterinas e termina com o nascimento do bebê e o desprendimento da placenta, pois o parto é, acima de tudo, uma experiência mística que pode ajudar você a completar sua maturidade como mulher.

Porém, a cesárea é uma das alternativas escolhidas pelas mães hoje em dia, e muitas mulheres as escolhe sem saber que essa operação contribui para que as mulheres vivam massivamente o momento do parto desconectadas das emoções, congeladas e literalmente anestesiadas.

E isso, segundo os estudos feitos pela terapeuta Laura Gutman, é o início da desconexão com a criança que vai nascer. “Porque se não colocarmos em jogo nossa humanidade feminina, o recém-nascido vai sentir o ninho vazio. Dessa forma, a roda do desespero e da raiva continuará a girar, e depois a necessidade de dominar”.

Mãe recebendo seu bebê no colo.

A cesárea é uma alternativa, mas não é a única

É importante que você estude e avalie com calma todas as alternativas que tem em mãos para dar à luz seu filho, incluindo o parto normal. Deixar de lado a oxitocina sintética que é usada na maioria das cesarianas não precisa significar uma experiência dolorosa ou traumática, pois é possível planejar o parto com naturalidade.

Você pode ser a protagonista de um parto natural confortável, no qual se sente bem cuidada e pode compartilhar a bela experiência de ver seu filho nascer com junto com as pessoas que mais ama. Essa é uma das vantagens do parto humanizado.

O parto pode ser uma experiência linda, principalmente se você viver o período da gravidez de forma consciente, pois isso a ajudará a não chegar à fase do parto sem saber sobre si mesma, porque é você – ouvindo o seu corpo – que deve determinar quando seu bebê deve nascer e quanto tempo deve durar o parto.

É você quem deve escolher como e onde vai trazer seu filho ao mundo, e é muito positivo que você planeje. Contudo, esse planejamento deve deixar de lado, na medida do possível, as anestesias excessivas, pois isso nos deixa sem consciência, adormecidas, e evita que o parto se desenvolva como um ato íntimo.

Claro, a cesariana é obviamente um grande avanço na ciência médica e sua prática deve ser considerada quando a vida do seu bebê ou da mãe está em perigo, mas não como uma prática de rotina. É sobre isso que devemos ter consciência.

Pode interessar a você...
Quando ir ao hospital para o parto?
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Quando ir ao hospital para o parto?

Para evitar o inconveniente de ir e voltar do hospital porque ainda não é a hora do parto, é melhor saber qual é o momento certo para ir ao hospita...